Melhoria contínua na Manutenção

Luis Cyrino
15 jul 2018
0
972

Melhoria contínua

Melhoria contínua em seu conceito mais amplo é a busca constante no aperfeiçoamento de se fazer as coisas, quer sejam elas produtos, serviços ou processos. É um processo cíclico, ou seja, não tem fim essa busca de melhorias, afinal sempre será possível identificar novas maneiras de aperfeiçoamento.

A melhoria contínua é um esforço contínuo para melhorar produtos, serviços ou processos. Esses esforços podem buscar a melhoria “incremental”, ou seja, ao longo do tempo ou pela melhoria “inovadora”, ou seja, de imediato e de uma só vez.

Esse método exige continuidade, deve ser entendida como uma filosofia de negócio e com certeza, deve ser uma metodologia onde as mudanças tragam benefícios a todas as áreas da empresa.

Filosofia da melhoria contínua

As bases dessa filosofia são as crenças de que virtualmente qualquer aspecto de uma operação pode ser melhorado e que as pessoas mais intimamente associadas a uma operação estão na melhor posição para identificar as mudanças que devem ser feitas.

Consequentemente, o envolvimento dos funcionários desempenha um grande papel nos programas de melhoria contínua.

Métodos de melhoria contínua

Podemos definir que os métodos de melhoria contínua podem ser avaliados ou entendidos sob duas vertentes e que com certeza se complementam. Temos a vertente onde a base da melhoria contínua, é a utilização do ciclo PDCA, de origem americana. Outra vertente tem como base a utilização da metodologia do Kaizen, filosofia de origem japonesa.

Ciclo PDCA, método de origem americana

A ferramenta do PDCA (do inglês: Plan – Do – Check – Act / Adjust) é um método iterativo (repete várias vezes) de gestão de quatro passos, utilizado para o controle e melhoria contínua de processos e produtos.

O PDCA (Planejar – Fazer – Checar – Agir/Ajustar) foi criado na década de 20 por Walter A. Shewart, mas foi William Edward Deming, considerado na época o guru do gerenciamento da qualidade, quem disseminou seu uso no mundo todo, por isso, a partir da década de 50, o ciclo PDCA passou a ser conhecido como “Ciclo de Deming”.

Kaizen, método de origem japonesa

A palavra japonesa Kaizen simplesmente significa “mudar para melhor”, sem nenhum significado inerente de “contínuo” ou “filosofia” em dicionários japoneses ou no uso diário. A palavra refere-se a qualquer melhoria, única ou contínua, grande ou pequena, no mesmo sentido que a palavra inglesa “melhoria”.

No entanto, dada a prática comum no Japão de rotular técnicas de melhoria industrial ou comercial com a palavra “Kaizen“, particularmente as práticas lideradas pela Toyota, a palavra “Kaizen” em inglês é tipicamente aplicada a medidas para implementação de melhoria contínua, especialmente aquelas com uma “Filosofia japonesa”.

Melhoria contínua na Manutenção

É possível aplicar essa metodologia na Manutenção e diríamos que hoje isso é essencial pois essa área se tornou estratégica nas empresas. E podemos evidenciar esse método como sendo necessária tanto para processos, produtos e métodos da Manutenção.

Nos processos

A Manutenção requer de processos de trabalho para que suas atividades fluam da melhor maneira possível. Para isso se faz necessário uma organização e estratégias para funcionar e gerar resultados. É na organização das ações a serem desempenhadas que os processos certos precisam estar presentes.

Podemos citar como parte desses processos, a forma como fazer as preventivas, como registrar as atividades realizadas. Também podemos citar o processo do estoque de sobressalentes, como são realizadas as solicitações de manutenção, entre outros processos.

Tudo isso é passível de aperfeiçoamento constante para que corroborem no melhor fluxo de trabalho da equipe de Manutenção.

Nos métodos

Como a Manutenção trata de suas atividades, ou melhor, de que maneira se realiza as suas diversas tarefas. São métodos utilizados quando se utiliza dos mais variados tipos de manutenção, como preventiva e preditiva por exemplo.

Como são tratados os problemas de máquinas e equipamentos, pode-se utilizar o método da análise de falhas e suas diversas ferramentas.

Ao se implantar a metodologia TPM, a empresa está adotando um novo método de trabalho, muito ativo na Manutenção por sinal. Então podemos ver que nos variados métodos utilizados pela Manutenção, a melhoria contínua se faz presente e necessária.

Nos produtos

Intrinsecamente, ao viabilizar a melhoria contínua nos processos e métodos da Manutenção, já se contribui na produtividade e disponibilidade de máquinas e equipamentos. Isso porque esses ativos funcionando corretamente, auxilia na produção de itens com qualidade e quantidade.

Também se pode melhorar produtos incrementando alguns componentes ou peças mais modernas. Afinal todas as peças e componentes que compõe um ativo também se modernizam e melhoram suas qualidades e eficiência.

Outro meio seria a melhoria direta de algumas operações ou sistemas dos ativos com uso das técnicas, peças e componentes que gerem melhor produtividade e/ou qualidade do produto.

Conclusão

É notório que a melhoria contínua faz parte de todo tipo de atividade dentro de uma organização. A busca frenética por qualidade assegurada e redução de custos faz com que esse processo seja necessário. A área de Manutenção é parte estratégica nesse processo e sua contribuição é fundamental.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *