Classificação de materiais dos estoques

Luis Cyrino
4 ago 2019
0
1832

Classificação de materiais dos estoques

Classificação de materiais formam grupos ou classes de itens necessários à manutenção, aos serviços administrativos e à produção de bens e serviços. Podem ser classificados de diversas formas, seja em relação à sua aplicabilidade dentro da organização, ao tempo de duração ou a outro critério desejado.

A Classificação e sua Importância

A classificação dos itens de estoque, seja ele para as diversas finalidades, é um procedimento necessário a fim de racionalizar o controle de materiais em estoque.

Trata-se de um procedimento de aglutinação de materiais por características semelhantes, servindo de informação gerencial do administrador de materiais.

Isso faz com que o gestor se torna capaz de voltar sua atenção a determinadas categorias de materiais, em vez de tentar, em vão, lidar com uma infinidade de itens de materiais.

Sem uma classificação de materiais bem definida, seria quase impossível o gestor de materiais administrar seus estoques. Ao classificar itens de materiais visa-se prover informação gerencial ao tomador de decisão, tornando possível elencar prioridades e estabelecer rotinas operacionais eficientes.

Classificar materiais

  • É agrupá-lo segundo sua forma, dimensão, peso, tipo e uso, para não ser confundido com outro e gerar confusão,
  • Deve ser feita de maneira que cada gênero de material ocupe seu respectivo local.
  • Ordenar segundo critérios para que não ocorra a dispersão no espaço e alteração na qualidade.

Atributos de classificação de materiais

Para Viana (2000) são três os atributos de um bom sistema de classificação:

  • Praticidade: deve ser simples, sem demandar do Gestor procedimentos complexos.
  • Abrangência: A classificação deve abordar uma série de características dos materiais de forma abrangente. Aspectos físicos, financeiros, contábeis, o foco é a apresentação de diversas facetas de um item de material (dimensão, forma, acondicionamento.)
  • Flexibilidade: Sistema flexível é aquele que permite interfaces entre diversos tipos de classificação, de modo a obter uma visão ampla da gestão de estoque. Refere-se a comunicação entre os tipos de classificação, bem como a possibilidade de adaptar e melhorar o sistema de classificação sempre que desejável.

Etapas da classificação

Classificar é definir uma catalogação, especificação, normalização, padronização e codificação de todos os materiais componentes do estoque da empresa.

Catalogação

É o arrolamento de todos os itens de material existentes em estoque, permitindo uma ideia geral do conjunto.

Consiste em ordenar, de forma lógica, todo um conjunto de dados relativos aos itens identificados, codificados e cadastrados, de modo a facilitar a sua consulta pelas diversas áreas da empresa. Simplificar material é, por exemplo, reduzir a grande diversidade de um item empregado para o mesmo fim.

Simplificação

É a redução da diversidade de itens de material em estoque que se destinam a um fim idêntico. Caso existam dois itens de material que são empregados para a mesma finalidade, com o mesmo resultado – indiferentemente, opta-se pela inclusão no catálogo de materiais de apenas um deles.

É uma etapa que antecede a padronização. Da mesma forma, podemos dizer que a simplificação favorece a normalização.

Identificação ou especificação

É a descrição minuciosa do material possibilitando sua individualização em uma linguagem familiar ao mercado. Possibilita melhor entendimento entre consumidor e o fornecedor quanto ao tipo de material a ser requisitado.

Normatização

Estabelecimento de normas técnicas para os itens de material em si, ou para seu emprego com segurança. É necessária para a consecução da padronização em sua completude.

A entidade oficial de normalização no Brasil é a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Possibilita melhor entendimento entre consumidor e o fornecedor quanto ao tipo de material a ser requisitado.

Padronização

Uniformização do emprego e do tipo do material. Facilita o diálogo com o mercado, o controle e permite a intercambialidade de sobressalentes ou demais materiais de consumo (peças, cartuchos de impressoras padronizadas, bobinas de fax etc.)

Codificação

Atribuição de uma série de números e/ou letras a cada item de material, de forma que essa informação, compilada em um único código, represente as características do item. Cada item terá, assim, um único código.

Veja mais sobre estoques e a importância do Estoque de segurança, clique AQUI!!

Conclusão

É por meio da classificação que os itens em estoque são agrupados segundo determinados critérios, sejam eles peso, forma, dimensões, tipo, uso etc. O resultado é a otimização dos controles de estoque, dos procedimentos de armazenagem e da operacionalização dos almoxarifados (locais de armazenagem dos itens de material, na organização).

Ainda temos para finalizar essa classificação de materiais, os critérios a serem adotados como itens estocáveis ou não, sua aplicação, entre outros que veremos em outra publicação.

O que fica entendido a partir desse entendimento sobre a classificação dos materiais, é que o cadastro, guarda e todo o processo de formação de um estoque tem suas particularidades.

E também as necessidades que devem ser respeitadas para que a gestão dos estoques tenha um processo eficaz de todos os itens inseridos no sistema.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *