Manutenção Profissional, pilar do WCM

Luis Cyrino
17 jun 2019
0
1671

Manutenção Profissional, pilar do WCM

Manutenção Profissional é um dos 10 pilares técnicos da metodologia WCM, o PM – Professional Maintenance, tem como objetivo principal alcançar a quebra zero.

É importante ressaltar que o WCM (World Class Manufacturing) é um programa baseado em alguns conceitos de outros métodos que vem fazendo a diferença por muitos anos em empresas de grande porte.

Quando falamos do pilar da MP – Manutenção Profissional do WCM, podemos dizer que é um espelho do pilar MP – Manutenção Planejada da metodologia TPM.

Portanto, os conceitos básicos da metodologia WCM trabalham referendadas em várias outras metodologias. São elas, Controle Total de Qualidade (TQC), Manutenção Produtiva Total (TPM), Engenharia Industrial Total (TIE) e Just in Time (JIT).

Os sete passos de implantação – Pilar Manutenção Profissional (PM)

Como todo sistema novo a ser implantado, temos os passos ou etapas a serem seguidos. Segue abaixo de forma resumida, as características básicas para implantação de cada passo do pilar da manutenção Profissional:

Passo 0 ou Inicial – Atividades preliminares de preparação

São muitas as atividades que fazem parte da etapa inicial, é fundamental a boa preparação para a implantação das etapas ou passos seguintes. Dentre essas muitas atividades importantes, podemos elencar as principais como:

  • Definição das máquinas piloto conforme sua criticidade
  • Gestão de peças de reposição e dos lubrificantes
  • Definição do fluxo de trabalho e estratégias da Manutenção
  • Gestão de análise de quebras
  • Gestão dos indicadores – KPIs
  • 5S nas áreas da Manutenção e de Sobressalentes
  • Treinamento dos passos de implantação do pilar

Passo 1 – Eliminação e prevenção da deterioração acelerada

Neste passo as atividades estarão focadas em compreender as condições atuais da máquina piloto e combater a sua deterioração. Nesta etapa o trabalho em conjunto com o pilar da manutenção autônoma é essencial para que o programa alcance seus objetivos. As atividades básicas nesse passo 1 são:

  • Análise e compreensão da máquina e seus componentes
  • Estratificação das quebras
  • Suporte à MA nos três primeiros passos
  • Definição do layout da máquina em conjuntos e subconjuntos

Passo 2 – Analise das quebras e reversão do desgaste

Neste passo a função básica está concentrada na tratativa das quebras de máquinas e equipamentos. É necessário entender esses eventos fazendo as análises dessas quebras, suas tratativas e algumas definições. As atividades estão baseadas em:

  • Análise das quebras
  • Fazer o mapeamento das quebras (tipologia)
  • Definição, analise e tratativa das pequenas paradas
  • Documentar as quebras, as análises e os reparo de forma sistemática

Passo 3 – Definição dos padrões de manutenção periódica

Neste passo são trabalhados os métodos e padrões de como a manutenção vai intervir nas máquinas e equipamentos. Trabalhar na definição das estratégias de sobressalentes e dos programas de preventiva. Basicamente as atividades são:

  • Avaliação dos componentes (TGPC)
  • Definir os conteúdos dos padrões de preventiva
  • Documentar os procedimentos padrões
  • Implementar atividades de preventiva

Passo 4 – Atuação nos pontos fracos das máquinas e aumento da vida média dos componentes

Neste passo o foco é trabalhar nos programas de melhorias das máquinas e equipamentos. Através dos indicadores como OEE, MTTR e MTBF, identificar os pontos fracos e propor ações de melhorias. As atividades básicas são:

  • Identificar pontos fracos da máquina
  • Implementar atividades de melhoria focada
  • Realizar análise do custo/benefício das melhorias
  • Implementar, monitorar e examinar as tendências e realizar a sustentabilidade

Passo 5 – Preparação de um sistema de Manutenção Preventiva

Neste passo deve-se definir um plano de manutenção preventiva de máquinas e equipamentos (mapa das 52 semanas) e se estruturar para que isso aconteça. As atividades principais são:

  • Melhorar a manutenibilidade da máquina
  • Melhorar a gestão e o controle da manutenção
  • Melhorar a segurança da máquina
  • Elaboração de planos de manutenção e lubrificação

Saiba mais sobre o Mapa das 52 semanas, clique AQUI

Passo 6 – Preparação de um sistema de Manutenção Preditiva

Nesta fase do programa deve-se implantar a estratégia da manutenção preditiva introduzindo as técnicas de monitoramento e diagnóstico. Algumas das atividades esperadas são:

  • Aprofundar as técnicas e as tecnologias de preditiva
  • Escolher os componentes mais críticos (TGPC)
  • Desenvolver tecnologias e aparelhos de diagnóstico
  • Realizar atividades de diagnósticos preditivos

Passo 7 – Sistema de Manutenção e Gestão de Custos

No passo final do pilar da manutenção profissional, com as outras etapas em pleno e correto funcionamento, se faz necessário uma gestão com base em um banco de dados da Manutenção. Avaliar todas os passos anteriores e a partir de todos eles implementados, fazer toda a gestão de informações, gestão dos custos e planejamento da Manutenção.

Conclusão

Como vemos, o pilar da Manutenção Profissional ou Planejada do WCM, tem em suas etapas de implementação as mesmas características do pilar MP da metodologia TPM. O objetivo foco é buscar a quebra zero a todo custo por meio de uma estruturação da Manutenção.

Fazer isso com capacitação, melhores métodos, melhoria contínua e principalmente, uma parceria com as equipes de produção através do pilar da Manutenção Autônoma.

Em algumas literaturas tem algumas diferenças de nomenclatura e números de etapas ou passos, mas basicamente é tudo a mesma coisa. Afinal a ideia central da metodologia WCM está centrada nos conceitos de outras metodologias que a suportam, como já vimos anteriormente.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *