Riscos associados na adequação à NR-12

Luis Cyrino
6 jan 2022
3
319

Riscos associados na adequação à NR-12

Riscos associados são aquelas possibilidades que qualquer tipo de ambiente, instalações ou máquinas e equipamentos possam gerar algum tipo de acidente. Entendendo que risco só existe quando for identificado algum perigo, e não o contrário.

Ou seja, para existir um risco é quando foi identificado algum tipo de perigo que as pessoas possam estar expostas. Vamos exemplificar de uma maneira bem simples: Uma prensa de operação manual oferece risco pois podemos identificar que existe um perigo iminente de acidente com as mãos.

Então chegamos à conclusão que essa prensa manual tem seus riscos associados à sua operação. Em suma, esse é o trabalho que muito tem sido realizado nas empresas com a chamada adequação a NR-12 de máquinas, equipamentos e suas instalações.

Como tratar os riscos associados?

O primeiro passo para implantar a adequação à NR-12 quanto aos riscos associados é realizar a relação atualizada das máquinas e equipamentos existentes. Cada ativo que se enquadra na necessidade de adequação deve ter uma apreciação de riscos.

É o conjunto da análise e da avaliação de riscos e tem como objetivo identificar quais são os perigos que a máquina ou equipamento possuem. E consequentemente o nível dos riscos dos respectivos perigos em cada fase de vida desse ativo.

Portanto, quando falamos em adequação da NR-12, é todo um trabalho de identificação de riscos associados que cada máquina, equipamento ou instalação pode conter. Esse trabalho visa identificar os riscos e propor ações para conte-los de modo a proteger as operações contra acidentes.

Normalmente uma equipe especializada com profissionais capacitados são contratados para elaborar todo um estudo do parque de máquinas e das instalações.

Esse estudo contem a identificação de todos os ativos e uma identificação de todos os possíveis riscos associados. Para isso tem uma sequência lógica desse trabalho com base nas premissas da norma regulamentadora NR-12.

Normas envolvidas para tratar riscos associados

Existe um plano de trabalho baseado a partir de algumas normas como a NR-12 onde fica explicito a necessidade da identificação dos riscos associados. Veja o que diz a norma em seu item 12.5:

12.5 Na aplicação desta Norma e de seus anexos, devem-se considerar as características das máquinas e equipamentos, do processo, a apreciação de riscos e o estado da técnica. (Alterado pela Portaria MTPS 509/2016).

Outras normas técnicas vigentes para boas práticas de apreciação de riscos são:

ABNT NBR ISO 12100:2013: Segurança de máquinas — Princípios gerais de projeto – Apreciação e redução de riscos.

ABNT ISO/TR 14121-2:2018: Segurança de máquinas – Apreciação e riscos. Parte 2: Guia prático e exemplos de métodos.

ABNT NBR 14153:2013: Segurança de Máquinas; Partes de sistemas de comando relacionados à segurança – Princípios gerais para o projeto.

ABNT NBR ISO 13849-1:2019: Partes de sistemas de comando relacionados à segurança. Parte 1: Princípios gerais para o projeto.

ABNT NBR ISO 13849-2:2019: Partes de sistemas de comando relacionados à segurança. Parte 2: Validação.

Portanto, todo esse trabalho de identificação deve estar de acordo com o conceito que envolve a “apreciação de riscos”, citadas nessas normas. E para entender isso precisamos conhecer alguns conceitos que se aplicam à adequação da NR-12, que são:

Análise de Risco:

Combinação da especificação dos limites da máquina, identificação dos perigos e estimativa dos riscos.

Segundo a NBR 12.100, a NR 12 define análise de risco como uma combinação da especificação dos limites da máquina, identificando os perigos e estimativa de risco.

Nesse processo uma análise das máquinas e equipamentos deve ser feita garantindo a saúde do colaborador. Para isso devem ser observados:

  • Os limites da máquina;
  • A identificação dos perigos da máquina;
  • Os riscos associados (aqueles ligados indiretamente ao uso das máquinas), os perigos relacionados ao ambiente e à manipulação etc.

Avaliação de Risco:

Julgamento com base na análise de risco, do quanto os objetivos de redução de risco foram atingidos. Em última análise, uma avaliação de risco é um processo que ajuda a identificar:

  • Possíveis riscos
  • Possível severidade dos riscos
  • Frequência de exposição aos riscos
  • Estratégias a implementar para minimizar riscos e evitar danos

Avaliação de risco não é uma solução rápida para todos os problemas de segurança, nem é uma garantia de um local de trabalho 100% livre de acidentes.

Ou seja, trata-se de um diagnóstico de risco e uma prescrição de segurança usada para documentar esse risco num local de trabalho. Ajuda a determinar um nível (grau) aceitável ou não de risco e determinar um plano de ações para mitigar esses riscos identificados.

Apreciação do risco:

Processo ou ciclo completo que compreende a análise de risco e avaliação de risco. Ou seja, apreciação de riscos não é um documento e sim um processo que acabará por gerar várias documentações. Todo esse processo de apreciação de risco vai definir os limites de uma máquina e identificação dos seus riscos.

Como consequência será necessário a elaboração de estudos e projetos para mitigar esses riscos. Após isso realizado será realizado uma verificação da máquina após os riscos serem mitigados.

Ferramentas para identificar e quantificar riscos associados

Quanto a segurança de máquinas e equipamentos, temos diversas ferramentas e procedimentos disponíveis. São vários métodos para identificar riscos e quantificar qualquer redução necessária desse risco.

O processo de identificação de risco é normalmente executado em conjunto com o “Estudos de Perigos e Operabilidade” (HAZOP).

Os métodos comuns usados para quantificar a redução de risco (avaliação SIL) inclui o gráfico de risco, LOPA (“Camada da Análise de Proteção”). E temos também a metodologia de cálculo HRN – Hazard Rating Number (Número de classificação/avaliação do Perigo).

Conclusão

Como podemos evidenciar neste artigo, os riscos associados em máquinas e equipamentos requerem um trabalho bem estruturado para sua adequação. Está intrínseco que qualquer instalação industrial com máquinas e equipamentos em geral deve possuir proteções adequadas.

Isso de maneira a proteger os operadores e outros colaboradores que estejam na área de trabalho. Proteção contra riscos criados por pontos de contato em peças giratórias, faíscas ou centelhas, pontos quentes ou demasiadamente frios, raios ultravioletas, entre outros.

Portanto todas as empresas precisam verificar se seus ativos precisam e estão atendendo às adequações da NR-12 e outras normas vigentes. Qualquer risco associado que for identificado deve ser tratado de imediato e checado se atendeu a mitigação do risco.

Outro item importante é que toda e qualquer alteração de projeto deve ser documentada e manuais e diagramas atualizados. E não menos importante, o treinamento operacional e de manutenção para todos os envolvidos com essas alterações.

A segurança dos colaboradores e porque não dizer, dos ativos se constituem como fatores de sucesso de uma organização.

 

 

Fonte:

https://nr12.schmersal.com.br/apreciacoes-de-risco.php

https://www.pepperl-fuchs.com/brazil/pt/18454.htm

Comentários

3 respostas para “Riscos associados na adequação à NR-12”

  1. Dalila Campos de Medeiros Fernandes disse:

    Parabéns para o autor, por abordar um tema tão importante a manutenção nas empresasa, que é a segurança do trabalho! E possibilitando principalmente aos alunos de engenharia ter o conhecimentos das Normas vigentes no país sobre o tema!

  2. Rodrigo de Oliveira Santos disse:

    A avaliação preliminar dos riscos é uma importante ferramenta operacional para o trabalho seguro. Tão importante quanto usar boas ferramentas é desenvolvimento contínuo da cultura de segurança, criando consciência nas pessoas envolvidos no processo em todos os níveis organizacionais.
    Buscar Incentivar os trabalhadores a sair do automático, manter uma avaliação contínua dos riscos, cuidar de si e dos colegas. Estas são algumas ações que fortalecem a segurança do grupo e da organização.
    Quando se trata de risco, não há mestre em segurança que não precise de um olhar amigo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *