Aditivos para sistemas de arrefecimento

Luis Cyrino
26 maio 2021
0
732

Aditivos para sistemas de arrefecimento

Aditivos são certas substâncias que são adicionadas para melhorar o rendimento de uma propriedade de certos itens ou produtos. Existem aditivos para diversas finalidades, como os usados na construção civil onde temos aditivos no cimento, nas tintas, no concreto entre outros.

Temos outro exemplo dos aditivos usados nos combustíveis automotivos como na gasolina, no álcool e no óleo diesel. Um outro exemplo que podemos citar são os aditivos usados nos lubrificantes em geral como no óleo e nas graxas usados na indústria e no setor automotivo.

No setor automotivo temos basicamente a existência de três tipos de aditivos, os aditivos para combustíveis, os aditivos para os óleos lubrificantes e os aditivos que são utilizados como meios de arrefecimento (usado no radiador do veículo).                                                                          

Aditivos para sistemas de arrefecimento (radiadores)

Nesta matéria vamos falar sobre os aditivos para o sistema de arrefecimento que são considerados muito importantes e que possuem duas funções básicas.

A primeira função é garantir que a água do radiador esteja em condições de resfriar todo o sistema, ele funciona da seguinte maneira:

O produto aditivo aumenta o ponto de ebulição da água e impede que ela evapore com facilidade e também atua para diminuir o ponto de congelamento. Com isso garante que a água do sistema permaneça em seu estado natural, ou seja, na forma líquida.

A segunda função do produto é a de ser um agente antioxidante. Caso o produto aditivo não for usado por longos períodos, existe uma grande probabilidade de ocorrer a oxidação do bloco do motor quando este for construído de ferro fundido e de outras partes do sistema por onde essa solução circula.

Qualidade da água

Além da falta de aditivo, outro motivo que pode levar à oxidação do motor é o uso de água comum (de torneira), contém minerais e cloro. Usando essa água pode comprometer o funcionamento de alguns itens importantes do sistema de arrefecimento.

Tais como a bomba d´água, que pode travar com a ferrugem e incrustações. Além disso essa contaminação no sistema vai provocar a falta de resfriamento correto do motor.

Portanto é necessário usar água desmineralizada na composição dessa mistura (aditivo + água) que não contém nenhum tipo de minerais em sua composição.

Tipos de aditivos

Basicamente temos três tipos de aditivos para sistemas de arrefecimento, cada qual com composições específicas. O melhor para cada tipo de veículo vem nas recomendações e manutenção contidas no manual de instruções do fabricante.

É importante seguir sempre essas recomendações, pois são produtos testados na exaustão para comprovar a sua eficiência. Os três tipos são os seguintes:

Aditivo concentrado

O aditivo de radiador concentrado é geralmente um produto mais forte, puro, e que precisa ser diluído na água. Normalmente a sua mistura fica na proporção de 40% a 60% do volume total de água exigida pelo sistema.

É um produto concentrado à base de monoetilenoglicol, desenvolvido para prevenir o superaquecimento e o congelamento do líquido do sistema de refrigeração.

Especialmente recomendado para veículos equipados com direção hidráulica e/ou ar condicionado. Ao mesmo tempo que refrigera, ele também lubrifica a bomba d’água e reduz a corrosão e incrustações no sistema.

Aditivo para limpeza

Especialmente desenvolvido para limpar e remover rapidamente incrustações e ferrugens do sistema de refrigeração dos veículos.

Atenção: esse produto é aplicado geralmente com o auxílio de um sistema externo de circulação que faz circular o produto por determinado tempo e em seguida é eliminado com toda a sujeira de dentro do sistema.

Após este procedimento, agora com o sistema limpo e todos os resíduos retirados, é que se enche novamente o sistema. E com o aditivo mais água desmineralizada, seguindo sempre a dosagem indicada pelo fabricante do veículo ou com o fluído de arrefecimento (pronto para uso).

Aditivo pronto para uso (fluido)

Esse produto pronto para uso, também à base de monoetilenoglicol, foi desenvolvido para proteger o sistema de arrefecimento contra corrosão e cavitação, além de anticorrosivo e antiespumante.

Esse aditivo leva o nome “pronto para uso” pois o aditivo já vem diluído na água, pronto para a utilização no sistema de arrefecimento.

Tipos quanto a sua fabricação

Temos ainda os tipos de aditivos conforme a sua natureza de fabricação que são os chamados orgânicos e não orgânicos (inorgânico).

Orgânico: Aditivo para arrefecimento com maior estabilidade, feito à base de monoetilenoglicol.

Produto requer menor frequência de manutenção, seus inibidores de corrosão são essencialmente de base orgânica (biodegradáveis). Por essas características orgânicas, sua durabilidade é maior que o não orgânico.

Não orgânico: Ao contrário do orgânico, o não orgânico é um produto sintético, ou seja, completamente desenvolvido em laboratório.

Sua composição apresenta substâncias como silicatos e fosfatos, que tendem a degradar-se ao longo do tempo reduzindo sua vida útil. Por serem produtos sintéticos e portando não biodegradáveis, requerem o seu descarte correto, em lugares apropriados.

Aditivo e fluido para radiadores têm diferença?

Como diz o dito popular, “Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa”. Existe diferença sim, mas que não traz nenhuma preocupação. Ambos têm a mesma finalidade, porém não podem ser usados juntos pois tem uma composição diferente.

Conforme afirmação da TEXACO, é considerado aditivo aquela substância que deverá ser misturada à água e que possui uma quantidade de monoetilenoglicol (MEG) e inibidores de corrosão em sua composição.

Além disso, esse aditivo precisa atender a determinadas normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Portanto, o aditivo é um produto puro e concentrado, sem mistura da água.

Já os fluidos, não precisam ser misturados com água pois já vem pronto para uso e também devem cumprir as normas da ABNT.

Normas atreladas aos aditivos e fluidos para radiadores

Para que se tenha a certeza de que está trabalhando com um produto de qualidade, é preciso verificar determinadas certificações:

  • Norma ASTM D-3306 – Esta especificação cobre os requisitos para soluções arrefecedoras de motor à base de etilenoglicol ou propilenoglicol usados em automóveis ou outros sistemas de refrigeração para serviços leves.
  • Norma ABNT NBR 13705:2011 – Veículos rodoviários automotores — Aditivos para arrefecimento de motor endotérmico, tipo inorgânico A e B, concentrados.
  • Norma ABNT NBR 14261:2016 – Veículos rodoviários automotores – Soluções arrefecedoras para motor endotérmico, tipos A, B e C, na versão pronto para uso.
  • Norma ABNT NBR 15297:2005 – Veículos rodoviários automotores – Aditivos para arrefecimento de motor endotérmico, tipo orgânico

Conclusão

Como podemos ver, todo cuidado é pouco com o sistema de arrefecimento dos veículos em geral. Não deixe de fazer essa inspeção e/ou manutenção periodicamente e evite dissabores com altos custos de manutenção.

A recomendação básica é fazer a troca completa do líquido de arrefecimento a cada 30 mil Km ou a cada ano. A limpeza do sistema e troca periódica do líquido de arrefecimento (aditivo ou fluido) é muito importante para a saúde do motor. E tem um custo baixo se comparado aos enormes problemas que podem ser causados pela falta dessa manutenção.

Fonte:

https://blog.texaco.com.br/

http://abnt.org.br/paginampe/biblioteca/files/

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *