MASP – Método de Análise e Solução de Problemas

Luis Cyrino
23 jan 2017
0
8952

MASP – Método de Análise e Solução de Problemas

MASP, Método de Análise e Solução de Problemas, é a denominação que foi atribuída no Brasil, do método de solução de problemas de origem japonesa, QC-Story – JUSE (Union of Japanese Scientists and Engineers).

Essa ferramenta MASP é usada para o Método de Análise e Solução de Problemas, é um roteiro estruturado utilizado para resolução de problemas complexos em processos, produtos e serviços. Trata-se de uma metodologia para melhorias consideradas radicais, que contrasta com as metodologias de melhoria incremental.

O MASP, segundo alguns estudiosos, se aplica aos problemas classificados como “estruturados”, cujas causas comuns e soluções sejam desconhecidas, que envolvam reparação, melhoria ou performance e que aconteçam de forma crônica. Pode-se perceber que para serem caracterizados da forma acima, os problemas precisam necessariamente possuir um comportamento histórico, por isso se vale de uma abordagem caracterizada como “reativa”.

Embora o MASP derive do ciclo PDCA, eles são comumente confundidos na literatura, o PDCA se enquadra na definição de “conceito” pois tem um caráter mais genérico e abstrato. Já o MASP, se enquadra na definição de “método” pois consiste num conjunto de passos pré-definidos para atingir um fim específico.

O MASP é formado por oito etapas:

A estrutura de oito etapas apresentada abaixo é a mais conhecida e mais utilizada em grupos de melhoria e em Círculos de Controle da Qualidade – CCQs:

Etapa 1: Identificação do problema

 A identificação do problema é a primeira etapa do processo de melhoria em que o MASP é empregado. Se feita de forma clara e criteriosa pode facilitar o desenvolvimento do trabalho e encurtar o tempo necessário à obtenção do resultado.

A identificação do problema tem pelo menos duas finalidades:

  1. Selecionar um tópico dentre uma série de possibilidades, concentrando o esforço para a obtenção do maior resultado possível;
  2. Aplicar critérios para que a escolha recaia sobre um problema que mereça ser resolvido.

Passos da Etapa 1 – Identificação do problema

  • Identificação dos problemas mais comuns
  • Levantamento do histórico dos problemas
  • Evidência das perdas existentes e ganhos possíveis
  • Escolha do problema
  • Formar a equipe e definir responsabilidades
  • Definir o problema e a meta

Etapa 2: Observação

 A observação do problema é a segunda etapa do MASP e consiste em averiguar as condições em que o problema ocorre e suas características específicas sob uma ampla gama de pontos de vista. O ponto preponderante da etapa de “Observação” é coletar informações que podem ser úteis para direcionar um processo de análise que será feito na etapa posterior.

Etapa 3: Análise

Etapa que serão determinadas as principais causas do problema. Se não identificamos claramente as causas provavelmente serão perdidos tempo e dinheiro em várias tentativas infrutíferas de solução. Por isso é a etapa mais importante do processo de solução de problemas.

A identificação das causas deve ser feita de maneira “científica” o que consiste da utilização de ferramentas auxiliares, informações, fatos e dados que deem ao processo um caráter objetivo.

Passos da Etapa 3 – Análise

  • Levantamento das variáveis que influenciam no problema
  • Escolha das causas mais prováveis (hipóteses)
  • Coleta de dados nos processos
  • Análise das causas mais prováveis; confirmação das hipóteses
  • Teste de consistência da causa fundamental
  • Foi descoberta a causa fundamental?

Etapa 4: Plano de Ação

Segundo Ishikawa (1986), “A descoberta de anomalias, se não for seguida da adoção das medidas saneadoras, será algo inútil”. Assim, uma vez que as verdadeiras causas do problema foram identificadas, ou pelo menos as causas mais relevantes entre várias, deve-se realizar um plano de ações para eliminar essas causas.

Etapa 5: Ação

Na sequência da elaboração do plano de ação, está o desenvolvimento das tarefas e atividades previstas no plano. Esta etapa do MASP se inicia por meio da comunicação do plano com as pessoas envolvidas, passa pela execução propriamente dita, e termina com o acompanhamento dessas ações para verificar se sua execução foi feita de forma correta e conforme o planejado.

Passos da Etapa 5 – Ação

  • Divulgação e alinhamento
  • Execução das ações
  • Acompanhamento das ações

Etapa 6: Verificação

Essa etapa representa sozinha a fase de check do ciclo PDCA e consiste na coleta de dados sobre as causas, sobre o efeito final (problema) e outros aspectos para analisar as variações positivas e negativas possibilitando concluir pela efetividade ou não das ações de melhoria (contra-medidas).

É nesta etapa que se verifica se as expectativas foram satisfeitas pois nenhum problema pode ser considerado resolvido até que as ações estejam completamente implantadas, sob controle e apresente a melhoria esperada.

Assim, o monitoramento e medição da efetividade da solução implantada são essenciais por um período de tempo, isso deve ser feito comparando-se os indicadores do “antes” e do “depois”.

Etapa 7: Padronização

Uma vez que as ações de bloqueio ou contra-medidas tenham sido aprovadas e satisfatórias para o alcance dos objetivos, elas podem ser instituídas como novos métodos de trabalho, ou seja, uma padronização para que não haja uma possível reincidência do problema. Feito isso, todos os envolvidos no processo devem tomar conhecimento dessa nova padronização, o que inclui a educação e o treinamento.

Passos da Etapa 7 – Padronização

  • Elaboração ou alteração de documentos
  • Treinamento
  • Registro e comunicação
  • Acompanhamento dos resultados do padrão

Etapa 8: Conclusão

A etapa de Conclusão fecha o método de análise e solução de problemas. Os objetivos da conclusão são basicamente rever todo o processo de solução de problemas e planejar os trabalhos futuros aplicando as lições aprendidas em novas oportunidades de melhoria.

Passos da Etapa 8 – Conclusão

  • Identificação dos problemas remanescentes
  • Planejamento das ações de não reincidência
  • Balanço do aprendizado

O MASP é um método que permanece atual e em prática contínua, resistindo às ondas do modismo, incluindo aí a da Gestão da Qualidade Total, sendo aplicado regularmente até progressivamente por organizações de todos os portes e ramos.

Fonte: Wikipédia

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *