HRN – Hazard Rating Number

Luis Cyrino
25 abr 2021
0
266

HRN – Hazard Rating Number

HRN – Hazard Rating Number quer dizer “Número de classificação/avaliação de Perigo”. É uma metodologia muito usada para se quantificar e graduar o nível de riscos em instalações, máquinas e equipamentos.

Essa é uma metodologia que vem a corroborar para garantir a segurança dos trabalhadores durante suas operações.

Basicamente o método busca identificar os riscos seguindo várias etapas durante o processo de análise. É com base na apreciação dos riscos realizada de forma sistemática, seguindo alguns padrões numéricos pré determinados.

As etapas básicas na realização do HRN são:

  • Determinação dos limites da máquina ou equipamento
  • Identificação dos perigos
  • Estimativa dos riscos (análise em si)
  • Avaliação dos riscos

Método que atende normas da ISO

Também tem como padrão de utilização, um método que respeita o sistema de análise de riscos descrito na antiga norma ABNT NBR ISO 14009.

Norma essa que foi cancelada em 17/12/2013 e substituída pela norma ABNT NBR ISO 12100:2013. O método se utiliza de uma sequência de passos que determina os limites de segurança da máquina, equipamento ou instalações.

Faz isso identificando o perigo, estimando e avaliando o risco e propondo ações corretivas e/ou de melhorias. Com isso estabelecendo um padrão de segurança aceitável que possibilite o trabalho, minimizando ou eliminando os riscos.

Todas as variáveis do método HRN se baseiam claramente na norma ABNT NBR ISO 12100:2013, nos itens 5 – “Apreciação de riscos” e 6 – “Avaliação de riscos”.

E temos também a NR-12 que trata de segurança de máquinas e equipamentos também e tem sido hoje muito utilizada por foça de norma para adequação de parques industriais.

Não temos referências nenhuma nessas duas normas citando a utilização do método HRN como necessário. Mas ele tem sido amplamente utilizado para referendar situações conformes ou não conformes em instalações, máquinas e equipamentos.

Se precisamos apreciar e avaliar riscos, o método HRN tem totais condições de suprir essa necessidade na quantificação e qualificação dos mesmos.

Cálculo e variáveis do HRN

Como é um método numérico (quantitativo) esperamos um valor numérico, então temos a seguinte fórmula a ser utilizada:

HRN = PO x FE x GPL x NP

As variáveis desta equação são descritas a seguir:

  • LO = Probabilidade de Ocorrência;
  • FE = frequência de exposição;
  • DPH = Grau de Possível Prejuízo; e
  • NP = Número de Pessoas em Risco.

Abaixo os índices dessas variáveis

Probabilidade de ocorrência (LO)

0,033 – Quase impossível; possível apenas condições extremas circunstâncias;

1 – Altamente improvável, embora concebível;

1,5 – Improvável, mas pode ocorrer;

2 – Possível, mas incomum;

5 – Mesmo o acaso, poderia acontecer;

8 – Provável; não surpreso;

10 – Provável; apenas para ser esperado;

15 – Certo; sem dúvida;

Frequência de exposição (FE)

0,5 – Anualmente

1 – Mensal

1,5 – Semanal

2,5 – Diariamente

4 – Por hora

5 – Constantemente

Grau de possível lesão ou dano (DPH)

0,1 – Arranhão / hematoma

0,5 – Laceração / efeito de doença leve

1 – Quebra – osso menor ou doença menor

2 – Quebra – osso importante ou doença grave

4 – Perda 1 ou 2 dedos das mãos ou dos pés

8 – Perda de 1 membro / perda parcial audição/visão

10 – Perda de 2 membros / perda parcial ambos olhos ou ouvidos

12 – Enfermidade permanente ou crítica

15 – Fatalidade

Número de pessoas em risco (NP)

1 – 1 a 2 pessoas

2 – 3 a 7 pessoas

4 – 8 a 15 pessoas

8 – 16 a 50 pessoas

12 – Mais de 50 pessoas

Uma variável muito importante e que por si só já chama e muito a nossa atenção é o DPH. Um alto número de DPH significa que se houver um acidente, independentemente do tipo de falha, o perigo será muito sério. Por esse motivo, o DHP é o valor mais crítico no cálculo do HRN e que merece muita atenção.

Resultados da equação do HRN

Conforme observado no critério HRN, quanto maior o valor, mais perigosa é a operação. Portanto, de acordo com seus resultados, intervalos de valores foram atribuídos ao nível de aceitação dos riscos. Esses níveis de aceitação são classificados de acordo com os seguintes critérios:

  • 0 <HRN <1 – Aceitável/insignificante;
  • 1 ≤ HRN <5 – Muito baixo;
  • 5 ≤ HRN <10 – Baixo;
  • 10 ≤ HRN <50 – Significativo;
  • 50 ≤ HRN <100 – Alto;
  • 100 ≤ HRN <500 – Muito alto;
  • 500 ≤ HRN <1000 – Extremo; e
  • 1000 ≤ HRN – Inaceitável

Considerações de acordo com os resultados

Após o cálculo do HRN conforme suas variáveis, temos as considerações de acordo com cada um de seus critérios a seguir:

0 a 1 – Aceitável (algumas ações podem ser consideradas, mantendo medidas de proteção já existentes).

1 a 5 – Muito baixo (algumas ações podem ser consideradas, mantendo medidas de proteção já existentes).

5 a 10 – Baixo (verificar a eficiência das medidas de proteção atuais e buscar melhorias nas mesmas).

10 a 50 – Significativo (verificar a eficiência das medidas de proteção atuais e buscar melhorias nas mesmas).

50 a 100 – Alto (implementar ações para minimizar ou eliminar os riscos encontrados incrementado os dispositivos de segurança e proteções).

100 a 500 – Muito alto (implementar ações para minimizar ou eliminar os riscos encontrados incrementado os dispositivos de segurança e proteções).

500 a 1.000 – Extremo (implementar ações imediatas para minimizar ou eliminar os riscos encontrados incrementado os dispositivos de segurança e proteções).

Maior que 1.000 – Inaceitável (interrupção das atividades até a eliminação ou minimização dos riscos.

Conclusão

Existem cobranças e legítimas sobre a necessidade de garantir segurança de instalações, máquinas e equipamentos. Isso para proteger os trabalhadores em geral como também os ativos de sofrerem maiores danos.

E para isso temos inúmeras ferramentas, métodos e as normas regulamentadoras para garantir isso. Portanto precisamos garantir cada vez mais a segurança operacional, com forte atuação da área de manutenção, fazendo sua parte nesse processo.

Normalmente quando se fala em apreciação e análise de riscos, o foco é máquinas e equipamentos. Mas insisto em acrescentar nesse artigo as instalações industriais, são potencialmente focos de riscos e perigos aos trabalhadores em geral. Por isso qualquer menção de apreciação e avaliação de riscos, levar sempre em consideração as instalações fabris.

 

Fonte:

https://pdf.sciencedirectassets.com/

 

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *