Ergonomia – NR-17

Luis Cyrino
2 jan 2018
0
657

Ergonomia – NR-17

Ergonomia é uma ciência preocupada com o “ajuste” entre as pessoas e sua interação com seus postos e seu ambiente de trabalho. Um dos principais perigos encontrados nos ambientes de trabalho e responsável por uma infinidade de doenças ocupacionais é o risco ergonômico.

A principal função ou preocupação da ergonomia é colocar as pessoas em primeiro lugar, levando em consideração suas capacidades e limitações. A ergonomia visa garantir que tarefas, máquinas, equipamentos, informações e meio ambiente se encaixem em certos padrões para cada trabalhador.

NR-17 trata sobre a ergonomia

A norma regulamentadora NR-17 trata de todos os parâmetros, regras e obrigações sobre as condições de trabalho quanto à ergonomia. Essa norma em seu capítulo inicial diz o seguinte:

“17.1. Esta Norma Regulamentadora visa a estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente.

17.1.1. As condições de trabalho incluem aspectos relacionados ao levantamento, transporte e descarga de materiais, ao mobiliário, aos equipamentos e às condições ambientais do posto de trabalho e à própria organização do trabalho.

17.1.2. Para avaliar a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, cabe ao empregador realizar a análise ergonômica do trabalho, devendo a mesma abordar, no mínimo, as condições de trabalho, conforme estabelecido nesta Norma Regulamentadora. ”

Considerações sobre a ergonomia

Para avaliar esse ajuste entre uma pessoa e seu trabalho, devemos considerar uma série de fatores, incluindo:

O trabalho / tarefa a ser realizada:

As exigências do trabalhador (atividades, carga de trabalho, ritmo de trabalho, trabalho por turnos e fadiga);

O equipamento utilizado (seu design em termos de tamanho, forma, controles, displays e quão apropriado é para a tarefa);

A informação utilizada (como é apresentada, acessada e alterada) e; O ambiente físico (temperatura, umidade, iluminação, ruído, vibração).

As características físicas e psicológicas do indivíduo:

O tamanho e forma do corpo, condição física e força, postura, os sentidos, especialmente a visão, a audição e o toque, habilidades mentais, personalidade, conhecimento, treinamento e experiência.

O ambiente da organização

Você encontrará uma série de habilidades físicas e psicológicas em sua força de trabalho, que você precisará levar em consideração ao projetar a planta fabril, o tipo de layout e as máquinas e equipamentos que os trabalhadores usarão para realizar as tarefas do dia a dia.

Ao avaliar as habilidades e limitações das pessoas, seus empregos, máquinas, equipamentos e ambiente de trabalho e a interação entre eles, é possível projetar sistemas de trabalho seguros, eficazes e produtivos.

Ergonomia tem potencial de melhorar a saúde e segurança

A aplicação de ergonomia ao local de trabalho pode reduzir o potencial de acidentes, reduzir o potencial de lesão e saúde e melhorar o desempenho e a produtividade.

Tendo em conta a ergonomia e fatores humanos, podemos reduzir a probabilidade de um acidente. Por exemplo, na concepção dos painéis de controle, considere:

Localização dos interruptores e botões: interruptores que podem ser acidentalmente danificados/quebrados ou desligado pode iniciar a sequência errada de eventos que podem levar a um acidente;

Sinais e controles: a maioria das pessoas interpreta o sinal verde para indicar uma condição segura. Se uma luz verde for usada para indicar um aviso ou estado de alerta por exemplo, o mesmo pode ser ignorado ou negligenciado.

Ergonomia inadequada é um problema

A ergonomia tratada de forma inadequada também pode prejudicar a saúde no trabalho. Podemos citar dores e/ou danos nos pulsos e mãos, nos ombros e nas costas, perda auditiva induzida por ruído entre outros que estão diretamente relacionados ao trabalho.

Considere o adequado layout dos controles e equipamentos, eles devem ser posicionados em relação à forma como eles são usados. Coloque os que são usados com mais frequência, onde são fáceis de alcançar sem a necessidade de inclinar-se, esticar ou curvar.

Certifique-se de que medidas de proteção de uso pessoal sejam fáceis e confortáveis de usar. Com isso essas medidas são mais propensas a ser eficazes na redução da exposição para condições ou substâncias perigosas.

Se a empresa não segue os princípios básicos de ergonomia, pode haver sérias consequências para as pessoas e organizações inteiras. Muitos acidentes bem conhecidos poderiam ter sido evitados se a ergonomia e os fatores humanos tivessem sido considerados na concepção do emprego das pessoas e dos sistemas em que elas trabalham.

Veja também sobre a PCMSO – saúde ocupacional.

 

 

Fonte: Health and Safety Executive

http://trabalho.gov.br

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *