Base de sustentação das Boas Práticas de Manutenção

Luis Cyrino
15 mar 2018
3
1194

Base de sustentação das Boas Práticas de Manutenção

Base de sustentação – Boas práticas de manutenção é o caminho para uma boa gestão dos ativos físicos de uma empresa como comentado na matéria anterior sobre o tema. Hoje vamos entrar mais no mérito dos itens para uma base de sustentação que acredito, serem essenciais para essas boas práticas.

Etapas como base para implantação da BPM

Baseado nos tópicos genéricos que elencamos na outra matéria, vamos agora descrever cada item para se implantar as boas práticas na Manutenção. Primeiro vamos falar sobre implantar uma base de sustentação para as boas práticas de Manutenção.

Para ter sucesso na implantação da BPM, precisamos de uma base que possa sustentar as etapas seguintes desse processo. São pelo menos quatro etapas a serem implantadas ou se for o caso, melhoradas e que são:

  1. Metodologia 5 S

Para dar início nas implementações das melhores práticas na Manutenção, precisamos primeiro da implantação da metodologia do 5 S. Como bem conhecemos, essa metodologia é a etapa inicial e base para implantação da Qualidade total e também da metodologia TPM.

A metodologia 5S é assim chamada devido à primeira letra de 5 palavras japonesas: Seiri (Utilização), Seiton (organização/arrumação), Seiso (limpeza), Shitsuke (Disciplina) e Seiketsu (higiene). Vejam na tabela abaixo a especificação dos termos do 5 S, conceitos e seu objetivo principal:

A metodologia 5 S tem tudo a ver com a Manutenção, um setor que precisa e muito desses conceitos. A metodologia possibilita desenvolver um planejamento sistemático, permitindo de imediato maior produtividade nos serviços executados em seu ambiente.

Possibilita uma maior segurança, melhor clima organizacional e de certo modo pode criar uma motivação maior dos manutentores. Todos esses fatores contribuem sobremaneira para uma melhoria dos resultados de um modo geral.

  1. Suporte da Gestão

Com certeza um dos grandes problemas ao se implantar qualquer tipo de sistema ou metodologia nas empresas, vem da falta de apoio prático da alta administração.

E claro, no caso da Manutenção, seu líder direto é o principal caminho para que as boas práticas sejam implantadas com sucesso. Então fica claro que, ao se estabelecer o desejo de se implantar as boas práticas de manutenção, as lideranças da empresa precisam estar de acordo.

Com isso, traçar um planejamento com todos as etapas para implantação e mostrar a equipe seu direto comprometimento em fazer as coisas acontecerem.

  1. Educação e Treinamento

Já vimos e conhecemos esse item que é tratado na metodologia TPM como um pilar denominado Educação e Treinamento. Não por acaso, mas independente de contar ou não com a metodologia em si na empresa, esse tópico é fundamental.

Não temos como não reconhecer a grande importância de entender as qualificações e habilidades por meio da matriz por competências na Manutenção.

Por meio desse conhecimento podemos implantar ações voltadas para melhorar o nível da equipe. Fazemos isso de várias maneiras, desde um simples treinamento interno, visitas a feiras voltadas para o setor, elaboração de instruções de trabalho ou procedimentos.

Faz-se necessário as vezes treinamentos junto ao fornecedor de certos equipamentos ou máquinas e treinamentos externos identificados como importantes.

Ações desse tipo só valorizam as pessoas da equipe, trazem o significado e importância de melhorar suas habilidades e conhecimentos. E isso sabemos que é totalmente benéfico, primeiro para as pessoas e como consequência, para a empresa.

  1. Engajamento criando uma cultura

Uma vez a liderança já comprometida com a implantação da BPM, é hora de trazer para si o engajamento da equipe. Uma das grandes falhas de querer mudar algo nas empresas, é não participar os funcionários desse desejo e necessidade.

Então participe a sua equipe dessa implantação e o porquê está se fazendo, e o que se espera com isso. A partir disso, a cultura começa a ser incorporada quando os funcionários da equipe começam a assimilar conceitos e princípios comuns de tudo que se está implantando.

Isso com certeza os motiva e encoraja para uma atitude cooperativa que fortaleça as ações em equipe. Quando os resultados começam a aparecer, a satisfação de ver esses resultados positivos ajuda os funcionários da equipe a perceber os benefícios pessoais de sua participação nesse processo.

Conclusão

Como em todo processo de implantação de processos de mudanças ou melhorias, é necessário se formar uma base de sustentação. Isso se faz necessário para que durante o processo de implantação ou aperfeiçoamento de métodos e processos, haja a participação e principalmente a motivação das pessoas envolvidas.

Preciso deixar claro que essa ideia de uma base de sustentação com esses quatros pilares é algo em que eu acredito, outras ideias e a gestão do dia a dia podem trazer outros pensamentos.

Na próxima matéria e última da série, trataremos da etapa de implantação da infraestrutura mais técnica que fecha todas as etapas desse processo para o alcance dos resultados.

Se você precisa melhorar ou implantar outros métodos e processos na sua manutenção, conte com o Manutenção em foco. Podemos ajudar com serviços de consultoria, auditoria e treinamentos na área de manutenção. Confira no link abaixo o nosso escopo de serviços, entre em contato e se for o caso podemos lhe fazer uma visita sem compromisso.

https://www.manutencaoemfoco.com.br/servicos/

Comentários

3 respostas para “Base de sustentação das Boas Práticas de Manutenção”

  1. Mais uma vez parabéns pelo artigo. Com certeza uma equipe tem que trabalhar em união, com um mesmo propósito o de progresso, sendo todos envolvidos e comprometido.

  2. Sinval Colares Nassau disse:

    A manutenção é sempre esquecida enquanto os equipamentos são novos e estão operando e é a primeira a ser lembrada e ou criticada quando o equipamento quebra ou para pela falta da manutenção básica. Alegação que o custo é muito alto e vão deixando para depois e esquecem quando param a produção o custo final superara toda a “economia” feita pelo que deixaram de fazer. Manutenção não é luxo não é desperdício, e fazer o básico já garante 50% da vida útil dos equipamentos. Fazer uma boa inspeção nos equipamentos durante sua operação já garante que vai ter surpresas!!
    Parabéns pelo material publicado, muito rico e com certeza este é o melhor caminho.

  3. Robson Luiz disse:

    Excelente artigo, parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *