Borra no motor, cuidado com isso!!

Luis Cyrino
17 jun 2021
2
353

Borra no motor, cuidado com isso!!

Borra é um termo comumente utilizada no mundo automotivo relacionado ao óleo do motor. Borra é basicamente uma nata preta originada pelo espessamento do óleo lubrificante do motor.

A decomposição das propriedades do óleo devido a vários fatores como seu envelhecimento, causa a formação de vernizes e depósitos nas galerias de lubrificação e nas peças internas do motor. Isso é simplesmente crítico para a vida do motor pois a lubrificação interna do mesmo fica totalmente comprometida.

Portanto vale a ressalva que um dos aspectos mais importantes da manutenção de um veículo, seja qual linha for, é a troca regular do óleo do motor.

Em termos simples, essa borra ou lama são camadas espessas que se depositam nas paredes internas do motor e no cárter. Esse material de alta viscosidade é um subproduto do óleo de motor já sem suas propriedades básicas, que oxida e gruda no motor.

Uma camada fina dessa lama pode não ser problemática, mas se persistir em se formar e nada for feito, com o tempo vai aumentar.

E a medida que as camadas ficam mais espessas, essa borra pode obstruir as partes internas do motor. Isso vai interromper ou limitar o fluxo de óleo do motor.

Como essa borra é formada?

Como o óleo do motor é instável, ele oxida quando exposto ao oxigênio e a altas temperaturas. A oxidação pode ocorrer rapidamente quando o óleo continua a ser mantido em temperaturas extremas por um longo período de tempo.

As moléculas do óleo do motor se quebram durante a oxidação e se combinam com sujeira, combustível, partículas metálicas, água e gases.

Essa combinação oxidação e sujidades se transforma nessa borra, tão indesejada para a saúde do motor. Essa borra armazena calor em vez de liberá-lo, o que dificulta o trabalho do radiador e do sistema de refrigeração.

Essa borra de óleo também pode se formar nos motores a diesel, embora não com tanta frequência. O processo é um pouco diferente, mas os motores a diesel têm níveis mais altos de combustível não queimado e fuligem de combustão. Esses contaminantes se acumulam com o tempo, fazendo com que o óleo fique mais espesso, formando a borra.

Principais causas da borra em motores

Segundo informações da BR lubrificantes, os problemas de presença de borra em motores são decorrentes, principalmente, dos seguintes fatores:

  1. Uso do óleo lubrificante incorreto no motor

Geralmente quando se utiliza um lubrificante com nível de desempenho inferior ao recomendado pelo fabricante do veículo. Mesmo reduzindo o período de troca, pode haver problemas de formação de borra devido ao envelhecimento (oxidação) precoce do lubrificante.

  1. Uso extra de aditivos

Não é recomendado o uso extra de aditivos suplementares de desempenho em óleos lubrificantes. Os óleos lubrificantes de qualidade já possuem todos os aditivos para que seja cumprido o nível de desempenho ao qual foi desenvolvido.

Não há testes padronizados que avaliem o desempenho de mistura de óleos com aditivos extras. Pode haver incompatibilidade entre o óleo lubrificante e o aditivo suplementar, e a borra é uma consequência desse problema.

Saiba mais sobre Aditivos, clique AQUI

  1. Combustíveis adulterados

O uso de gasolina adulterada pode gerar borra no cárter. O óleo lubrificante é contaminado por subprodutos da queima do combustível durante sua vida útil. Essa contaminação ocorre e faz parte da operação do motor.

Mas se o combustível for adulterado, estes subprodutos serão de natureza diferente, e resíduos com aspecto de resina poderão se formar no motor, aumentando a probabilidade da formação de borra, entupindo passagens de óleo e prejudicando a lubrificação e refrigeração interna do motor.

  1. Extensão do período de troca

Mesmo utilizando o óleo correto e combustível de qualidade assegurada, períodos de troca além do recomendado podem levar à formação de borra, devido ao excesso de contaminação e de oxidação do lubrificante. Nos manuais dos veículos, há a informação dos quilômetros recomendados para cada intervalo de troca.

É importante diferenciar o tipo de serviço para cada tipo de veículo. Essa informação nem sempre está clara nos manuais, e, se não for observada com atenção, problemas de borra podem ocorrer.

Conclusão

Portanto como podemos avaliar pelas causas do surgimento dessa borra, não se pode “inventar” quando o assunto é óleo do motor.

Temos que seguir as recomendações do fabricante e nos cuidar quando surgem os chamados “palpiteiros de plantão” dizendo que faça isso ou aquilo, eu já fiz isso e coisas do tipo.

A lubrificação é a parte essencial de um motor automotivo e menosprezar essa premissa é dor de cabeça na certa e muito prejuízo no bolso.

Fica claro que para evitar essa borra de óleo, a prevenção é o melhor remédio, faça a manutenção do veículo da sua frota nos intervalos regulares sugeridos pelo fabricante. E certifique-se de que são usados ​​óleos e filtros de boa qualidade e que são adequados para o veículo.

Para aqueles veículos que são usados de uma forma que o fabricante considera severa, como muitas paradas e partidas, considere fazer uma verificação de óleo com mais regularidade. E também considerar como condição severa o uso em estradas de terra ou em condições de difícil dirigibilidade.

Nesses casos pode ser sugerido que o tempo de troca de óleo e filtro seja em períodos menores que o recomendado. Essas condições se aplicam bastante para os veículos da linha amarela e caminhões Off Road, comuns no campo e mineração.

 

 

Fonte:

http://www.br.com.br/

https://www.microgreenfilter.com/remove-engine-sludge/

Comentários

2 respostas para “Borra no motor, cuidado com isso!!”

  1. Arsénio Elmano Sande Tomo disse:

    A informação foi muito relevante pois num passado muito recente o motor de uma das minhas viaturas acabou gripando…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *