Energia elétrica na geração ar comprimido

Luis Cyrino
21 dez 2017
0
324

Energia elétrica dos compressores

Energia elétrica na geração do ar comprimido é algo que merece toda a atenção quanto ao seu consumo pois gera altos custos. Na matéria anterior sobre Compressores, falamos sobre algumas definições e características sobre o ar comprimido, sua geração e a melhor estratégia de Manutenção. Nesta edição vamos entender como podemos minimizar os custos da energia elétrica desde a geração até o consumo final do ar comprimido.

Sabemos que certas perdas em toda a cadeia dessa geração, pode levar a altos custos, então vamos tentar entender alguns potenciais que temos para evitar tais desperdícios.

Potenciais para baixar os custos na geração do ar comprimido

Os potenciais de redução dos custos com a economia e/ou eliminação de desperdícios da energia elétrica nessa geração podem ser divididos em duas partes: a primeira, na geração do ar comprimido, envolvendo a casa de máquinas e a segunda, na distribuição e consumo.

1. Potenciais na casa de máquinas

Talvez muitos não tenham a devida noção da importância, mas com certeza um dos maiores problemas de consumo de energia elétrica começam por irregularidades nas instalações. A sala ou casa de máquinas onde são instalados os compressores, tem algumas características importantes a serem observadas:

Aspiração:

Como o compressor tem na geração de ar comprimido, a aspiração de ar ambiente, é importantíssimo observar a localização dos bocais de aspiração.

Exaustão:

Outro fator não menos importante é a saída de ar quente dos compressores via bocais de exaustão onde devem direcionar a saída desse ar longe do alcance dos bocais de aspiração.

Ventilação:

O aquecimento é um grande fator de risco para o bom funcionamento dos compressores em geral, por isso uma ventilação adequada e a localização dos bocais de aspiração e exaustão são fundamentais.

Carga e descarga:

Outro fator que merece atenção é o ajuste de carga e descarga, normalmente é recomendado que o compressor entre em carga no máximo até 3 vezes por minuto. O ajuste de carga máxima e mínima é que determinam esse tempo e orientam para possíveis problemas, principalmente vazamentos.

Carga de trabalho:

Normalmente as empresas tem sempre um compressor reserva, e isso é o mais recomendado. Nessa situação é bom alternar sempre o compressor (es) que ficam em carga, ou seja, enquanto um está em carga, o outro fica em alívio. Com isso se alivia o tempo de trabalho em carga dos mesmos e ao mesmo tempo ficam com tempos em carga bem próximos. Isso permite que não aconteça de um compressor fique mais sobrecarregado e desgastado em relação ao outro.

2. Potenciais na distribuição e consumo

Os vazamentos nas linhas de ar comprimido com certeza se constituem no maior problema de perdas e consumo de energia elétrica. Isso acontece desde as linhas de distribuição em geral até os pontos de consumo.

Linhas de distribuição:

É bastante comum nas instalações de ar comprimido nas indústrias não haver verificação e manutenção periódica das linhas de distribuição, por considerar perda de tempo parar a instalação para fazer a manutenção.

Os vazamentos existentes, geralmente do conhecimento de todos, são negligenciados. Porém, estes vazamentos podem assumir proporções muito significativas relativas ao consumo de energia elétrica e, consequentemente, no custo final do ar comprimido.

Vejam na tabela abaixo uma correlação entre a potência perdida em vazamentos e a vazão, considerando um sistema operacional a 6 bar.

Pontos de consumo:

Nos locais onde efetivamente o ar comprimido é utilizado, ou seja, nos pontos de consumo onde ele se transforma em energia, também temos muitos problemas. Os mais comuns são vazamentos pois todos os itens de consumo como válvulas, cilindros pneumáticos entre outros são constituídos de componentes de vedação.

E vazamentos nesses itens são muito comuns e por vezes imperceptíveis devido ao elevado ruído nas instalações da empresa. Por isso é importante esse tipo de verificação em dias de parada de produção onde se torna mais audível esse tipo de problema.

Outra situação que merece toda a atenção são pontos de consumo desregulados ou com uso de ar comprimido desnecessário. O conceito do uso racional e correto de ar comprimido deve estar intrínseco na cultura de todos e de entendimento dos profissionais que fazem uso desse recurso.

Terceirizar ou não esse tipo de Manutenção?

Como visto no decorrer desta matéria, são muitos pontos relevantes e de preocupação quando falamos da manutenção dos compressores. São equipamentos fundamentais para continuidade dos processos nas empresas em geral.

Acredito que diante do exposto, é importante sim termos uma manutenção especializada nas intervenções preventivas desses equipamentos.

Mesmo porque também teremos em determinado tempo de horas em uso que se faz necessário uma manutenção da unidade de carga, trabalho executado somente pela assistência técnica do compressor.

Agora, também temos muitas atividades que devem fazer parte da Manutenção interna, tais como Inspeções de rotina com troca de filtros, verificação do nível de óleo, regulagens de carga e descarga, limpeza do ambiente, entre outras atividades.

E mais do que isso, fica sob responsabilidade da Manutenção interna a manutenção de toda a parte de distribuição e consumo, já descrito nesta matéria.

Conclusão

Como dito anteriormente, a área conhecida como “Utilidades” é o coração de uma empresa. Se essa área apresentar problemas, nada funciona ou vai funcionar precariamente, por isso tratem essa área como a mais importante da empresa.

Vale apena repetir o que já foi dito, uma empresa em geral não funciona sem água, ar comprimido e energia elétrica e sua manutenção deve contar com estratégias assertivas, pensem nisso.

Portanto, independente da sua estratégia para com a manutenção dos compressores, tenha sempre em mente que são equipamentos potentes e ao mesmo tempo delicados.

Merecem toda a atenção, cuidado e zelo para com a sua manutenção, tantos dos equipamentos em si como em toda rede de distribuição até os pontos de consumo.

Espero que tenham gostado desta matéria, dúvidas ou sugestões nos envie seu comentário e gratos por seu tempo em nos prestigiar com a sua leitura.

 

Fonte:

http://www.bosch.com.br/br/ferramentas_pneumaticas/

http://www.eletrobras.com/procel

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *