Mecanismo de falhas

Luis Cyrino
5 jul 2018
0
431

Mecanismo de falhas

Mecanismo num conceito voltado para o propósito do tema em questão, é todo processo no qual se pode determinar, por meio de uma análise de falhas, um fato determinante ou uma série deles e que podem ser ou não dependentes entre si.

No caso do mecanismo das falhas, podemos dizer que é o modo de como algum tipo de deficiência ocorre dando origem a uma falha de uma peça ou componente.

O mecanismo das falhas no meu entendimento pode se relacionar com a metodologia da “Curva da banheira”. Podemos relacionar esse mecanismo com as 3 fases da curva da banheira:

  1. Mortalidade infantil;
  2. Período de vida útil e;
  3. Período de desgaste.

Os mecanismos de falhas podem ou não estar relacionados entre si como dito anteriormente e podemos citar os mais comuns:

Deficiência de projeto

A principal causa de uma deficiência de projeto é a máquina ou equipamento não atender às suas especificações de serviço. Esse tipo de mecanismo de falha podemos relacionar com a mortalidade infantil.

A máquina ou equipamento foi construído com erros que podem ser definidos como sendo por problemas dimensionais de peças por exemplo. Outro erro poderia ser uso de componentes que não atendem as especificações real de uso, estrutura física de materiais inadequadas, entre outras.

Deficiência no processo de fabricação e montagem

Uma máquina ou equipamento é composto por muitos itens em sua construção e montagem. Nesse processo pode acontecer de ter itens que foram fabricados fora de especificações ou defeitos de material não observados.

A possibilidade de isso acontecer deveria ser praticamente nula dada as necessidades da observância da qualidade, mas isso ainda é possível.

E ainda temos a possibilidade de falhas durante o processo de montagem que não foram observadas durante os testes de funcionamento. Esse tipo de mecanismo de falha também está relacionado com a mortalidade infantil.

Deficiência na operação

As máquinas e equipamentos funcionam a partir de um comando, ajustes e regulagens operacionais. Isso ocorre a partir de processos pré-definidos e que podem ocorrer erros na sua execução.

Com isso a máquina pode sofrer sobrecargas, choques ou vibrações por diversos motivos que podem gerar danos em peças e componentes. Esse tipo de mecanismo podemos relacionar com o período de vida útil da metodologia da curva da banheira.

Manutenção inadequada

Da mesma maneira que uma operação deficiente, uma manutenção inadequada também provoca tudo o que foi relatado acima e mais alguns problemas.

Uma montagem desalinhada de uma transmissão por correias, falhas de lubrificação, uso de componentes fora das especificações corretas e por aí vai.

Tudo isso vai provocar falhas e/ou quebras que não deveriam acontecer de modo algum. Esse mecanismo de falha podemos relacionar também com o período de vida útil da curva da banheira.

Desgaste / deterioração

Esse mecanismo de falha é com certeza o mais comum de acontecer em máquinas e equipamentos. É aquele período da curva da banheira onde as estratégias de manutenção devem atuar com mais intensidade.

São normalmente peças e componentes que já trabalharam seu tempo mínimo estipulado de vida útil. Nesse período os desgastes ou deterioração vão se intensificando e provocando as falhas e/ou quebras que precisam ser detidas por meio de algumas estratégias de Manutenção, como a preventiva e preditiva.

Como combater esse mecanismo de falha?

Todos os tipos de mecanismo das falhas só podem ser combatidos por meio da análise da causa raiz dessas falhas e/ou quebras. Essas análises devem ser implementadas de modo a garantir que não se tornem reincidentes. A busca da causa raiz das falhas é um processo que eu diria, ser obrigatório na Manutenção.

Basta definir o nível de criticidade de máquinas e equipamentos e um procedimento de quando e como elaborar essas análises. Uma outra forma de combater ou melhor dizendo, prevenir a ocorrência desse mecanismo da falha é identificar os modos de falhas por meio da ferramenta da FMEA.

Esse conceito é muito utilizado na metodologia da MCC – Manutenção Centrada na Confiabilidade, usada para determinar os requisitos de manutenção de qualquer item físico ou sistema, no seu contexto operacional, a fim de assegurar que continuem a preencher as funções a que foram destinados /requeridos.

Nesse método a participação conjunta da manutenção e do pessoal operacional é fundamental para se chegar nesses modos de falhas. Uma vez identificado esses modos de falhas, podemos definir as melhores estratégias de manutenção para combate-las.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *