Manutenção contribuindo na crise

Luis Cyrino
6 jul 2015
11
4222

Manutenção e sua contribuição em tempos de crise

Manutenção – Em tempos de crise quer sejam por motivos externos ou internos das organizações, uma das principais medidas adotadas de imediato pelas empresas é o corte dos seus custos, quer seja por meio de corte de investimentos, diminuição dos volumes de produção, cortes de treinamentos e inclusive o que menos se espera que é por meio das demissões.

Essa premissa é comum pois em situações de crise, a área de custos de uma empresa torna-se um fator crítico do negócio, que pode garantir ou não sua sobrevivência no mercado.

Principalmente quando a crise é por motivos externos, o mercado que se torna hostil devido aos preços que precisa praticar, suas demandas em baixa, além de suas necessidades como todos em baixar seus custos.

Na contramão dessa crise podemos criar oportunidades para se ganhar espaço frente aos concorrentes através de iniciativas e pró atividade de seus funcionários em buscar saídas inteligentes.

Nesse cenário de dificuldades vamos tentar entender e sugerir como a área de Manutenção pode se antecipar e mostrar que pode propor ações que venham a melhorar os processos de produção mesmo com restrição de gastos para efetuar esses trabalhos.

Por iniciativa da Gestão é preciso se antecipar e mostrar empenho, disponibilidade e se oferecer para fazer algo, modificar, melhorar ou criar alterações a baixo custo identificando e criando alternativas que possam melhorar o desempenho das máquinas e equipamentos e como consequência possibilitando um a maior eficiência e confiabilidade nos ativos da empresa.

Passei por vários momentos de crise nas empresas onde trabalhei e sabemos que os cortes começam até com o famoso cafezinho e o chocolate, horas extras nem pensar e pedir um aumento então passa a ser um crime.

Na Manutenção não é diferente e acredito que ainda pior, então podemos citar o corte de aquisição de peças e componentes para melhorias, ferramentas, os investimentos são suspensos e o pedido básico da gerência é “cortar gastos a todo custo”.

Sugestões de iniciativas da Manutenção:

Abrir grupos de melhorias identificando junto à Produção e dados do PCM, as máquinas e equipamentos mais deficientes;

Levantar junto à gerência a possibilidade de uso de um mínimo do orçamento para os trabalhos em conjunto com a utilização de recursos internos (estoque, retrabalho de peças e possível fabricação interna);

Fazer um trabalho em conjunto com alguns fornecedores de peças e componentes na busca por inovação e preços competitivos no intuito de baixar custos e elevar o desempenho de máquinas e equipamentos;

Intensificar os trabalhos em grupo de análise de falhas buscando eliminar os excessos de paradas em eventos ou em excesso de horas de manutenção corretiva;

Revisar todos os procedimentos de Manutenção buscando melhorar os métodos e processos de todas as atividades do setor aumentando sua eficiência nas suas intervenções;

Se não tem, criar um plano de melhorias baseado em sugestões entre as áreas de Manutenção, Produção, Qualidade e Processos com foco no desempenho de máquinas e equipamentos com algum tipo de premiação, isso funciona pode acreditar.

Conclusão

Sabemos que a maioria dessas sugestões já devem fazer parte de uma boa gestão da Manutenção e também sabemos que em muitas empresas isso não é feito. De qualquer modo para quem já pratica, nessas horas é buscar intensificar essas atitudes e para quem não pratica, está na hora de começar e tornar isso uma cultura da área de Manutenção.

São algumas sugestões de ações que se bem trabalhadas em conjunto com diversas áreas com certeza trarão ótimos resultados, basta querer e motivar suas equipes a trabalharem juntas nesses momentos onde a criatividade, inovação e pró atividade fazem uma grande diferença, e então vamos trabalhar essa ideia?

Nessa situação de contribuir na crise temos uma matéria no link abaixo que trata de uma situação bem comum e debatida na área de Manutenção. O que é mais fácil ou melhor, trocar ou recuperar uma peça? Veja que interessante esse tema, confiram.

Manutenção, trocar ou recuperar?

Comentários

11 respostas para “Manutenção contribuindo na crise”

  1. Carlos antero disse:

    Revisar todos os procedimentos de Manutenção buscando melhorar os métodos e processos de todas as atividades do setor aumentando sua eficiência nas suas intervenções;isso inclui a metologia de analise de troca de peças como por exemplo alguns programas inclui tempo de vida útil para rolamentos em que muitas vezes não é avaliado a situação real do equipamento em que esta sendo usado esse rolamento e sim o tempo do programa de manutenção

  2. Lenon disse:

    Bem oportuno este tema!
    Gostei das iniciativas e sugestões.
    Continuo o assunto trazendo uma provocação: Em empresas de serviços, onde a manutenção predial é predominante, como contornar as expectativas dos usuários?
    Abs

    • Luis Cyrino disse:

      Olá Lenon, boa provocação a sua. Se entendi bem seu questionamento, penso que onde predomina os serviços de manutenção Predial uma das alternativas que eu apresentaria seriam:
      1- campanha de conscientização dos usuários em geral das instalações no intuito de preservar a integridade dos ambientes e instalações evitando assim constantes necessidades de serviços e materiais;
      2- conscientizar os colaboradores da Manutenção a evitarem a qualquer custo os desperdícios fazendo uso racional dos materiais diversos;
      3- igualmente descrito na matéria, um trabalho com fornecedores na busca de preços mais competitivos no intuito de baixar os custos dos materiais.

      • Carlos antero disse:

        em se tratando de matérias utilizados como peças de reposição é muito comum grande parte dos colaboradores preferir trocar por uma nova e nunca tentar concerta a que apresentou um defeito
        o ao menos procurar o motivo pelo qual apresentou o defeito e quando vem fazer isso já tem quebrado ou queimado a peça nova.

  3. Sandro Olkiveira de Souza disse:

    Concordo com o que todos já disseram até o momento, na verdade são ações que já fazem parte do dia dia da manutenção, somente serão intensificados neste momento de crise. Penso que para “somar” às ações propostas deveríamos fazer uso da “Manutenção Preditiva”: vibração, termografia, análise de óleo e etc. Dessa forma estaríamos intervindo menos nos equipamentos além de prolongar a vida útil dos mesmos. O investimento é alto no início mas os custos são compensados com os ganhos. Atuei em uma empresa onde nós conseguimos reduzir as quebras em 80% e com consequente aumento de produção. Seria uma manutenção mais “cirúrgica”.

  4. Anderson GreGhi disse:

    Concordo, o momento é delicado a manutenção preventiva agora mais do que nunca será uma excelente parceria para contermos gastos com quebras inesperadas.

  5. Marcio Martins disse:

    Como conceito de MANUTENÇÃO, acredito que tudo o que foi exposto e colocado como “açoes em tempo de crise” deveria ser o dia a dia em uma área de manutenção. Caso contrário seria apenas um setor de trocadores de peças e/ou equipamentos.

    • Luis Cyrino disse:

      Olá Marcio, você tem razão em seus comentários mas coloco uma dúvida, o que seria “conceito de manutenção”? Numa interpretação de alto nível contemplaria todas as ações sugeridas e muito mais mas infelizmente na prática não é o que acontece senão não seriamos taxados por muitos de um mal necessário. O ser humano em sua essência faz sempre o necessário, são poucos os que se cobram por fazerem o algo mais e acabam por serem bem sucedidos em sua profissão, então vejo em situações como o que estamos passando que podemos incentivar, motivar e provocar as equipes para entrar em campo e contribuir com o algo mais, é isso que tentei passar nessa matéria. Seria maravilhoso que a manutenção agisse dessa forma sempre mas não é isso que acontece infelizmente e falo por experiência de mais de doze anos como gestor de Manutenção.

  6. Marcio Martins disse:

    Luis, não discordo em nada do que você coloca em sua matéria e também, sei por anos de vivência na área de manutenção, que muitas coisas como as relacionadas por você, infelizmente, ocorrem.
    Meus comentários foram com a intenção de gerar desconforto somente naqueles que insistem em permanecer no básico.
    Um abraço.

  7. Ronney disse:

    É hora de fugir do corriqueiro, os profissionais de manutenção precisam identificar atividade antes terceirizadas e assumir, contribuindo assim com o racionamento de custos e provendo atividades para a area, que pode estar em baixa com a cris, gerando assim o risco de diminuição do quadro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *