Desmistificando a manutenção preventiva

Luis Cyrino
17 jun 2022
0
226

Desmistificando a manutenção preventiva

A manutenção preventiva consiste em realizar manutenções planejadas antes que ocorra qualquer falha nos ativos de uma cadeia produtiva, justamente para evitar qualquer mal funcionamento.

A preventiva pode ser definida pelo: tempo (a cada 6 meses), utilização (a cada 500 utilizações) ou marcos (a cada 3.000 quilômetros).

Sua prática é essencial para elevar os índices de disponibilidade, confiabilidade e eficiência na cadeia de produção dos ativos. Ela requer um plano de manutenção bem estruturado e organizado, para que os seus objetivos sejam alcançados.

Apesar do termo ser popular a Preventiva se divide em dois tipos de manutenção:

A primeira chamada Manutenção Preventiva Baseada no Tempo (TBM): envolve atividades periódicas que podem incluir inspeção visual, limpeza e lubrificação, quase sempre realizadas em ativos mais críticos (A e B).

E a Manutenção Preventiva Baseada na Condição (MPC): realizada após o diagnóstico periódico, considera a análise de dados colhidos em tempo real, que ajudam definir com mais precisão como está a saúde do ativo naquele momento.

A diferença entre manutenção preventiva e preditiva

A principal diferença entre manutenção preventiva e preditiva é que a preventiva considera o reparo com certa frequência, antes da parada do ativo e caso o desgaste esteja visível — enquanto a preditiva acompanha a condição real do componente naquele momento, analisando dados extraídos do próprio ativo, como desbalanceamento, análise de vibração, horímetro etc.

Leia mais sobre a Manutenção Preditiva

 Para uma estratégia de manutenção preventiva é necessário fazer um planejamento que acompanhe, inclusive, as orientações do fabricante do ativo. Ela exige um acompanhamento frequente para preservar o ativo e não deixar que o desgaste diminua sua vida útil, prejudicando seu desempenho.

Já a preditiva exige um cuidado mais aprofundado. Ela envolve um acompanhamento contínuo das máquinas, para definir seu estado futuro por meio do histórico de dados coletados por sensores automatizados, como: vibração, temperatura, horímetro, pressão e outros.

Mas lembre-se: ambas as manutenções se completam. Conseguir combinar a manutenção preventiva e preditiva pode trazer inúmeros benefícios para a sua operação visto que um planejamento aliado a visão macro do que está acontecendo com o ativo possibilita uma tomada de decisão mais objetiva sobre qualquer reparo.

Vantagens da manutenção preventiva

Aplicar uma estratégia de manutenção preventiva ajuda a evitar inúmeros prejuízos com a parada de um ativo ou os custos de trocas de peças de forma repentina.

1. Eleva a confiabilidade do ativo

A confiabilidade dos ativos, analisada através dos dados de MTBF e MTTR, ajuda o gestor do departamento de manutenção a entender quanto o gestor pode confiar naquele ativo.

Isso garante que a produção seguirá o fluxo esperado por um período determinado.

Saiba como calcular a confiabilidade dos seus ativos

2. Alto índice de disponibilidade do ativo

A disponibilidade ajuda a visualizar por quanto tempo o ativo esteve disponível, funcionando normalmente, antes de apresentar falhas.

Com esse cálculo de probabilidade é possível saber com mais assertividade quanto o mantenedor pode confiar na produtividade daquele ativo em uma projeção futura.

Vale lembrar que a disponibilidade e a confiabilidade devem caminhar juntas, já que uma estratégia auxilia a outra no planejamento de manutenção preventiva, para melhorar a produtividade da operação.

3. Maior planejamento de ações

Definir uma frequência para inspeções na manutenção preventiva é essencial para uma gestão de manutenção eficiente. Com o planejamento assertivo, é possível reduzir desperdícios e otimizar recursos.

Assim, o gestor tem uma visão mais estratégica da operação, identificando as prioridades para cada atividade e os responsáveis, aumentando a qualidade do planejamento preventivo da sua planta industrial e evitando dores de cabeças com quebras repentinas.

Saiba como montar um plano de manutenção

Como aplicar a manutenção preventiva?

1. Conheça toda sua planta industrial

Comece identificando quais são os ativos mais críticos para a sua operação. Para isso, é preciso entender como cada ativo da sua planta impacta no processo de produção.

Com o método ABC é possível identificar o grau de prioridade do ativo utilizando os critérios de frequência de falhas potenciais, a dificuldade de detecção dessa falha e o impacto dela na sua operação geral.

Ao fazer essa mensuração você consegue priorizar os ativos que devem ter manutenções mais frequentes, calcular possíveis eventos de risco que podem vir a acontecer e inserir esses imprevistos dentro do plano.

2. Tenha um calendário de ações preventivas

Um calendário de ações preventivas é a chave para colocar em prática esse tipo de manutenção dentro da gestão da planta industrial.

Estabeleça qual a periodicidade dos reparos de cada ativo, de acordo com as informações do fabricante e nível de criticidade. Uma dica é utilizar o mapa de 52 semanas, considerando as atividades de curto e longo prazo. Lembre-se de priorizar os ativos mais críticos, de acordo com a classificação da etapa anterior!

3. Defina os responsáveis pela manutenção

Para a execução das ordens de serviço que estiverem estipuladas no calendário, é importante definir objetivamente três pontos: quem é o responsável, quando a manutenção deve ser feita e o que deve ser realizado. Com isso é possível fazer a gestão de todo esse processo de uma forma mais eficiente.

Feito isso, organize também os recursos necessários para desenvolver essas ações como as peças, ferramentas ou materiais.

4. Adote a tecnologia na indústria

Softwares de gestão de manutenção auxiliam os profissionais de manutenção e gestores a automatizar processos e centralizar a operação, deixando de depender de papéis e planilhas impressas e tornando o dia a dia mais eficiente.

Com um CMMS, como o TracOS™ da TRACTIAN, é possível gerenciar toda a sua árvore de ativos, centralizar o planejamento de manutenção de forma automatizada e criar planos preventivos.

Informações importantes como histórico de uso e indicadores de eficiência do ativo são atualizadas em tempo real.

Dessa forma, é possível ter múltiplas visões sobre os ativos, assim como estabelecer ordens de serviço, responsáveis, níveis de prioridade, data de vencimento e muito mais, de forma ágil e centralizada.

Fale com um dos especialistas da TRACTIAN e implemente planos preventivos na sua empresa!

 

Escrito por: TRACTIAN – Monitoramento online

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *