Manutenção não, o motivo agora é outro

Luis Cyrino
25 jun 2018
2
567

Manutenção não, o motivo agora é outro

Manutenção de novo? Máquina quebrada normalmente é sinônimo de muitas críticas que se voltam para a Manutenção, certo? Temos muitas teorias e até comprovações de que isso acontece de fato e venho aqui relatar quando isso não é verdade.

O grande fato a meu ver que sempre nos levam a afirmar isso contra a Manutenção é a ausência das análises das falhas. Partindo do princípio que toda falha e/ou quebra tem um motivo ou uma causa lógica, vamos falar sobre os que não são causados por problemas de manutenção.

E claro, temos muitos elementos possíveis para comprovar isso quando temos o hábito de analisar as causas de todo tipo de parada de uma máquina ou equipamento.

A ideia aqui não é levantar outros “culpados” ou eximir a manutenção dos seus problemas que interferem na disponibilidade desses ativos.

A intenção é evidenciar que descobrir as verdadeiras causas de uma falha e/ou quebra vão de fato contribuir. E com isso conseguir na prática uma maior disponibilidade de máquinas e equipamentos onde todos ganham.

Manutenção não, o motivo agora é outro

Os motivos ou as causas para muitas paradas de máquinas e equipamentos tem origens diversas que precisam ser avaliadas. Quando não fazemos as devidas análises de falhas, fica sempre aquela impressão que tudo é culpa da Manutenção.

Aí vem aqueles comentários que o pessoal é pouco qualificado, não tem gestão adequada e por aí vai. Alguém aí já ouviu esses comentários ou já vivenciou “na pele” esse tipo de situação? Agora pode ter certeza que temos muitas causas ocultas que sobram para a Manutenção. Manutenção não, o motivo agora é outro e que pode ter origem em muitas outras causas.

Outros fatores que causam paradas

Todo processo produtivo tem suas fases, desde a inicial até a concepção do produto acabado ou semiacabado. E as máquinas e equipamentos para produzir dependem de matéria prima, insumos e mão de obra operacional. E exatamente nesses itens citados é que reside muitas causas de falha e/ou quebra de máquinas e equipamentos.

Mas como podemos provar isso se as análises de falhas não são executadas, não digo em todas as paradas, mas em algum tipo de critério que “dispara” essa análise.

Um exemplo típico de causa de falha é a utilização de uma matéria prima fora de especificações para fabricação de determinado produto. Ou mesmo por qualidade inadequada desse material que não foi identificada ao receber o mesmo.

Como a máquina foi preparada para um material “X” e está utilizando um material “Y”, os problemas com certeza aparecerão. E dependendo do tipo de processo, pode gerar problemas simples ao mais complexo, isso é um fato.

E podem ter certeza que afirmo isso com experiência própria, vivenciada por inúmeras vezes onde ficou “provado” que as falhas da máquina eram causadas por uma matéria prima ruim. “Manutenção não, o motivo agora é outro”.

Operacional, potencial problema e parte da solução

Quem já não passou por situações onde os problemas eram causados por falhas operacionais? E como afirmado no início, não é procurar “culpados”, mas a verdadeira causa de falhas e/ou quebras precisam ser identificados. A operação é uma grande responsável pelo sucesso de todo processo produtivo.

A máquina vai executar tudo o que lhe for definido durante o setup quanto as regulagens, ajustes, matéria prima e insumos que fazem parte de todo esse processo. Falhas nessa preparação e execução operacional podem trazer grandes problemas que vão desde a má qualidade do produto até a falha e/ou quebra da máquina, isso é fato.

A solução é sim, “identificar os culpados”

Portanto a solução para pôr fim às falhas e/ou quebras ou minimiza-las o quando puder é sim, necessário identificar os “culpados”. A finalidade é simples, uma vez identificados a causa raiz para determinados problemas, ações devem ser propostas e implementadas para sanar essa causa.

E com certeza vão aparecer causas raiz que foram identificadas, hora ou outra, em todas as áreas envolvidas na produção. Manutenção não, agora o motivo é outro, pode ser aquela matéria prima com custo bem abaixo do normal.

Ou aquele pessoal da máquina ABC que não recebeu os devidos treinamentos para os processos novos. Quem sabe não é o “cara” novo de compras que está reduzindo bastante os custos de peças buscando qualquer fornecedor e não aprovado pela Manutenção. E muitas outras causas que precisam ser identificadas, basta criar um critério de quando fazer uma análise de falhas.

Manutenção não, agora o motivo é outro, é o que diz as Análises de falhas que foram implementadas na empresa. Portanto meus amigos, sem definir a causa raiz dos problemas em máquinas e equipamentos, sempre vai ficar aquela velha impressão que o problema é da Manutenção, pense nisso.

Comentários

2 respostas para “Manutenção não, o motivo agora é outro”

  1. Rodrigo disse:

    Legal o artigo! De fato muito ainda se precisa evoluir para detectar com precisão a causa raiz de falhas diante de tantas variáveis envolvidas. Contribuo dizendo que atualmente já implementamos sistemas de monitoramento online e offline, integrando todas as técnicas preditivas de forma centralizada num mesmo prestador de serviços em equipamentos, processos, e componentes (mecânicos e elétricos) com a finalidade de coletar e analisar, em tempo real, sinais e comportamentos anormais que os próprios sistemas monitorados nos fornecem quando algo esta errado, seja por materia prima de baixa qualidade, seja pelo ajuste, seja por contaminação após uma preventiva de relubrificação, seja por montagem incorreta de componente mecânico novo. Inúmeras são as possibilidades com a chegada de novas tecnologias e a mudança na cultura das organizações.

  2. Dizem que o futuro das industrias serão um homem e um cachorro: O homem para alimentar o cachorro e o cachorro para não deixar o homem a mexer em nada!
    Não estamos distantes disso, concordo que uma simples utilização da ferramenta 5 porquês já nos ajuda a identificar a causa raiz, mas e se monitoramos em tempo real todas condições de trabalho dos principais equipamentos de uma fábrica? Hoje com a indústria 4.0, podemos monitorar vibração, temperatura, pressão, condição do óleo (vida útil, contaminação e desgaste), assim como outros parâmetros e mostrar os reais motivos que geram sobrecargas e condições ocultas para as intervenções das máquinas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *