ISO 55000 e a Manutenção

Luis Cyrino
16 dez 2016
0
6169

ISO 55000 e a Manutenção

Breve histórico da ISO

ISO 55000 – A história da ISO – “International Organization for Standardization“, em português – Organização Internacional para Padronização, começou em 1946, quando delegados de 25 países se reuniram no Instituto de Engenheiros Civis em Londres e decidiram criar uma nova organização internacional com o intuito de facilitar a coordenação internacional e unificação dos padrões técnicos. Em 23 de fevereiro de 1947 a nova organização, ISO, iniciou oficialmente suas operações em Genebra – Suíça.

A ISO tem como objetivo principal aprovar normas internacionais em todos os campos técnicos, normas de procedimentos e processos e promover boas práticas de gestão e do avanço tecnológico, além de disseminar conhecimentos. No Brasil, a ISO é representada pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

Do que se trata a ISO 55000?

A ISO 55000 é uma nova norma internacional que fornece uma visão geral sobre a Gestão de Ativos e dos sistemas de Gestão de Ativos. Essa norma também fornece o contexto para a ISO 55001 e ISO 55002.

A cooperação internacional na preparação destas normas identificou práticas comuns que podem ser aplicadas para a mais ampla gama de ativos, dos diversos tipos de organizações e de culturas.

O que é um Ativo?

Um ativo é um item, coisa ou entidade que tem valor real ou potencial para uma organização. O valor vai variar entre as diferentes organizações e as partes interessadas (*stakeholders), e podem ser tangíveis ou intangíveis, ou ser financeiro ou não financeiro.

Uma organização pode optar por gerenciar seus ativos como um grupo, e não individualmente, de acordo com suas necessidades, e para conseguir benefícios adicionais. Tais agrupamentos de ativos, pode ser por tipos de ativos, sistemas ativos ou carteiras de ativos.

Visão geral da Gestão de Ativos

Os fatores que influenciam o tipo de ativos que uma organização necessita para alcançar os seus objetivos, e como os ativos são geridos, incluem o seguinte:

– A natureza e o propósito da organização;

– O seu contexto operacional;

– As suas limitações financeiras e requisitos regulamentares;

– As necessidades e expectativas da organização e seus stakeholders.

Todos esses fatores precisam ser considerados quanto a sua aplicação, manutenção e melhoria contínua de gestão desses ativos.

O controle efetivo e governança dos ativos nas organizações é essencial para perceber valor através de gerenciamento de riscos e oportunidades, a fim de alcançar o equilíbrio desejado de custo, risco e desempenho.

Benefícios da Gestão de ativos

A Gestão de ativos na realização dos seus objetivos organizacionais, permite que uma organização consiga perceber o valor real dos seus ativos.

O que constitui valor dependerá desses objetivos, a natureza e o propósito da organização e as necessidades e expectativas das partes interessadas.

A Gestão de ativos apoia a realização de valor, equilibrando os custos financeiros, ambientais e sociais, risco, qualidade de serviço e desempenho relacionados com seus ativos. Os benefícios de Gestão de ativos podem incluir, mas não estão limitados ao seguinte:

  1. Melhoria do desempenho financeiro: melhorar o retorno dos investimentos e redução de custos pode ser alcançado, preservando ao mesmo tempo o valor dos ativos e sem sacrificar a realização a curto ou a longo prazo dos objetivos organizacionais;
  2. As decisões de investimento informadas de ativos: permitir a organização para melhorar a sua tomada de decisão e equilibrar eficazmente os custos, riscos, oportunidades e desempenho;
  3. Risco de gestão: redução de perdas financeiras, melhorando a saúde e segurança, boa vontade e reputação, minimizando o impacto ambiental e social, pode resultar em passivos reduzidos, como os prêmios de seguros, multas e penalidades;
  4. Melhoria dos serviços e saídas: assegurando o desempenho de ativos podem levar a serviços ou produtos que consistentemente atendem ou superam as expectativas dos clientes e das partes interessadas;
  5. Demonstração de responsabilidade social: melhorar a capacidade da organização para, por exemplo, reduzir as emissões, conservar os recursos e se adaptar às mudanças climáticas, que lhe permite demonstrar práticas empresariais socialmente responsáveis e administração ética;
  6. Demonstrar a conformidade: em conformidade transparente com os requisitos legais, estatutárias e regulamentares, bem como aderindo à gestão de ativos padrões, políticas e processos;
  7. Maior reputação: através da melhoria da satisfação do cliente, das partes interessadas (stakeholders) e confiança;
  8. Melhoria da sustentabilidade organizacional: gestão eficaz dos efeitos de curto e longo prazo, despesas e desempenho, pode melhorar a sustentabilidade das operações e da organização;
  9. Maior eficiência e eficácia: rever e melhorar processos, procedimentos e desempenho de ativos pode melhorar a eficiência e eficácia, e a realização dos objetivos organizacionais.

O estabelecimento de um sistema de gestão de ativos é uma decisão estratégica importante para uma organização. A ISO 55001 especifica os requisitos de um sistema de gestão de ativos, mas não especifica a concepção do sistema. A ISO 55002 fornece orientações sobre o projeto e operação de um sistema de gestão de ativos.

As organizações que fazem parte como usuários da ISO 55001, ISO 55002 e esta Norma, também deve fazer referência a outras normas pertinentes, sempre que possível, para garantir a entrega consistente de uma boa gestão de ativos em toda a sua organização.

ISO 55000 e a Manutenção

Baseado em todos os itens descritos acima, não tem como deixar de relacionar a área da Manutenção com a norma da ISO 55000, senão vejamos:

Entre os benefícios citados com a utilização de uma boa gestão dos ativos temos vários itens que a Manutenção tem sua parte de contribuição como a redução dos custos, preservação dos ativos, necessidade de assegurar o desempenho desses ativos, melhorar processos e procedimentos, redução na emissão de poluentes entre outros. Nota-se então que a nova geração da Manutenção (já se fala na 5ª geração), tem seu papel cada vez mais significativo e imprescindível dentro das organizações.

*stakeholders: tem origem no inglês e pode ser traduzida como “parte interessada”, são pessoas, grupo de pessoas ou entidades que estão envolvidos em algo. É um termo muito usado no meio empresarial e são todos indivíduos e grupos sociais que de alguma forma influenciam uma empresa ou são influenciados por ela. Podemos citar como stakeholders, os acionistas de uma empresa, a comunidade que vive em torno dela, os consumidores e o governo.

Nota bibliográfica: a maior parte desse conteúdo da matéria foi extraída da própria norma ISO 55000.

Conheça mais sobre a ISO com a norma que temos muito contato hoje em dia e que influencia bastante nas atividades da Manutenção. Estou falando da ISO 9000, veja no link abaixo como essa norma se relaciona com a Manutenção.

ISO 9000 relacionada a Manutenção

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *