Falhas causadas por desgastes

Luis Cyrino
27 jul 2023
0
1331

Falhas causadas por desgastes

Desgastes em máquinas e equipamentos se dá em peças e componentes, um dos maiores motivos de falhas ou quebras desses ativos. Mas antes de entrar no mérito sobre esses desgastes temos que ter em mente que eles se dividem em dois grandes grupos:

  • Desgastes por tempo de uso, e;

  • Desgastes forçados

Portando é muito importante que qualquer tipo de desgaste, uma vez identificado, precisa ser entendido o porquê ele aconteceu – tempo de uso ou forçado?

Essa pré análise nos ajuda a identificar suas causas e as ações para evitar que isso aconteça novamente. Ou seja, os desgastes podem ser previsíveis e temos que entender isso, ou podem ser casuais ou não previstos.

Definição de desgastes

Basicamente o mecanismo do desgaste é a perda progressiva de material devida ao movimento relativo entre duas superfícies que estão em contato.

Está relacionado com interações entre as superfícies e, mais especificamente, a remoção e a deformação do material sobre uma superfície como resultado da ação mecânica da superfície oposta.

Mas podemos ter o desgaste mecânico que não seja somente por contato entre duas superfícies mecânicas, mas por outros motivos.

Como por exemplo o desgaste provocado pelo contato entre algum material metálico com a água ou por uma reação química com o ar. No estudo sobre a engenharia de materiais temos as classificações do desgaste que são:

  • Desgaste por fadiga (por contato ou térmica);
  • Desgaste por fricção (atrito);
  • Desgaste por erosão e cavitação (sólido x fluído);
  • Desgaste por adesão (junção de peças sólidas);
  • Desgaste por corrosão (reação química material com seu meio)
  • Desgaste abrasivo (forçado por atrito entre partículas).

Baseado nessas classificações de desgastes, podemos entender que o desgaste forçado ou por tempo de uso pode acontecer em vários itens de um ativo.

Os desgastes que ocorrem prematuramente ou como mencionado acima, um desgaste forçado normalmente acontece por:

  • Falhas de dimensionamento (estrutural, peças, componentes, etc.)
  • Má qualidade de: sobressalentes, componentes, materiais diversos, etc.
  • Alinhamento ou balanceamento incorreto
  • Lubrificação inadequada ou falta dela
  • Mau uso do ativo (operacional)
  • Manutenção inadequada ou falta dela

Como evitar os desgastes?

É preciso avaliar em como evitar o desgaste sob duas vertentes: desgaste forçado ou desgaste por tempo de uso.

Quando o desgaste é identificado como forçado, as correções são mais óbvias. É preciso elencar ações que possam eliminar ou reduzir ao máximo a sua incidência.

Fazemos isso com base numa análise de falhas bem estruturada. São desgastes chamados prematuros e que não deveriam acontecer, temos praticamente certo que se trata de uma falha humana.

Já o desgaste identificado como causa sendo por tempo de uso, temos ações para evitar a sua ocorrência, principalmente com base nas estratégias de manutenção.

Uma avaliação dos tipos e modos de falhas podem nos levar a definir uma estratégia correta, seja uma inspeção periódica, preventiva ou preditiva.

Metodologias RCM e TPM como ótimas soluções

As falhas de máquinas e equipamentos oriundas por desgastes podem ser evitadas, forçadas ou não. Primeiro precisam ser entendidas e com isso utilizar as melhores estratégias para evitar as mesmas.

Em casos de desgastes por tempo de uso, temos a RCM onde se consegue informações assertivas sobre as causas e modos de falhas. E nos casos de mau uso dos ativos temos a metodologia TPM que trabalha fortemente no material humano.

Isso sem contar com boas estratégias de manutenção preventiva e inspeções periódicas. E outra solução muito assertiva com certeza é o monitoramento de condições com uso das técnicas preditivas. E claro, para auxiliar nesse contexto todo temos muitas outras ferramentas que são extremamente úteis.

Conclusão

O princípio básico para evitar as falhas por desgastes em máquinas e equipamentos é primeiro entender, são forçadas ou tempo de uso? O foco é a gestão da manutenção atuar com foco nas boas estratégias para fazer frente a qualquer tipo de situação. É começar sempre estruturando as condições básicas de atendimento às necessidades da empresa. Não se pode pensar em métodos avançados e tecnologias de ponta se nem mesmo o básico funciona como deveria. Por isso o nosso lema, “A solução começa na Gestão”, pense nisso!!

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *