Rolamentos, equívocos na lubrificação

Luis Cyrino
4 abr 2023
0
4295

Rolamentos, equívocos na lubrificação

Rolamentos são elementos de máquinas e equipamentos que restringem o movimento relativo apenas ao movimento desejado. E tem como grande benefício também a redução do atrito entre as partes móveis.

A concepção do rolamento pode, por exemplo, proporcionar um movimento linear livre da parte móvel ou uma rotação livre em torno de um eixo fixo. A maioria dos rolamentos facilita o movimento desejado de transmissões e sistemas mecanizados minimizando o atrito.

Os rolamentos são classificados amplamente de acordo com o tipo de operação, os movimentos permitidos ou as direções das cargas (forças) aplicadas às peças.

Os rolamentos tem como uma das funções essenciais a transferência de cargas axiais e radiais da fonte da carga para a estrutura que a suporta. Existe uma grande variedade de designs de rolamentos para permitir que as demandas da aplicação sejam atendidas corretamente para máxima eficiência, confiabilidade, durabilidade e desempenho.

Lubrificação dos rolamentos

A lubrificação em rolamentos tem como principal função o de reduzir o atrito entre as pistas e o elemento girante (esferas, agulhas ou rolos). Mas temos muitos temas onde se discutem sobre a lubrificação dos rolamentos. E vamos aqui tentar elucidar alguns debates onde sempre acontecem algumas divergências.

As probabilidades da necessidade de ter que relubrificar rolamentos mais de uma vez por ano são grandes. O cronograma de relubrificação será afetado por alguns fatores, como o tipo de aplicação, velocidade necessária e o ambiente ao qual está inserido.

O uso mais pesado e ambientes mais agressivos provavelmente significarão relubrificações mais frequentes. Se os rolamentos forem pouco usados e operarem em condições ideais, é possível que seja feita uma relubrificação anual.

De qualquer forma, é importante configurar um cronograma regular de lubrificação para garantir que os rolamentos de máquinas e equipamentos estejam sempre em condições ideais de uso.

As rodas da indústria giram em rolamentos, então por que as rodas muitas vezes vibram, rangem, arrastam e superaquecem? Os rolamentos podem falhar por vários motivos.

A maioria das falhas dos rolamentos em geral está relacionada à sua lubrificação e contaminação. Alguns equívocos de uma geração de manutentores para outra ajudam a perpetuar muitos problemas facilmente evitáveis. Esses equívocos ou práticas erradas se enquadram em três áreas gerais de uso de rolamentos: instalação, aplicação incorreta e lubrificação.

Os equívocos e práticas erradas

A ideia aqui é reforçar a importância das boas práticas de lubrificação, não só de rolamentos, mas para todos os mecanismos que se faz necessário o uso de lubrificantes. A seguir vamos elencar algumas situações onde se pode cometer equívocos sobre a lubrificação em rolamentos.

A relubrificação de rolamentos uma vez por ano é suficiente

Toda máquina ou equipamento são dotados de mecanismos e transmissões que usam o rolamento, de diversos tipos e tamanhos. O que precisamos ter conhecimento é que sempre teremos as recomendações dos fabricantes quanto ao tipo de lubrificante, quantidades e intervalos de lubrificação.

Um fator importante é que as quantidades e intervalos são pontos de partida sugeridos. É fato que os intervalos reais de lubrificação podem variar um pouco, dependendo da carga, velocidade, temperatura ou condições ambientais. Aplicações com velocidades e temperaturas mais altas ou contaminação pesada às vezes requerem relubrificação mais frequente.

Por outro lado, um rolamento de esferas montado em um ambiente limpo, de baixa velocidade e com pouca carga pode funcionar bem com a relubrificação em intervalos bem maiores. Certas aplicações podem precisar ser monitoradas e os intervalos/quantidades de lubrificação ajustados.

A relubrificação reabastece a graxa quando a graxa atual se decompõe ou se deteriora porque o óleo base se decompõe devido à temperatura. Sem isso, a propriedade lubrificante desaparece e o resultado é o contato metal-metal. A relubrificação do rolamento reabastece o óleo, mantendo a película adequada.

Sempre adicione graxa até que ela saia pela vedação dos rolamentos

Se você bombear graxa no rolamento até que ele vaze pela vedação, você provavelmente encheu completamente a cavidade do rolamento. O excesso de graxa pode aumentar a temperatura de operação e criar pressão suficiente para estourar a vedação.

Isso não procede como uma lubrificação correta, mesmo porque ao relubrificar um rolamento, a quantidade de graxa nele existente já não é a mesma.

Portanto é importante seguir as recomendações do fabricante da máquina ou equipamento. E na falta dessa informação, procurar um profissional da área de rolamentos vai ajudar a resolver essa questão.

Se um rolamento faz barulho, deve-se adicionar graxa

Se um rolamento estiver fazendo barulho, provavelmente já ocorreu um dano interno. Isso só vai aumentar os danos com o tempo, e com grande potencial para falhas catastróficas.

A adição de graxa pode proporcionar alívio temporário, mas um rolamento barulhento deve ser monitorado de perto e substituído na primeira oportunidade. A causa raiz do problema também deve ser investigada pela Manutenção com uma análise de falha.

Sendo graxa, qualquer uma serve

As graxas diferem uma das outras por diversos fatores em sua composição sendo cada uma delas recomendadas para cada tipo de aplicação. Normalmente os diversos tipos de graxas podem ser incompatíveis devido aos diferentes espessantes (sabões) utilizados.

Quando duas graxas incompatíveis são misturadas, elas podem engrossar e endurecer ou tornar-se finas e vazar do rolamento. Os tipos de graxa também podem ser incompatíveis entre si com base na viscosidade ou no tipo de óleo na graxa. E mesmo porque não há necessidade de ficar misturando graxas, isso não faz o menor sentido.

Veja mais sobre esse importante lubrificante: Graxas, conceitos e aplicações

Mais graxa em rolamentos melhora sua refrigeração

Totalmente equivocado esse pensamento e com certeza o efeito é o contrário, vai esquentar ainda mais. As graxas dos rolamentos não fornecem resfriamento e, se preencher todos os espaços vazios com a graxa será pior.

Isso afetará a capacidade do rolamento de dissipar o calor gerado pelo atrito normal. Ou seja, vai esquentar ainda mais, se a intenção era resfria-lo.

Embalagem fechada, pode guardar em qualquer lugar

Os lubrificantes de rolamentos não podem ser armazenados em ambientes sujos e empoeirados, pois podem ser facilmente contaminados. Portanto, é importante armazenar os lubrificantes de rolamentos numa área adequada.

Deve ser um ambiente seco, fresco e limpo, onde os recipientes possam ser facilmente manuseados. E essa premissa de armazenagem  vale para todo e qualquer tipo de lubrificante, não só especificamente para rolamentos.

Veja mais sobre a importância do armazenamento adequado de lubrificantes em: Contaminação dos lubrificantes

Conclusão

Não basta ter um bom plano de lubrificação para rolamentos e outros itens, a realização correta e técnica dessa atividade é essencial. As falhas em máquinas e equipamentos tem uma grande participação de problemas com rolamentos.

O modo de se fazer a lubrificação não pode existir o “eu acho” ou “pode ser”. É importante executar essa atividade com base em informações técnicas e realizar baseado nas boas práticas de manutenção.

Eliminar essa possibilidade de falha na lubrificação de rolamentos é o que se espera da Manutenção. Com certeza muitos podem dizer que os equívocos mencionados são coisas obvias e que não acontecem mais, mas acreditem, isso ainda é muito comum de acontecer.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *