Quantidade adequada do estoque de Manutenção

Luis Cyrino
20 fev 2016
2
4833

Gestão de Estoque Manutenção- quantidades

Dando sequência no tema “Função da gestão de estoques”, na matéria anterior falamos sobre como determinar quais itens necessários para cadastrar em estoque. Nesta matéria vamos mencionar a importância de saber definir a quantidade adequada para cada item. Nesta função é muito importante definir os valores das quantidades físicas de cada item sempre se valendo de algumas premissas como: rotatividade, grau de dificuldade de aquisição, previsão de consumo, entre outros.

Rotatividade

Rotatividade de estoque representa o número de vezes em que um item cadastrado é renovado durante um determinado período ou seja, foi consumido e feito a reposição para a quantidade original. Exemplo: foi consumido e feito a reposição do rolamento 6.206-ZZ na média 20 peças por mês nos últimos seis meses. Esse indicador ajuda a definir a quantidade mínima de peças que temos que ter disponível no estoque.

Grau de dificuldade aquisição

Tem itens comuns, outros menos, itens que dependem de fabricação específica e itens importados por exemplo, qual a dificuldade da área de Suprimentos em comprar esses itens e seus prazos de entrega? Com certeza comprar parafusos e porcas tem um grau de dificuldade muito diferente ao se comparar com a compra de uma engrenagem ou de um eixo de transmissão cujas peças normalmente são fabricadas conforme pedido ou nem sempre tem a pronta entrega ou ainda são peças importadas. Isso com certeza ajuda a definir o que manter em estoque e quais quantidades.

Previsão de consumo da Manutenção

Podemos entender que toda previsão de consumo de qualquer estoque, são baseadas em uma estimativa de consumo futuro e para melhor aplicarmos essa previsão, é primordial que as empresas possuam um meio de registros e por meio deles se forme um histórico de informações sobre esse consumo. Na Manutenção temos normalmente a área do PCM que registra essas informações.

Definição das quantidades

Com base nas informações acima já temos condições de definir uma previsibilidade das quantidades e normalmente fazemos isso em três níveis:

Quantidade mínimo

Podemos chamar de nível de segurança, é a quantidade aceitável de itens, caso aconteça problemas de solicitação ou atrasos de entrega, isso gera um alerta para que o estoque alcance seu volume máximo o mais rápido possível.

Quantidade média (ponto de reposição)

É a quantidade de itens que quando alcançada, deve gerar imediatamente uma solicitação de compra para que o estoque alcance seu volume máximo novamente.

Quantidade máxima

É a quantidade de itens que podemos definir como a soma do estoque mínimo e médio, podem ter outras definições conforme o item a ser estocado.

Nota: importante ressaltar que são definições básicas e que para ser mais precisa possível, dependem de outras variáveis importantes como tipo de item, lotes de compra, custo do item, tamanho entre outros.

Quando para determinados itens não se tem nenhuma informação para analisar, independente dos motivos (equipamento / máquina nova, deficiência de gestão, etc.), uma saída é tentar entender essa previsão por meio do pessoal da manutenção com base em depoimentos de suas intervenções passadas, com base nos registros de ordem de serviço se tiver ou via manual ou contato com o fabricante das máquinas e equipamentos.

Deixe seu comentário, sua opinião é muito importante.

Comentários

2 respostas para “Quantidade adequada do estoque de Manutenção”

  1. ALDIR XAVIER DE LIMA disse:

    MUITO BOM, O CAMINHO CERTO PARA UM BOM PLANEJAMENTO

  2. George Pereira disse:

    Excelente matéria. Trabalho como Gerente de Manutenção há mais de 10 anos, e já vivenciei tudo o que foi colocado. Informação concisa e de fácil leitura. Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *