Etiqueta de Segurança

Luis Cyrino
20 ago 2016
0
9353

Etiqueta de Segurança

Vamos entender que essa etiqueta de Segurança que vamos tratar nessa matéria, não se trata das etiquetas convencionais que utilizamos como identificação nas áreas em geral das empresas.

Aqui estaremos falando sobre as etiquetas de Segurança (normalmente na cor amarela) relatadas no programa do TPM onde também temos as etiquetas azuis que são as operacionais e as vermelhas que são tratadas pela área da Manutenção.

Uma das maneiras eficazes de combater os riscos quanto a Segurança no trabalho dentre outras ferramentas igualmente importantes, com certeza trata-se da ferramenta da etiqueta de segurança oriunda do TPM.

Como funciona?

Essa etiqueta é tratada no pilar da Manutenção Autônoma em conjunto com o pilar da Segurança. Seu objetivo é, ao identificarmos qualquer sinal de risco em potencial de Segurança em máquinas e equipamentos, é colocada uma etiqueta amarela relatando o evento.

O procedimento segue os mesmos trâmites que as etiquetas azuis e vermelhas quanto a sua colocação, ou seja, exatamente no local do evento quando possível, quanto ao seu preenchimento e registro no caderno de etiquetas.

O que difere é o seu tratamento inicial que ao ser lançada, faz-se necessário que o grupo autônomo em suas reuniões agendadas e periódicas, discutam essas etiquetas juntamente com um representante da área de Manutenção e da Segurança.

Isso para tratar da possível gravidade e os riscos envolvidos desse relato e gerar rapidamente um plano de ações para resolver essa pendência.

Vale lembrar também que pode ser inserido uma etiqueta de segurança como um item de melhoria como por exemplo:

alterar a fixação de uma proteção para facilitar a sua remoção com a justificativa de evitar algum tipo de acidente devido ao local de difícil acesso dessa proteção”.

Esse trabalho desenvolvido nas etapas iniciais da Manutenção Autônoma vem ao encontro do principal objetivo do pilar SHMA e claro, do departamento em si da Segurança do Trabalho das empresas onde o foco é atingir o “ZERO ACIDENTE”.

Também eliminar e prevenir todas as condições que afetem a segurança, higiene e o meio ambiente, preservando ao máximo a qualidade de vida dos colaboradores. Como consequência desse trabalho também corroborando com a integridade dos ativos da empresa.

Vejamos alguns exemplos de relatos via etiqueta amarela e que podemos evidenciar como riscos em potencial com a Segurança em geral:

Proteção da corrente de transmissão com avarias e pontos de corrosão;

Pode parecer um problema simples, mas que pode trazer sérios riscos aos operadores quando por exemplo, durante uma limpeza e inspeção.

Vazamento de óleo hidráulico no cilindro de elevação da plataforma;

Além de possíveis problemas de contaminação do ambiente podendo esse óleo cair em canaletas de água, tem também o problema do desperdício. Pode ser também por problemas como falhas no sistema e contaminação do piso com favorecimento a alguém escorregar e se machucar dependendo do local desse vazamento.

Conclusão

Podemos ver que são alguns exemplos simples que as vezes não interferem de imediato na produtividade e disponibilidade dos ativos. Só que podem gerar sérios problemas relacionados à Segurança, principalmente do colaborador.

Então concluímos que todo o investimento em Segurança traz e muito, benefícios às empresas e em todos os sentidos.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *