Zero Defeito em processos industriais

Luis Cyrino
21 mar 2023
0
2387

Zero Defeito em processos industriais

Zero Defeito é uma filosofia colaborativa dentro de uma organização, em que todos trabalham juntos em direção ao objetivo ideal, sem defeitos de qualidade.

E sabemos que os defeitos de qualidade têm custos significativos associados a eles – dinheiro, tempo, recursos e perda de reputação. Isso afeta diretamente e negativamente a relação fornecedor – cliente.

Essa filosofia não é buscar a perfeição, trata-se de mudar a perspectiva no ambiente fabril. A exigência aqui é reconhecer o alto custo dos problemas de qualidade e buscar a melhoria continuada dos processos. Um trabalho proativo para identificar e solucionar as falhas em seus sistemas e processos, que estão favorecendo a ocorrência de defeitos.

Surgimento do conceito sobre “Zero defeito”

Philip Crosby contribuiu grandemente para a Gestão da Qualidade com base em suas teorias e experiência no ramo. Um dos seus principais pensamentos é que a Gestão da Qualidade deve ser idealizada desde a alta direção. Isso porque essencialmente as ações estratégicas provém deste nível hierárquico.

Zero Defeito, é um termo usado por Philip Crosby em “Absolutes of Quality Management”. Na época essa teoria emergiu como um conceito popular e altamente considerado no gerenciamento da qualidade. É como uma estratégia da alta administração para eliminar defeitos na produção industrial. Esse conceito alcançou uma breve popularidade na indústria americana de 1964 até o início dos anos 1970.

Os contrários da teoria “Zero defeito”

Como tudo que é novo, essa ideia também enfrentou algumas críticas, com o argumento que um estado de zero defeito é impossível. E outra crítica é a quantidade de esforço necessária para verificar o desempenho de cada colaborador em uma organização.

Na realidade são fortes argumentos, mas a ideia central do “zero defeito” no gerenciamento de qualidade não significa perfeição. Ela está relacionada ao estado em que todo desperdício pode e deve ser eliminado, isso é possível.

E que sempre se deve buscar fazer certo da primeira vez por meio de aprendizado (treinamentos e procedimentos). Assim os defeitos podem ser reduzidos e alcançar melhores padrões de qualidade, seja em projetos ou em processos produtivos.

O que quer dizer zero defeito?

Zero defeito é uma mentalidade que enfatiza a importância de acertar na primeira vez. Visa eliminar defeitos, melhorar a qualidade do produto ou serviço e reduzir os custos associados ao desperdício.

O conceito de zero defeito deve ser visto como uma busca pela perfeição para melhorar a qualidade de um processo ou fabricação. A perfeição pode não ser algo possível, mas sua busca incessante proporcionará melhoria da qualidade.

Zero defeito: a teoria e a implementação

O foco nessa busca em eliminar defeitos vai garantir que não haja desperdício em um projeto ou processo produtivo. Tudo o que é improdutivo e não agrega valor a um projeto ou processo deve ser eliminado. Comum a essa teoria é o conceito de “fazer certo da primeira vez”, evitando assim o retrabalho. O retrabalho é o pior cenário dentro de um processo produtivo, gera maiores custos e perdas de tempo, situações não esperadas.

Com as inovações atuais, como a Inteligência Artificial e Aprendizado de Máquina, essas tecnologias ajudam sobremaneira as empresas. Intensificam a melhoria da qualidade de seus produtos, ao mesmo tempo que reduzem drasticamente os defeitos.

Essa implementação pode ser dividida em duas fases:

  1. Detecção: As partes responsáveis testam e analisam os defeitos e, se possível, reparam as falhas. Em termos mais simples, procure o que está errado e corrija.
  2. Prevenção: Investigar possíveis variações de processo, como melhora-los e eliminar quaisquer desvios não intencionais. Em outras palavras, estude como as coisas são feitas, como elas podem dar errado e tente evitar problemas fazendo mudanças.

Absolutos da Gestão da Qualidade segundo Crosby

De acordo com Philip Crosby, existem quatro absolutos:

  1. “A definição de qualidade é a conformidade com os requisitos”
  2. “O sistema de qualidade é a prevenção”
  3. “O padrão de desempenho é Zero Defeitos”
  4. “A medida da qualidade é o preço da não conformidade”

Zero defeito na Manutenção

Se tem um local onde podemos aplicar esses conceitos é na área de serviços da manutenção de uma empresa. Fazer isso usando os argumentos base do conceito onde devemos eliminar os desperdícios e fazer certo da primeira vez. E como podemos fazer isso?

Desperdícios na manutenção: os desperdícios são comuns e devemos fazer um constante mapeamento dos métodos e processos de trabalho. Acredito que um dos maiores desperdícios que podemos encontrar na Manutenção é a perda de tempo.

Isso por falta de agilidade de informações sobre as atividades a serem realizadas no dia a dia. Outro desperdício diz respeito a falta de ferramental adequado, sempre tendo que improvisar o que acarreta problemas de qualidade do serviço e perda de tempo. E claro muitos outros problemas de desperdício que podem ser detectados, por isso a importância de realizar esse mapeamento.

Fazendo certo da primeira vez: talvez o maior problema de todas as áreas dentro de uma empresa, não fazer certo da primeira vez. O retrabalho é certamente um grave problema que precisa ser eliminado, mas como? Na Manutenção isso acontece por inúmeros motivos:

  • Falta de habilidades;
  • Ausência de treinamentos de reciclagem;
  • Excesso de trabalho por falta de pessoal;
  • Qualidade deficiente de materiais (peças, componentes, insumos, etc.);
  • Falta de procedimentos e/ou instrução de trabalho, etc.

E para resolver todas essas dificuldades é necessário começar com uma gestão eficiente, focado em suprir a equipe dos recursos necessários.

Conclusão

Entendo que o conceito do “Zero defeito” é uma excelente forma de nos provocar a buscar sempre a perfeição no que fazemos. Independentemente de sabermos que perfeição é algo raro de conseguir ou até mesmo impossível.

O que acredito é que sempre podemos melhorar em algo, surgem sempre coisas novas e tecnologias avançadas. Tudo está em constante mudança, se inovando e precisamos tirar o melhor proveito disso, e como?

Se atualizando e buscando sempre focar a gestão numa melhoria continuada, mapeando sempre nossos métodos e processos de trabalho.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *