Motor automotivo

Luis Cyrino
4 fev 2019
0
668

Motor automotivo

Motor automotivo para efeito de entendimento sobre essa máquina fantástica, vamos falar um pouco sobre como surgiu. O primeiro motor a combustão interna foi construído pelo mecânico alemão Lenoir em 1860, e tinha a potência de 1 cv, trabalhando com gás de iluminação.

Em 1861, Nikolaus Otto e Eugen Langen, também alemães, com base no motor de Lenoir, construíram um motor que comprimia a mistura de ar e gás de iluminação, com ignição feita por uma centelha elétrica.

Em 1862, o engenheiro francês Beau de Rochas publicou estudos teóricos e estabeleceu alguns princípios termodinâmicos baseado no motor de Otto. Este, por sua vez, baseado no estudo de Rochas, desenvolveu um motor chamado o “motor de ciclo Otto” apresentado em 1872.

Estes motores usavam como combustível o gás de carvão ou o gasogênio, com ignição feita por centelha elétrica. Em 1889, fez-se a primeira aplicação do motor de ciclo Otto em veículos, utilizando-se como combustível a gasolina.

Em 1893, o engenheiro alemão Rudolf Diesel descreveu um novo motor, no qual a ignição da mistura ar mais combustível era feita por compressão. Este motor, que Diesel denominou “motor térmico racional”, acabou ficando conhecido como motor Diesel.

Princípios de funcionamento

Motores de combustão interna que se baseiam no ciclo de Otto ou ciclo Diesel, não se referem ao combustível ou mecanismo dos motores, mas sim aos processos pelos quais passam os gases no interior do mesmo.

As máquinas inspiradas no ciclo de Otto são chamadas motores de ignição por faísca, já as inspiradas em ciclo Diesel são motores de ignição por compressão.

Ambos os tipos podem ser construídos para operar em dois ou quatro tempos, o que significa que cada ciclo de funcionamento pode ocorrer em uma ou duas voltas do eixo de manivelas.

Divisão básica de um motor

O motor automotivo independentemente de ser à gasolina ou à diesel, sabemos que é composto por muitas peças importantes, mas basicamente é composto por três parte básicas chamadas de estacionárias. Imagens abaixo são meramente ilustrativas não se reportando a este ou aquele modelo/tipo de motor.

Cabeçote

O cabeçote controla a passagem de ar e combustível para dentro dos cilindros. Fica localizado na parte superior do bloco e é acoplado através de parafusos ou prisioneiros, sempre com uma junta entre as peças.

Normalmente é composto pelo mesmo material do bloco. Composto por muitas peças como as válvulas de escape e admissão, eixo de comando, molas, tuchos, balancins entre outros.

Bloco principal

Notadamente é a maior parte do conjunto do motor e sustenta as outras partes e todos os seus periféricos e componentes internos. Sua construção pode ser feita de ferro fundido ou alumínio.

É no bloco que se determina a disposição (“em linha”, “em V”, “cilindros opostos” ou “rotativo”) e também o número dos cilindros onde ocorre a combustão.

O bloco também possui câmaras de lubrificação e arrefecimento – a água ou a ar, dependendo da aplicação. Dentro do bloco, os componentes mais importantes são os pistões, bielas e o virabrequim.

Cárter

O cárter fecha o bloco na sua parte inferior e serve de depósito para o óleo lubrificante do motor. Normalmente é fabricado de chapa dura por meio de prensagem.

 

Cuidados com o motor

Como toda máquina, o motor é considerado o coração de um veículo, deve ter os cuidados com a sua manutenção periódica. Os itens importantes e que devem fazer parte de uma manutenção preventiva são:

Óleo de lubrificação do motor;

Sistema de arrefecimento;

Calibração e aferição do comando de válvulas;

Limpeza do sistema de injeção;

Filtros de ar, combustível e de óleo;

Correias de transmissão;

Sistemas de ignição (gasolina/álcool);

Sensores de temperatura, entre outros.

Manutenção de frota

Em especial para motores diesel, usa-se muito a manutenção preditiva com análise do óleo do motor para identificar as condições de desgaste. Muito utilizado esse recurso para os motores diesel dos equipamentos da linha amarela (tratores, retro escadeiras, moto niveladoras, etc.) e caminhões off Road.

Outros cuidados se reportam aos filtros separadores de água que devem ser drenados diariamente, evitando assim que aconteça a passagem de líquidos para o sistema de injeção.

Também não menos importante são os purificadores de ar, as impurezas do ar em geral, pó das estradas de terra, tudo isso pode ser aspirado pelo motor, se os purificadores não estiverem em ordem.

Recomenda-se que ao fim de cada viagem, principalmente por estradas de terra, se faça uma limpeza dos purificadores de ar.

Conclusão

Todo cuidado é pouco com essas máquinas, são potentes e frágeis ao mesmo tempo quando não cuidadas com a devida atenção. A saúde do motor automotivo depende de todos esses cuidados e isso se faz com planos de manutenção eficientes e um cronograma de preventivas e inspeções extremamente funcionais.

O Manutenção em foco pode fazer esse trabalho de elaboração de planos de manutenção e de inspeções para frotas, entre em contato.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *