Programação da parada de Manutenção

Luis Cyrino
26 jun 2015
0
6142

 PCM – Programação da parada

Conforme abordado na matéria anterior, iniciamos as fases do planejamento da Manutenção com o tópico “Cronograma” e nesta matéria falaremos sobre a programação da parada, ou seja, a definição ou confirmação da data da intervenção da manutenção em determinada máquina ou equipamento.

Com o cronograma elaborado e tempo definido para a intervenção, faz-se a programação junto às áreas da Produção e do PCP (Programação e Controle da Produção).

Definir ou confirmar essa programação de parada?

Quando falamos em “definir uma data” é quando o cronograma de serviços se refere a uma parada não programada ou em casos onde a empresa não trabalha com   uma programação por meio de um cronograma anual onde estão ali definidas todas as paradas de Manutenção, principalmente as manutenções preventivas.

E quando falamos em “confirmar a data” é quando a empresa é contemplada com esse cronograma anual já descrito acima, podendo até haver pequenas alterações quanto a data de parada conforme decisão das áreas envolvidas.

Quem participa dessa programação?

Independente de definição ou confirmação dessa parada existe a necessidade dessa reunião para o acerto dessa data com representantes das áreas de Manutenção, Produção e PCP (Programação e Controle da Produção).

Normalmente as partes envolvidas tem seus próprios interesses como área de trabalho e que podem gerar algumas diferenças em particular, ou seja:

Manutenção:

Defende a parada para aumentar a confiabilidade do equipamento, diminuição das intervenções corretivas e como consequência uma melhora nos seus indicadores.

Pode querer postergar a parada por problemas de mão de obra insuficiente (férias, afastamentos, etc.) ou pela falta de peças e componentes para a manutenção devido a atrasos de entrega entre outros;

Produção:

Defende a parada para aumentar sua produtividade, eficiência nos processos e como consequência uma melhora nos seus indicadores ou postergar essa parada por necessidades de produção para fechamento de lotes de certos produtos, mês com baixa produtividade do setor, pedidos de produção de última hora, etc.;

PCP:

Com certeza trata-se da área onde acontece a maior resistência para se parar máquinas ou equipamentos de produção pois hoje em dia os lotes de produção estão cada vez menores devido à alta diversidade desses lotes.

E isso afeta sobremaneira sua programação junto a área de vendas e paradas de produção sempre são alvos de muita negociação.

Conclusão

Como podemos notar nessa matéria, a programação envolve a utilização de recursos humanos das áreas envolvidas na busca de um consenso onde o objetivo foco é a produtividade, confiabilidade e a preservação dos ativos da empresa e como resultado final a competitividade no mercado que hoje sabemos, anda muito acirrada.

Nesse contexto deve-se buscar o ótimo entendimento entre as partes e cuja definição final seja de bom tamanho para a empresa e não a busca pelo interesse de um único setor pois quando um ganha tem outro que perde, então temos que trabalhar pelo entendimento inteligente onde todo mundo sai ganhando.

Vejam no link abaixo uma das atividades muito importantes do planejamento e controle da manutenção, trata-se da  elaboração das instruções de trabalho. Entenda como e porque fazer essas instruções. Deixe seu comentário, sua opinião é muito importante.

PCM – Instrução de trabalho / POP

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *