MTTR – Mean Time to Repair

Luis Cyrino
17 set 2017
4
3085

MTTR – Mean Time to Repair

MTTR (Mean Time To Repair), um KPI importante na Manutenção, é a média de tempo que se leva para reparar uma quebra/falha em máquinas e equipamentos.

O tempo médio para reparar (MTTR) é uma medida resultante da capacidade da Manutenção de um item, componente ou sistema e devolvê-lo ao status de trabalho.  Isso inclui o tempo de notificação, o diagnóstico e o tempo gasto na reparação real, bem como outras atividades necessárias antes que o equipamento possa ser usado novamente.

Principais Benefícios do MTTR

  • Identifica possíveis problemas de tempo de inatividade e manutenção;
  • Auxilia na análise de reparo / substituição;
  • Auxilia no planejamento de recursos necessários (pessoal, ferramentas, equipamento de teste, etc.);

O MTTR na Manutenção é calculado dividindo o tempo total gasto para reparo dividido pelo número total de reparos realizados em um período de tempo específico, normalmente “um mês”.

MTTR por categorias

Igualmente como sugestão para o MTBF, poderíamos categorizar o cálculo do MTTR para melhor entender os problemas de performance da equipe de Manutenção. Poderia ser:

  1. MTTR relacionado por eventos de manutenção originados pelas máquinas e equipamentos em geral, o que é mais comum;
  2. MTTR relacionado por eventos originados em determinados tipos de itens, peças ou componentes, ou mesmo em conjuntos ou tipo de máquinas;
  3. MTTR relacionado por interrupções externas que você não pode controlar, como energia ou falta de água e que originaram problemas de manutenção;
  4. MTTRF relacionado por problemas originados por defeitos de matéria prima ou insumos.

Cuidados com a análise do MTTR

O que se espera desse indicador? Com certeza a gestão espera que o tempo de reparo seja sempre o menor possível, certo? Mas cuidado, pois podemos ter um número melhor de um mês para o outro, mas que foi alcançado graças a uma piora de outro indicador.

Mas como isso pode acontecer? Explico, vamos supor que no mês 7 o MTTR geral da planta foi de 3 horas e no mês 8 o MTTR alcançou um índice de 2,5 horas. Que maravilha não é mesmo, algo a comemorar, será?

Pode ser que essa melhora se deu graças a um aumento do índice de quebras/falhas, ou seja, tivemos basicamente o mesmo número de horas de manutenção em corretiva, mas um aumento do número de paradas, entendeu?

Outro cuidado importante é termos um evento onde a manutenção fez uma intervenção corretiva paliativa que resultou em tempo menor de reparo.

Isso porque não tinha todos os recursos necessário para fazer a manutenção correta. Com certeza por esse motivo pode acontecer uma “ajudinha” para que o índice do MTTR seja melhor de um mês para o outro.

O que quero dizer com esses exemplos possíveis de acontecer é que, interpretar os indicadores é algo que precisa ser feito de forma assertiva. Como diz o dito popular “nem tudo que reluz é ouro”, portanto de olho nos seus indicadores.

Estratégia para melhorar o MTTR

O que podemos dizer que influencia diretamente os índices desse indicador? Temos várias situações que corroboram para um mal índice de MTTR, citaria os seguintes:

  • Manutenção Preventiva ineficiente ou falta dela;
  • Planos de lubrificação não contempla de forma adequada os ativos em geral;
  • Falta de mão de obra suficiente para atender a demanda;
  • Mão de obra heterogênea, ou seja, nem todos têm a mesma habilidade e capacidade de resolver problemas;
  • Estoques de manutenção não atendem a necessidade, sempre falta algum item na hora da precisão.

São alguns itens que acredito, precisam de muita atenção por parte da gestão e por motivos óbvios. Todos eles influenciam sobremaneira todos os indicadores importantes da Manutenção, a gestão que fique atendo a eles.

Conclusão

Como sempre vemos e ouvimos e com razão, Deming, em sua celebre frase que diz o seguinte:

“Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende, e não há sucesso no que não se gerencia”.

Essa frase faz menção e uma relação direta entre medir por meio dos KPIs e principalmente, fazer a análise correta desses números de forma a entender e tomar as decisões assertivas em busca dos objetivos a serem alcançados. E na Manutenção indicadores chave como o MTBF e o MTTR são imprescindíveis.

Comentários

4 respostas para “MTTR – Mean Time to Repair”

  1. Leonardo Santos Araujo da Silva disse:

    Quais os criterios que devemos adotar para escolhermos os equipamentos que irão compor o MTTR para analise?

    • Luis Cyrino disse:

      Leonardo para efeitos de acompanhamento principalmente da qualidade dos serviços da Manutenção você deve aplicar o MTTR para todos as máquinas e equipamentos. Agora como explicado na matéria você pode paralelamente criar grupos de ativos para fazer esse acompanhamento, tipo MTTR de ativos classificados com criticidade “A”, ativos com as mesmas características, por área, cada ativo individualmente, enfim cada gestão define a melhor maneira que julgar. O importante é fazer com que o indicador seja aplicado corretamente. Espero ter conseguido esclarecer a sua dúvida, qualquer coisa me retorne pelo e-mail: contato@manutencaoemfoco.com.br

  2. JAMIL DE SOUZA CASTRO disse:

    Ótimo texto Luis.

    O mesmo serve para o MTBF, é preciso uma análise criteriosa do indicador, pois o tempo médio entre falhas reduzido também pode nos dar a falsa impressão de melhora, quando na verdade as várias paradas do ativo afetam diretamente na retomada da produção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *