Análise de óleo, um passo à frente das falhas

Luis Cyrino
20 abr 2018
0
605

Análise de óleo, um passo à frente das falhas

Análise de óleo é uma das técnicas preditivas que mais se tem usado hoje em dia na prevenção de falhas. Uma análise de óleo nos diz muita coisa sobre máquinas e equipamentos, condições de uso e suas condições atuais.

Essa análise é recomendada para qualquer sistema mecânico com peças móveis como o motor veicular, sistemas de transmissão, sistemas de engrenagens e sistemas hidráulicos. Esse óleo lubrificante após determinado período de uso vai refletir a condição exata de desgaste desses sistemas.

Informações básicas de uma análise de óleo

A análise de óleo traz informações sob três situações quanto as condições desse óleo lubrificante:

  • Quanto aos elementos de desgaste;
  • Quanto aos elementos de contaminação, e;
  • Quanto aos elementos aditivos.

Quando as partes móveis entram em contato, ocorre certos níveis de desgaste que liberam pequenas partículas de metal no óleo. Essas partículas são tão pequenas que permanecem em suspensão nesse sistema.

Além disso, o óleo também pode ser exposto a contaminação externa, o que complica muito sua eficiência. Identificar e medir essas impurezas indica os níveis reais de desgaste do sistema e o nível de contaminação desse óleo.

Problemas do óleo lubrificante desses sistemas

A análise de óleo traz consigo informações que podem sugerir métodos para reduzir o desgaste acelerado e a contaminação dos sistemas onde são usados. Portanto, o óleo lubrificante usado nesses sistemas pode apresentar basicamente dois tipos de problemas:

Primeiro: problemas devido à contaminação por partículas de desgaste do próprio sistema ou por contaminantes externos. Neste caso, a água é um dos contaminantes mais comuns nas instalações industriais ou partículas de poeira nas máquinas agrícolas, por exemplo.

Segundo: problema está relacionado com a degradação das propriedades do óleo lubrificante pelo tempo ou condições severas de uso. Isso devido às alterações das suas características básicas de proteção e lubrificação desses sistemas.

Benefícios de uma análise de óleo

Algum desgaste é normal mesmo com a utilização do óleo correto, faz parte do processo de utilização do sistema. No entanto, os níveis anormais de qualquer parâmetro detectado numa análise de óleo pode fornecer um aviso antecipado de problemas.

Nessa situação podemos evitar uma falha e permitir ações corretivas planejadas. Uma grande vantagem de um programa de análise de óleo é poder antecipar problemas e agendar trabalhos de reparo.

Isso para evitar uma falha ou quebra de um sistema e acabar por manter um elevado tempo de parada de uma máquina ou equipamento. A detecção antecipada por meios das técnicas de análise de óleo pode significar:

  • Redução dos custos de um reparo;
  • Evitar falhas ou quebras catastróficas;
  • Aumentar a vida útil das máquinas e equipamentos;
  • Controle efetivo do desgaste do sistema;
  • Reduzir o tempo de parada não programada do ativo.

Temos vários tipos de análise de óleo, cada qual com a sua especificação de controle que são os seguintes:

Análise físico-química

As análises físico-químicas têm como objetivo a identificação das condições do lubrificante, ou seja, seu grau de deterioração. Isto é, o grau de degradação desse óleo que pode ser avaliado através de um conjunto de ensaios como: índice de viscosidade, ponto de fulgor, TAN – número de acidez total, contagem de partículas, entre outros.

Análise de contaminação

A contaminação do óleo lubrificante pode acontecer por reações do próprio lubrificante ou por um desgaste do equipamento e pela infiltração de substâncias externas ao sistema. Um dos contaminantes de sistemas muito comum que podemos encontrar é a água, principalmente em áreas industriais.

Espectrometria

A espectrometria é um método que pode ser realizada por meio de emissão ótica ou de absorção atômica. Nesse tipo de análise é possível identificar os elementos químicos presentes no lubrificante, ou seja, a presença de metais como cobre, alumínio, ferro, cromo e níquel, entre outros.

Ferrografia

A Ferrografia consiste na determinação da severidade, modo e tipos de desgaste por meio da identificação da morfologia, acabamento superficial, coloração, natureza e tamanho das partículas encontradas em amostras de óleos ou graxas lubrificantes de qualquer viscosidade, consistência e opacidade.

Conclusão

A análise de óleo como técnica Preditiva é com certeza um dos mais importantes e eficazes métodos de antecipar falhas. Os diversos sistemas que usam o óleo como lubrificante e como movimento, caso dos sistemas hidráulicos, precisam estar isentos de problemas.

Em paralelo, é possível criar um banco de dados desses sistemas gerando um histórico e evolução de possíveis desgastes. Isso proporciona a possibilidade de intervenções corretivas planejadas evitando sérios transtornos.

O Manutenção em foco pode ajudar nessa área de planos de manutenção em geral, lubrificação, rotas e controles por meio de treinamentos específicos. Consulte-nos sem compromisso, acesse o link abaixo e entre em contato conosco.

https://www.manutencaoemfoco.com.br/servicos/

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *