Empresas apostam na Manutenção para reduzir custos e aumentar a produtividade

Luis Cyrino
24 jun 2019
0
982

Empresas apostam na Manutenção para reduzir custos e aumentar a produtividade

Por IETEC – Instituto de Educação Tecnológica

Vivemos a era da Indústria 4.0 e, nesse cenário, aumentar a produtividade, a eficiência e a qualidade, e reduzir o tempo de entrega e os custos, são fatores ainda mais cruciais para a sobrevivência de uma empresa.

Diante dessa realidade, alguns setores se destacam e se tornam parte estratégica para o alcance dessas metas. A área de manutenção é uma delas. Dividida em quatro principais blocos (corretiva, preventiva, preditiva e sensitiva), a manutenção vem recebendo cada vez mais investimentos nas organizações. “Devemos lembrar que os tempos mudaram.

A manutenção, que antes era vista como ‘consumidora de recursos’,  é vista hoje como um departamento que, além de ser eficiente, é capaz de dar lucro. Com uma manutenção bem planejada é possível gerir e ofertar melhores condições de trabalho dos equipamentos, com menor custo e maior disponibilidade operacional.

Uma parada de um equipamento de forma inesperada, causando perda na produção, nunca é bem-vinda e não é mais aceita, pois afeta todos os índices, metas e planos estratégicos elaborados”, explica Arildo Rodrigues, coordenador da pós-graduação em Engenharia de Manutenção do Ietec.

Com a acirrada concorrência da economia atual, as empresas não podem se dar ao luxo de verem sua operação paralisada devido a falhas em equipamentos. Por conta disso, a manutenção preventiva, aquela que tem como objetivo impedir que essas falhas aconteçam, tem ganhado cada vez mais destaque em seus planejamentos.

Manutenção no setor elétrico

Para que a energia elétrica chegue à casa de milhões de pessoas, a Cemig, distribuidora que tem a maior base de ativos do país, tem como um dos objetivos estratégicos atender aos requisitos regulatórios de qualidade, reclamações, prazos, compensações e multas, como explica Jonathan Aguiar Esperidon, Engenheiro de Sistema Elétrico de Distribuição da companhia:

“Qualidade envolve interrupção de fornecimento, quase sempre por falha em equipamentos. A interrupção gera reclamação do cliente. A reclamação recebida precisa ser atendida dentro de um prazo. Quando o prazo expira, a empresa incorre em multas e compensações financeiras”.

Como a cada ano a exigência regulatória por qualidade se torna maior, a Cemig aposta em um Plano de Manutenção para prevenir a ocorrência de falhas nos equipamentos do sistema.

“Com o Plano de Manutenção atuamos antecipadamente para bloquear as causas das falhas. Para ser assertivo, um bom planejamento deve levar em conta aspectos econômicos, de segurança, viabilidade técnica e eficácia das ações de manutenção. Além disso, é preciso avaliar os impactos de cada modo de falha na operação, na segurança e ao meio ambiente, e o custo dessa falha em relação ao custo da ação preventiva”, explica o engenheiro.

Demanda por profissionais

Diante desse cenário, os profissionais que atuam na área de manutenção tornaram-se ainda mais requisitados nas organizações.

“Cabe a este profissional buscar novos conhecimentos, tanto técnicos quanto gerenciais, que serão traduzidos como novas ferramentas, e que deverão capacitá-lo, dentre outras coisas, a interpretar a relação entre o mercado e o posicionamento estratégico da organização na qual atua, e compreender a importância da gestão de ativos e a manutenção como ferramenta de lucratividade”, explica o especialista do Ietec, Arildo Rodrigues.

Para quem quer se especializar na área, o Ietec oferece a pós-graduação em Engenharia de Manutenção, com início em 19 de julho.

Para mais informações acesse www.ietec.com.br ou ligue (31) 3116-1000.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *