WCM e o pilar da Manutenção Autônoma

Luis Cyrino
3 dez 2019
0
208

WCM e o pilar da Manutenção Autônoma

WCM (World Class Manufacturing), apenas reforçando seu conceito básico, é uma metodologia muito utilizada hoje em dia na busca de um padrão de melhoria contínua.

Suas premissas se baseiam no desempenho e nos métodos alcançados pelas empresas líderes globais. Ao longo do tempo no uso dessa metodologia, essas empresas acumularam suas experiências e criaram definições de World Class Manufacturing, referindo-se aos seguintes conceitos:

  • Engenharia Industrial Total (TIE);
  • Controle Total de Qualidade (TQC);
  • Manutenção Produtiva Total (TPM) e;
  • Just in Time (JIT).

Portanto, os conceitos básicos da metodologia WCM trabalham referendadas nessas várias metodologias. Trazem uma sequência de necessidades baseadas na seguinte lógica:

  1. Organização do local de trabalho onde se baseia na metodologia TIE – Total Industrial Engineering – que garante a produtividade, sem desperdícios.
  2. Qualidade baseada na metodologia TQC – Total Quality Control – melhoria da Qualidade, sem defeitos.
  3. Manutenção baseada na metodologia TPM – Total Productive Maintenance – capacitação da Produção e Manutenção, sem falhas.
  4. Logística baseada na metodologia JIT – Just in Time – tempo certo para todos os processos, sem estoques.

WCM e seus principais objetivos:

  1. Maximização dos resultados do sistema de produção no âmbito dos programas logísticos e de acordo com o objetivo de qualidade assumidos.
  2. Ganho de competitividade por meio da evolução contínua do sistema produtivo, de modo a eliminar perdas em todas as fases dos processos. Nesse conceito as premissas são: sem acidentes, sem defeitos e sem falhas.
  3. Melhoria contínua de habilidades, competências e conhecimentos dos colaboradores, por meio de métodos e ferramentas da metodologia WCM.

Um dos principais pilares técnicos da metodologia WCM no meu entendimento, sem dúvida é o pilar da Manutenção Autônoma. Juntamente com o pilar da Manutenção Planejada ou Manutenção Profissional, se constituem em dois dos pilares chave para o sucesso do programa.

WCM e os 7 Passos do Pilar da Manutenção Autônoma (MA)

Entre a fase inicial até o passo 3 é onde os esforços do programa estão focados na mudança da máquina.

Passo 0 ou Inicial – Preparação inicial

  • Análise desdobramentos de custos
  • Análise Lay Out e classificação da máquina
  • Definição das metas
  • Formação do grupo de trabalho
  • Planejamento do projeto de Manutenção Autônoma

Passo 1 – Recuperar as condições básicas da máquina

  • Limpeza Inicial e inspeção
  • Remover a sujeira de “todas” as partes da máquina
  • Identificar as fontes de sujeira, lugares de difícil acesso
  • Remover os objetos inúteis e criar ordenação e limpeza
  • Tratar as anomalias de forma sistemática

Passo 2 – Identificação das fontes de sujeira e realizar contra-medidas

  • Eliminar as fontes de sujeira e áreas de difícil acesso
  • Implementar contra-medidas aos pontos identificados
  • Reduzir o tempo de limpeza, inspeção e lubrificação

Passo 3 – Elaboração do padrão inicial da Manutenção Autônoma

  • Criar padrões para limpeza, inspeção, lubrificação e reaperto
  • Melhorar a eficácia dos controles
  • Zerar as quebras devido a condições básicas

Já a partir do passo 4 mais o passo 5 espera-se uma mudança de comportamento e atitude nas pessoas.

Passo 4 – Conduzir inspeções gerais nas máquinas e equipamentos

  • Desenvolver competências para realizar inspeções
  • Desenvolver competências para qualidade dos produtos
  • Maximizar a utilização do equipamento através da inspeção geral
  • Melhorar e facilitar o controle

Passo 5 – Conduzir inspeções gerais no processo

  • Fornecer instruções sobre o processo
  • Métodos para administrar fenômenos anormais
  • Prevenir contra a duplicação de controles
  • Integração dos padrões da máquina aos padrões da área ou processo

E para concluir com êxito a implantação do pilar MA, nos últimos passos espera-se a consolidação de uma mudança do local de trabalho com novos métodos e procedimentos de trabalho.

Passo 6 – Institucionalizar a Manutenção Autônoma

  • Reduzir a variação do tempo de ciclo
  • Melhorar os procedimentos de setup
  • Instituir um sistema de autogestão nas estações de trabalho, de peças sobressalentes, ferramentas, do produto final

Passo 7 – Praticar a completa autogestão da Manutenção Autônoma

  • Analisar constantemente as informações para aumentar a sua confiabilidade;
  • Estabilizar as condições de como se operam as máquinas e equipamentos;
  • Incremento das competências operacionais da equipe;
  • Padronizar melhorias e aumentar ciclo de vida de máquinas e equipamentos.

Para se conseguir o sucesso das etapas de implantação do pilar da Manutenção Autônoma, a parceria com o pilar da Manutenção Profissional é fundamental.

Toda a teoria praticada pelos pilares, tanto técnicos como os administrativos, só terá resultados com o perfeito sincronismo desses dois pilares. É com a ação conjunta desses pilares que os resultados se tornarão visíveis e palpáveis.

Toda essa teoria precisa ser aplicada corretamente no chão de fábrica, e as áreas de Produção e Manutenção é que precisam se encarregar disso. Claro que o conjunto de todos os pilares faz toda a diferença para o sucesso da metodologia.

Apenas reforço a extrema importância desses dois pilares funcionarem bem, de forma a colher resultados de toda essa teoria.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *