Análise dos resultados da Manutenção

Luis Cyrino
16 jul 2019
0
1284

Análise dos resultados da Manutenção

Análise de resultados é algo que precisa ser bem entendido pela gestão para um processo decisório assertivo, indicadores de desempenho não é para cumprir tabela como diz o dito popular.

O que pode ser medido, pode ser melhorado”. Essa famosa frase do Peter Drucker é uma referência utilizada no meio empresarial por seus gestores.

Eles acreditam que não tem como gerenciar os negócios sem a utilização de indicadores de desempenho. É preciso ter alguma ferramenta, no caso os indicadores, que tragam resultados sobre os processos da empresa para auxiliá-los na tomada de decisão.

Essa afirmação também é corroborada por Willian Edwards Deming, famoso guru da administração na área da qualidade, ao afirmar que:

“Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende e não há sucesso no que não se gerencia. ”

Objetivo dos indicadores/KPIs?

Um conjunto de Indicadores/KPIs são algumas métricas que permitem avaliar o desempenho de uma empresa em geral. Baseado nos resultados que esses indicadores mostram é que podemos ver a efetividade das estratégias e dos planos adotados.

Desta forma, é possível estabelecer metas e compará-las com os resultados alcançados, assim torna possível verificar em quais indicadores a empresa está melhorando ou piorando, bem como comparar com os resultados com os anos anteriores (histórico).

É possível também comparar alguns dos seus resultados com outras organizações (Benchmarking), facilitando a avaliação sobre o desempenho da empresa e de sua competitividade no mercado.

Veja mais sobre Indicadores e KPIs, clique AQUI

Definição dos melhores indicadores

Para cada indicador que se define numa empresa, sempre será necessário a análise de algumas perguntas que devem ser respondidas, tais como:

  • Atende plenamente ao que se espera dele?
  • Esse indicador tem relação com a estratégia da empresa?
  • Esse indicador se alinha com outros indicadores já definidos?
  • Esse indicador apresenta possibilidade de medição periódica?
  • O indicador está claramente definido?
  • É de fácil entendimento?
  • Sua coleta de dados é confiável?
  • O indicador pode ser objetivamente mensurado?

Analisando o desempenho dos resultados

Para saber como analisar indicadores/KPIs de desempenho, é preciso entender que esse processo começa já na criação de tais indicadores.

Qualquer setor da organização pode ter os seus indicadores de desempenho. Porém, é bom ficar atento para não criar uma infinidade de indicadores que, na maioria das vezes, são irrelevantes e acabam não sendo utilizados para as tomadas de decisão.

Antes de definir quais serão os indicadores de desempenho, o gestor precisa estar ciente dos objetivos estratégicos da organização. Depois, é necessário que se estabeleça, no mínimo, dois parâmetros de análise.

  • O primeiro parâmetro diz respeito ao resultado ideal que se pretende alcançar, tipo: quanto maior, melhor ou quanto maior o faturamento, melhor.
  • O segundo parâmetro de análise são as metas, que precisam ser específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e com prazo bem definido.

Fato, Causa e Ação

Ao analisar um indicador de desempenho devemos ter em mente que precisamos primeiro ver se o mesmo atingiu ou não a meta prevista para o período medido.

Não é porque um resultado está dentro do previsto ou da meta que não devemos analisa-lo. Algumas questões devem ser entendidas mesmo quando o resultado é positivo, senão vejamos:

  • O resultado em si foi bom o suficiente?
  • Foi alcançado com algumas ações ou naturalmente?
  • O resultado foi consistente ou um mero acaso?

Agora se o resultado não alcançou a meta, então as questões a serem levantadas são mais relevantes, é claro. Não atingir um objetivo ou uma meta é com certeza algo frustrante, mas que deve ser encarado como uma situação “ímpar” e que deve ser entendida.

É somente entendendo “o que aconteceu” que podemos tomar as devidas ações corretivas para buscar o resultado positivo para o próximo período.

É nessa hora que devemos utilizar o conceito do GPD – Gerenciamento Por Diretrizes, onde para cada meta não alcançada devemos ter o “Fato, Causa e Ação”, onde:

Fato – o que aconteceu com o resultado do indicador, o que se esperava que não aconteceu, exemplo: O indicador do MTTR da máquina XYZ ficou em 1,25 horas, acima da meta estipulada de 1 hora.

Causa – aqui deve ser entendido o porquê o resultado ficou acima da meta, descrever o principal motivo de isso ter acontecido, exemplo: excesso de tempo em uma corretiva (5 horas) por problemas no sistema hidráulico da máquina.

Ação – com base no fato e na sua causa, o que vai ser feito para resolver o problema, quais as ações, contra-medidas que serão adotadas para o caso? Exemplo: após uma análise de falhas ficou constado que o problema aconteceu por falta de alguns componentes elétricos que precisaram ser adquiridos via compra direta.

Algumas ações foram definidas como rever as quantidades dos itens no estoque, prazo de fornecimento com o nosso fornecedor e lead time entre pedido e entrega do material em nosso estoque.

Conclusão

Podemos entender com isso que um indicador não é simplesmente para encher quadros de gestão ou fazer de conta que tem alguns.

Definir corretamente os indicadores de um setor e de uma empresa em geral é determinante para se gerenciar seus resultados.

E mais que isso, entender os fatos, suas causas e principalmente, a tomada de decisão com as mais assertivas ações para reverter os resultados não alcançados.

 

Fonte:

https://administradores.com.br/

 

 

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *