Downtime, o peso da Manutenção

Luis Cyrino
21 abr 2019
0
1719

Downtime, o peso da Manutenção

Downtime é uma expressão originada na área de TI – Tecnologia da Informação, que indica o tempo em que um sistema, processo ou atividade não está operacional.

Ou seja, quando determinado serviço disponibilizado pela TI, é temporariamente interrompido/paralisado ou ainda “fora do ar”.

Essas interrupções podem ser planejadas (ocorrem durante uma atualização ou manutenção do equipamento) ou não planejadas. São justamente as paradas não planejadas que trazem grandes prejuízos e devem, a todo custo, ser evitadas.

Downtime no conceito produtivo

Basicamente o conceito é o mesmo para o processo produtivo, ou seja, é o tempo de indisponibilidade de um sistema, processo ou atividade operacional. O que difere aqui são seus motivos das causas dessa indisponibilidade que veremos a seguir.

Mas antes disso vamos entender esse conceito baseado na estabilidade de um processo produtivo segundo o STP – Sistema Toyota de Produção.

Segundo a Toyota, a estabilidade de um processo produtivo é uma condição mínima necessária para atender as demandas conforme as programações vão sendo liberadas.

Essa estabilidade é a situação onde o processo ou fluxo produtivo é mantido dentro do que foi planejado, sob a visão do “Takt time” e do comportamento dos 4M’s. Onde os conceitos desses termos “Takt time” e dos “4M’s” são respectivamente:

Takt time:

Expressão do alemão Taktzeit, onde Takt significa compasso, ritmo e Zeit significa tempo, período), é o tempo disponível para a produção dividido pela demanda de mercado. Orienta a maneira pela qual a matéria prima avança pelos processos produtivos conforme programação dos pedidos.

Um ritmo de produção mais rápido gera estoque, enquanto que um ritmo de produção mais lento gera a necessidade de aceleração do processo e, consequentemente, perdas, como refugos, retrabalhos, horas extras, enfim, um desequilíbrio na produção.

4M’s:

Conhecido popularmente como espinha de peixe, o Diagrama de Ishikawa (diagrama de causa e efeito) é uma ferramenta para identificar problemas no processo de produção.

A espinha de peixe tem sua divisão baseada em causas primárias, que podem ser os 4 ou 6 M’s. Usando essa ferramenta podemos identificar as causas dos problemas analisando o todo, ou seja:

Mão de obra, Material, Máquinas e Métodos se for usar 4 M’s ou acrescentar o Meio Ambiente e Medição para usar os 6 M’s.

OEE trazendo o conceito do Downtime

Sabemos que o OEE – Eficiência Global do Equipamento, é calculado com base em três fatores. Fazem parte desse cálculo a disponibilidade da máquina para produzir, a taxa de qualidade do que é produzido (peças boas) e a taxa de performance (velocidade de produção atual em relação a velocidade nominal – programada).

O OEE, não apenas fornece um indicador de desempenho global do equipamento, como também indica quais as perdas que estão afetando seu resultado.

E essas perdas estão ligadas diretamente com o conceito do Downtime, ou seja, a indisponibilidade da máquina. E são causadas por qualquer um dos três fatores citados acima para cálculo do OEE – (Qualidade, Performance e Disponibilidade).

Peso da Manutenção nesses três fatores

A Manutenção tem participação direta nos índices do OEE e o Downtime como causa da indisponibilidade pode ser percebida em cada um dos fatores mencionados.

Downtime quanto à Qualidade

Quando a Qualidade, a manutenção pode interferir gerando prejuízos por causa de algumas situações. Podemos citar mecanismos de ajustes usados no setup que não estão em boas condições, causando dificuldades nas regulagens.

Isso pode gerar constantes paradas para acerto, regulagens que se tornam instáveis, isso gera produtos com qualidade prejudicada. Outro exemplo seria transmissões com folgas excessivas que geram uma instabilidade no processo e dificultando o acerto do produto.

Como uma máquina é composta essencialmente por mecanismos, sistemas de acionamento e partes girantes, desgastes e mal funcionamento de certos componentes podem gerar essa dificuldade. E isso por vezes é oculto por falta de inspeções periódicas e uma manutenção eficaz.

Downtime quanto à Performance

Quanto a performance, a interferência da manutenção pode acontecer com os problemas e ocorrências das pequenas paradas e baixa velocidade. Um acaba ocasionando o outro, ou seja, os excessos de pequenas paradas fazem com que a máquina tenha que ser reiniciada mais do que devia.

Isso causa a baixa velocidade, pois a cada vez que se coloca a máquina em operação, sua velocidade leva um tempo para ser alcançada em sua plenitude. Claro que a baixa velocidade e as pequenas paradas têm suas causas por motivos distintos também.

No caso da baixa velocidade pode estar ligado a certos defeitos, barulho ou vibrações. Nessa situação acaba por se adotar uma velocidade reduzida para evitar problemas nos produtos até que se resolva isso. No caso das pequenas paradas pode ser causada por falhas diversas em mecanismos, sistemas elétricos, pneumáticos entre outros.

Causas pequenas interrupções na produção (podemos dizer até 10 minutos), que somadas ao final de cada turno trazem grandes prejuízos.

Downtime quanto à Disponibilidade

Talvez seja onde mais a Manutenção pode interferir causando prejuízos à disponibilidade. Nessa situação são os problemas de paradas inesperadas, chamadas de manutenção corretiva.

Aqui podemos ter vários fatores que influenciam, tais como, pessoal pouco qualificado, falta de estratégias de manutenção voltadas para preventiva e preditiva, entre outros.

O excesso de paradas em corretiva é o grande problema nas empresas em geral por falta de recursos e uma gestão eficiente na Manutenção. Isso afeta significativamente a disponibilidade de máquinas e equipamentos e como consequência, uma baixa produtividade.

Conclusão

Como podemos observar, a estabilidade dos processos produtivos depende, e muito de uma manutenção eficaz de máquinas e equipamentos. O Downtime que pode ser causado pela área de Manutenção, pode ser revertido com estratégias corretas e uma gestão eficiente.

O Manutenção em foco tem uma solução adequada para reverter isso, entre em contato conosco para uma visita técnica sem compromisso. Vamos entender a situação e propor soluções eficientes baseada em dados e ferramentas de gestão.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *