5G – método de investigação de problemas

Luis Cyrino
25 abr 2019
0
389

5G – método de investigação de problemas

5G é um método simples que incorpora cinco passos básicos e executados de modo sequencial, a fim de resolver efetivamente um problema.

Essa é uma de tantas outras ferramentas ou métodos utilizados pela metodologia WCM. Este é um método japonês de resolução de problemas cujo propósito é essencialmente baseado na arbitragem do conflito:

  • Teoria (com base nos conceitos) e prática (com base na realidade);
  • O que fazemos hoje e o que pode realmente ser feito;

Ela vem ao encontro de uma das seguintes perguntas:

  • A operação adota a realização dos processos dentro dos padrões?
  • A operação realmente adota boas práticas?
  • Possíveis alterações que implementarem vai trazer os resultados esperados?

5G é uma das 5 principais sugestões para a resolução de problemas, e um método para ajudar a elaborar uma melhor descrição e análise dos fenômenos e verificar todas as hipóteses.

Esse método não elimina outras metodologias e sim as completa de modo a encontrar as melhores ferramentas para solução de problemas.

O método 5G ajuda a analisar cada detalhe, a fim de obter uma visão objetiva da situação, deixando de lado qualquer hipótese arbitrária.

Objetivos do método 5G

Ao contrário do método 4 ou 6Ms, não é apenas para descobrir as possíveis causas de um problema, mas vai muito além. Seu objetivo é restaurar as práticas mais adequadas e mais eficazes dos processos que envolvem um sistema produtivo.

O objetivo do método 5G é garantir o cumprimento e aplicação de normas, para estabelecer ou restabelecer as atitudes corretas para melhorar a produtividade.

Ao contrário de outros métodos que podem ser realizado inteiramente numa sala por um grupo de trabalho, o método 5G não é assim.

Esse método requer que esse grupo não se fixe somente numa sala, mas que realmente analise o que está acontecendo no campo ou chão de fábrica onde as coisas acontecem de fato.

Os 5G são: (Gemba, Gembutsu, Genjitsu, Genri e Gensoku):

GEMBA

O Gemba é o primeiro dos princípios do 5G e geralmente é descrito como onde a ação ocorre, ou seja, no chão de fábrica.

Simplesmente Gemba ou Gemba Walk significa ter a necessidade dos gerentes, líderes ou tomadores de decisão ir para o chão de fábrica onde o trabalho realmente é feito.

Assim, em vez de gerentes e líderes permanecerem em seus escritórios e obterem as informações que lhe são repassadas por outras pessoas, eles devem reservar um tempo e ver como as coisas são feitas no chão de fábrica.

Veja também como usar o GEMBA na Manutenção.

GEMBUTSU

Gembutsu é uma palavra japonesa que significa “coisa real”. É um dos componentes do significado de “Três Reais ou 3G” que vai para o lugar real (Gemba) para ver a coisa real (Gembutsu) e coletar os fatos reais (Genjitsu).

Este termo significa simplesmente que não existe situação melhor do que ver algo com os próprios olhos. É muito comum a alta gestão das empresas ouvir falar de um processo ou problema e tomam isso como fato verdadeiro.

Observar um sistema produtivo, máquinas ou equipamentos “in loco” fornece um nível maior de percepção que ajuda na solução de problemas, bem como na realização de melhorias.

GENJITSU

Genjitsu é um termo que significa “fatos” ou “realidade” que nos remetem a entender depois de ir ao local, ver o acontecido, agora entender os fatos reais desse acontecimento.

Ou seja, dados e eventos reais que ocorreram durante os processos na produção, estatísticas sobre produtos, documentos, pessoas, procedimentos, etc.

Determinar as causas reais de cada evento observado no local dos acontecimentos com base em análises quantitativas da situação.

GENRI

Genri é o quarto “G” dessa metodologia e que quer dizer o entendimento da teoria da operação disponível, ou seja, dos padrões e procedimentos de trabalho.

Em paralelo, a equipe de investigação coleta dados sobre o equipamento para poder referenciar seu modo de operação, as condições corretas e as configurações necessárias das variáveis dos processos. Isso ajudará a entender claramente como o equipamento está sendo operado, se de forma correta ou não.

GENSOKU

O quinto “G” é Gensoku. Há uma chance de o equipamento não ter falhado porque atingiu sua vida útil ou porque foi mal projetado ou ainda por falhas de fabricação.

Devido a este fato, a equipe também deve ter conhecimento dos procedimentos operacionais que direcionam as ações do operador da máquina e verificar se essas ações não levaram à falha.

Nesse caso, deve-se consultar os Procedimentos Operacionais Padrão (POP) do setor afetado, as Lições de Um Ponto (LUP) e as Instruções de Trabalho Padrão.

E também as documentações de processos semelhantes durante a investigação dos operadores ou mecânicos envolvidos com os equipamentos que levaram à sua falha.

Conclusão

Esse método de resolução de problemas 5G nos deixa claro a importância do envolvimento dos gestores em geral no entendimento do que se passa no chão de fábrica.

E também da importância do entendimento de todos sobre seus métodos e processos que norteiam seu sistema produtivo e outros processos.

Quanto mais pessoas se envolvem nesse tipo de conhecimento, melhor fica a tomada de decisões acerca dos problemas que surgem.

Fonte bibliográfica:

https://www.escolaedti.com.br/pilares-wcm/

http://www.logistiqueconseil.org/Articles/Methodes-optimisation/5G

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *