Orçamento Base Zero – OBZ

Luis Cyrino
20 maio 2016
2
2866

Orçamento Base zero

Orçamento Base zero – OBZ, parte da premissa de que todas as informações financeiras para a definição do orçamento corrente, se opõe ao orçamento de tendências. Ou seja, nenhum histórico de anos anteriores será utilizado como base de informações para a elaboração desse novo orçamento.

A ideia é que para cada ano o ideal é se rediscutir o orçamento em todos os níveis da empresa partindo do cenário atual. Ou seja, o que aconteceu no passado deve ficar no passado. Evitar riscos de contemplar algumas ineficiências que possam contaminar a visão do atual momento da empresa e da economia na qual a empresa está inserida.

Partindo dessa linha de pensamento, todas as atividades de cada área da empresa serão rediscutidas, nessa fase serão verificadas as necessidades ou não de alterações de produtos e volumes baseados no cenário atual.

Uma vez essa verificação geral estando concluída, se inicia a formação do orçamento partindo do zero. Ou seja, nenhuma informação de orçamentos anteriores será utilizada para balizar esse novo orçamento. Se inicia então as definições de novas metas e objetivos para o exercício do ano e dos custos para a realização, estruturação e manutenção desse novo planejamento estratégico da empresa.

Vantagens do OBZ

(Fonte: do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Zero-based budgeting»)

Permite uma alocação eficiente dos recursos, uma vez que a alocação é baseada nas necessidades e benefícios, e não no histórico;

Compete aos gestores a busca de melhorias operacionais que tenham um melhor custo x benefício;

Ajuda a detectar orçamentos inflacionados;

Aumenta a motivação do quadro de pessoal ao dar maior iniciativa e responsabilidade pela tomada de decisões;

Aumenta a comunicação e coordenação dentro da organização;

Identifica e elimina processos obsoletos ou que não agregam valor (desperdícios);

Encoraja os gestores a olhar criticamente para a forma como os serviços são prestados;

Os centros de custo são obrigados a identificar sua missão e sua relação com os objetivos estratégicos da organização.

Desvantagens do OBZ

(Fonte: do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Zero-based budgeting»)

Consome muito mais tempo na sua execução do que a orçamento tradicional, com base no histórico de anos anteriores;

Obriga a justificar cada item de despesa do orçamento, o que pode prejudicar departamentos de pesquisa e desenvolvimento enquanto departamentos de produção são beneficiados;

Requer treinamento específico dos gestores, devido a maior complexidade face à orçamentação tradicional;

Numa organização grande, a quantidade de informação necessária para suportar o processo de orçamentação base zero pode se tornar intratável;

A honestidade dos gestores deve ser confiável e uniforme, pois um gestor propenso a exagerar pode distorcer os resultados do orçamento.

Conclusão

Como em qualquer tipo de orçamento, qualquer alteração pode influenciar sobremaneira as atividades da área de Manutenção que a cada ano precisa se readequar aos objetivos e metas da empresa.

Na próxima publicação descreveremos algumas premissas que devemos considerar para compor o “Orçamento da Manutenção”. Deixe seu comentário, sua opinião é muito importante.

Comentários

2 respostas para “Orçamento Base Zero – OBZ”

  1. Walter Bastos de Souza Júnior disse:

    Olá Luis!
    Amigo, como faço pra montar esse tipo do orçamento no departamento? Estou em dúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *