Graxas, importante lubrificante automotivo.

Luis Cyrino
22 maio 2019
0
651

Graxas, um importante lubrificante automotivo

Graxas são compostos lubrificantes semissólidos constituídos por uma mistura de óleo, aditivos e agentes engrossadores chamados sabões metálicos, à base de alumínio, cálcio, sódio, lítio e bário. Elas são utilizadas onde o uso de óleos não é recomendado. Os principais ensaios físicos padronizados para as graxas lubrificantes são:

Consistência – Dureza relativa, resistência à penetração.

Estrutura – tato, aparência.

Filamentação – Capacidade de formar fios ou filamentos.

Adesividade – capacidade de aderência.

Ponto de fusão ou gotejamento – Temperatura na qual a graxa passa para o estado líquido.

Tipos de graxa e suas aplicações

Os tipos de graxa são classificados com base no sabão utilizado em sua fabricação e abaixo citamos algumas delas e sua aplicação automotiva:

Graxa à base de alumínio: macia; quase sempre filamentosa; resistente à água; boa estabilidade estrutural quando em uso; pode trabalhar em temperaturas de até 71°C. É utilizada em mancais de rolamento de baixa velocidade e em chassis.

Graxa à base de cálcio: vaselinada; resistente à água; boa estabilidade estrutural quando em uso; deixa-se aplicar facilmente com pistola; pode trabalhar em temperaturas de até 77°C. É aplicada em chassis e em bombas d’água.

Graxa à base de sódio: geralmente fibrosa; em geral não resiste à água; boa estabilidade estrutural quando em uso. Pode trabalhar em ambientes com temperatura de até 150°C. É aplicada em mancais de rolamento, mancais de rodas, juntas universais etc.

 Graxa à base de lítio: vaselinada; boa estabilidade estrutural quando em uso; resistente à água; pode trabalhar em temperaturas de até 150°C. É utilizada em veículos automotivos e na aviação.

Graxas e suas funções esperadas

Uma graxa de nível satisfatória para uma determinada aplicação deve cumprir os seguintes requisitos:

  • Reduzir a fricção e o desgaste dos elementos do equilíbrio, sob as várias condições de operação;
  • Proteger contra ferrugem e corrosão;
  • Evitar que poeira, água e outros contaminantes penetrem nas partes lubrificantes;
  • Não derramar, não gotejar e permanecer onde necessários nas partidas e nas operações intermitentes;
  • Manter sua estrutura e consistência durante um longo período de utilização;
  • Permitir livre movimento das partes móveis a baixas temperaturas e poder ser bombeada facilmente a essas temperaturas;
  • Possuir as características físicas desejáveis para fácil aplicação e manter essas características durante a armazenagem;
  • Tolerar certo grau de contaminação sem perda significativa de eficiência.

Veja mais sobre Plano de lubrificação, clique AQUI

Graxas, pontos de uso

Como em máquinas e equipamentos industriais, nos veículos de uma frota em geral as graxas são também muito utilizadas. Isso porque temos muitos pontos onde se faz necessário uma lubrificação a graxa. Temos alguns pontos que podemos exemplificar, tais como:

Chassi

Normalmente o chassi de veículos em geral, principalmente veículos pesados, se usa uma graxa à base de sabão de cálcio por motivos do ambiente de exposição.

A graxa à base de cálcio tem uma ótima adesividade, ou seja, uma aderência que a impede de se soltar facilmente. Outra característica que a torna ideal para uso em chassis, é de possuir ótima resistência ao contato com a água. Portanto seu uso nos pinos, articulações e feixes de mola do chassi (caminhões) é extremamente recomendada.

Rolamentos e cubo das rodas

Nesses locais a lubrificação deve ser feita com a substituição da graxa por uma nova, isso após uma boa limpeza. Normalmente se usa a graxa à base de lítio por oferecer uma alta estabilidade mecânica, resistência a água e a altas temperaturas. A falta de manutenção preventiva nesse local pode gerar grandes transtornos e perigos de acidente.

Junta homocinética

A função da junta homocinética é fazer a união do semieixo da transmissão ao cubo da roda. Com essa junção acontece a tração devido a sua composição por um sistema de rolamentos esféricos que permitem a variação da posição do eixo da roda.

A graxa normalmente usada como lubrificante para juntas homocinética é a graxa grafitada, resistente a altas temperaturas e pressões. É uma graxa lubrificante à base de óleo mineral, sabão de cálcio e aditivado com grafite, resistente à água.

Conclusão

Existem outros pontos de lubrificação a base de graxa nos veículos em geral, citamos alguns como mais importantes. A lubrificação fica evidenciada como muito importante para a manutenção de partes móveis de todo tipo de veículo. A lubrificação constante é fundamental para a vida útil dos componentes do chassi e da carroceria de uma frota, por exemplo.

O fato é que, quanto mais durar a graxa nas diversas partes de um veículo seja ele o tipo que for, mais irão durar seus componentes e menos manutenção de lubrificação será necessária. Então cuide da manutenção e lubrificação da sua frota obedecendo sua periodicidade e as recomendações do fabricante.

O Manutenção em foco tem como especialidades, a elaboração de planos de lubrificação, consulte-nos sem compromisso, podemos lhe ajudar.

Fone/WhatsApp (41) 9 9958-6044

contato@manutencaoemfoco.com.br

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *