Contaminação dos lubrificantes

Luis Cyrino
3 jun 2018
1
787

Contaminação dos lubrificantes

Contaminação dos lubrificantes é uma das situações mais críticas nos processos de lubrificação de máquinas e equipamentos. Independente do tipo de lubrificante, se óleo ou graxa, temos algumas situações onde essa contaminação pode acontecer.

Conceito de contaminação

A palavra contaminação deriva do latim “contaminatĭo” e diz respeito à ação e ao efeito de contaminar. Este verbo, por sua vez, é usado para fazer referência à alteração nociva da pureza ou das condições normais de alguma coisa ou de um meio causado por agentes químicos ou físicos. (Fonte: https://conceito.de)

Contaminantes dos lubrificantes

São muitos os agentes que provocam a contaminação dos lubrificantes como água, poeira, partículas do sistema (desgaste da máquina), degradação do lubrificante, umidade, materiais de limpeza como solventes e outros mais.

Situações onde ocorre a contaminação

A contaminação de lubrificantes acontece de várias maneiras e por diversos motivos, alheios ou não à nossa vontade. Por essas e outras, os cuidados para se evitar essas ocorrências, é fundamental na lubrificação de máquinas e equipamentos.

No armazenamento

As condições de armazenamento podem oferecer situações onde a qualidade do lubrificante pode sofrer alterações e interferir no seu desempenho. Os contaminantes mais comuns que encontramos quanto ao seu armazenamento são exposição a luz, umidade, água, ar/oxigênio e temperaturas.

Isso acontece principalmente quando os lubrificantes são acondicionados em lugares abertos oferecendo todas essas situações. Isso também pode acontecer em lugares fechados onde o lugar não é bem arejado, seco e o modo de acondicionamento não é o recomendado.

Outro fator muito importante a ser lembrado e acredite, acontece, são produtos já vencidos e que podem ter suas propriedades comprometidas.

Na lubrificação manual

Outra situação onde ocorre a contaminação e considero bem recorrente de acontecer, é durante o processo de manuseio e lubrificação manual. Nessa situação a habilidade, manuseio e assiduidade do profissional de lubrificação é essencial para evitar essa contaminação.

Algumas recomendações que eu faria para o profissional de lubrificação seria usar recipientes adequados e limpos e limpar as áreas a serem lubrificadas.

Também utilizar panos que não desfiem para a limpeza e manter os recipientes desses lubrificantes bem fechados. Outra recomendação seria evitar os excessos de lubrificantes, cuidado para não contaminar um lubrificante com outro, entre outras recomendações.

Na máquina ou equipamento

Essa é a situação onde os agentes contaminantes são normalmente “produzidos” pelas máquinas ou equipamentos. Podemos nesse caso ter algumas situações que podemos diferenciar uma das outras, como:

Desgaste do sistema

Nessa situação é uma contaminação por partículas que ocorrem devido a desgaste de componentes do sistema, muito comum em sistemas fechados.

São partículas ferrosas e não ferrosas contidas em componentes de vedação e oriundas do desgaste de peças como cilindros, válvulas, bombas, filtros, rolamentos, engrenagens, etc.

Essa situação tem início principalmente pela falta de manutenção preventiva e preditiva desses sistemas. O desgaste seja por causa do tempo de uso ou por condições adversas de trabalho gera esse tipo de contaminação que se não avaliada trará muitos problemas.

Desgaste do lubrificante

Nesse caso são falhas que ocorrem devido à falta de manutenção desses sistemas fechados principalmente como filtragem, troca de filtros, óleos vencidos, etc.

As propriedades dos lubrificantes sofrem alterações durante o seu período de trabalho e caso sejam negligenciados trazem problemas.

Agentes do lubrificante como seus aditivos podem sofrer alterações devido ao tempo ou às condições adversas de uso do mesmo.

Conclusão

Independentemente da situação de como ocorre a contaminação, temos muitos motivos para se prevenir e evitar tais situações. Como mencionado acima, desde o armazenamento dos lubrificantes já temos que nos ater aos cuidados com os mesmos.

São vários momentos onde os lubrificantes podem sofrer algum tipo de contaminação. No armazenamento (estoque), local onde ficam os materiais e lubrificantes do profissional de lubrificação, manuseio e no momento de lubrificar e por fim nas máquinas e equipamentos.

Por essas e outras, essa atividade da lubrificação deve ter total atenção da gestão para que problemas de contaminação não se tornem a causa raiz de falhas/quebras de máquinas e equipamentos.

Comentários

Uma resposta para “Contaminação dos lubrificantes”

  1. Bruno Correa Ferreira disse:

    Ótimo artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *