HAZOP – Estudo de risco e operabilidade

Luis Cyrino
15 mar 2019
0
2015

HAZOP – Estudo de risco e operabilidade

Hazop, estudo Hazard and Operability é a técnica de Análise de Perigos do Processo (PHA) mais amplamente utilizada nas indústrias química, farmacêutica, alimentícia, de petróleo e gás, nuclear e outras indústrias de processo em todo o mundo.

O HAZOP é usado durante os estágios de projeto de um novo processo ou projeto, para grandes modificações do processo e para revisão periódica das operações existentes.

A Administração de Segurança e Saúde Ocupacional dos EUA (OSHA), assim como outros reguladores em todo o mundo, reconhece a técnica HAZOP como uma metodologia aceitável para avaliar o risco.

A qualidade e a eficácia do estudo HAZOP dependem da experiência do líder com a técnica HAZOP, bem como do processo que está sendo analisado, com sistemas de controle de processo e com operações unitárias em geral.

Como surgiu essa técnica?

A técnica do HAZOP foi introduzida pela primeira vez há muitas décadas no agora extinto Imperial Chemical Industries (ICI) do Reino Unido. Várias partes da empresa foram retiradas, fundidas e / ou foram adquiridas por empresas como a Huntsman Corporation e a AkzoNobel.

No entanto engenheiros e profissionais de segurança que trabalhavam no ICI transportaram essa técnica para essas outras empresas e isso cresceu em popularidade.

Essa técnica descreve os princípios e a abordagem para orientar a identificação de riscos orientada por palavras. HAZOP é uma técnica estruturada e sistemática para examinar um sistema definido, com os objetivos de:

  • identificar os riscos associados à operação e manutenção do sistema. Os riscos ou outras fontes de risco envolvidas podem incluir tanto aqueles essencialmente relevantes apenas para a área imediata do sistema quanto aqueles com uma esfera de influência muito mais ampla, por exemplo, alguns riscos ambientais;
  • identificar potenciais problemas de operabilidade com o sistema e, em particular, identificar causas de falhas operacionais e desvios de produção que possam levar a produtos não conformes.

Procedimento para realização do HAZOP

O estudo HAZOP envolveria o seguinte procedimento:

  1. Estabelecer o “Objetivo do projeto” para o processo, incluindo os intervalos desejados e / ou seguros para cada um dos parâmetros operacionais;
  2. Aplicar as Palavras-guia (não, menos, mais, inverter, etc.) a cada um dos Parâmetros do Processo (Temperatura, Pressão, Fluxo, Nível, etc.), para identificar desvios da intenção do projeto;
  3. Determinar se o sistema de controle e os sistemas de emergência são adequados e são suficientemente confiáveis para evitar que cada desvio se transforme em um incidente de processo indesejável;
  4. Estimar a gravidade das consequências de cada incidente indesejado;
  5. Estimando a probabilidade de ocorrência de cada incidente indesejado;
  6. Utilizar uma Matriz de Risco para determinar os riscos relativos dos incidentes indesejados;
  7. Comparar o risco de ocorrência de cada incidente com as diretrizes corporativas para risco de processo;
  8. Determinar o número e os tipos de ações e / ou melhorias de processo que seriam necessárias para reduzir os riscos a níveis toleráveis.

A força da técnica HAZOP é que ela combina um processo sistemático com o devido e profundo conhecimento de quem a realiza. Guiado por um facilitador profissional, uma equipe multidisciplinar investiga como os desvios da intenção do projeto podem ocorrer e as consequências desses desvios.

A classificação sistemática de riscos usando uma matriz de risco permite categorização e priorização das recomendações.

Equipe de estudo HAZOP

Um estudo de HAZOP é um esforço de equipe, que deve ser composta de um número adequado quanto possível, consistente com suas habilidades e experiências relevantes. Recomenda-se um tamanho da equipe, em torno de no mínimo 4 até no máximo 8 integrantes, é o suficiente.

Em um grande processo, haverá muitas reuniões do HAZOP e os indivíduos dentro da equipe poderão ter problemas em comparecer, já que diferentes especialistas são necessários.

Entende-se que muitas pessoas envolvidas podem corroborar para um processo mais lento e ao mesmo tempo os comprometendo de suas funções de ofício.

Conclusão

Da mesma forma que a OSHA – EUA reconhece a técnica HAZOP como uma metodologia aceitável para avaliar riscos de processos e operacionalidade, ela lista outras metodologias. Entre outros métodos comuns de encontrar os perigos potenciais nesses sistemas, incluem o FMEA e FTA – Análise de árvore de falhas.

Fonte:

https://www.iec.ch/

 

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *