Estoque obsoleto de Manutenção

Luis Cyrino
8 jul 2018
0
1329

Estoque obsoleto de Manutenção

Obsoleto – Estoque obsoleto trata-se de itens já identificados como sem demanda futura, mas que ainda se mantém como itens ativos no estoque. Em âmbito contábil, significa um estoque mais antigo sem possibilidade real de uso, mas que tem seu valor financeiro contabilizado como capital de giro.

Os estoques possuem motivos para existir, porém, todo material parado onera o custo do produto além de ser propenso a se tornar obsoleto. Assim é imprescindível que haja uma gestão assertiva de cada item cadastrado no sistema, sua rotatividade e principalmente a real necessidade de fazer parte do estoque.

Estoque obsoleto de Manutenção

Normalmente a área de Manutenção tem um nível de estoque considerado alto devido a demanda de peças e componentes do seu parque de máquinas e equipamentos.

A possibilidade de ocorrer de um item se tornar obsoleto, se torna alto quando não temos uma gestão assertiva. Estoque obsoleto é um dentre outros problemas comuns de ocorrer nos estoques de Manutenção, é uma área altamente crítica e que merece toda a atenção.

Como um item se torna obsoleto?

Antes de mais nada, é preciso entender como um item do estoque pode se tornar como um item obsoleto. Tem várias situações que podem acontecer para que um item antes necessário, agora se torne obsoleto. Vamos elencar algumas situações onde podemos considerar um item obsoleto:

Falha na previsão de demanda

Na Manutenção o problema na previsão de demanda dos itens à serem cadastrados é realmente um grande dilema. A demanda de peças e componentes na manutenção sofre de muitas variáveis e isso possibilita que muitos itens possam ficar tempo demais ou de menos no estoque.

No caso da obsolescência pode ser definida como algum item “parado” no estoque por mais de dois anos. Nesse caso é necessária uma boa gestão do item para entender se realmente é necessário ter no estoque.

Avanços tecnológicos

Com certeza esse é um dos motivos mais comuns da obsolescência de itens de manutenção de máquinas e equipamentos. Ainda mais aqui no Brasil onde os ativos são usados além da sua capacidade de vida útil.

Ativos com mais de 10 anos de utilização com certeza já deixaram se ser fabricados com as mesmas tecnologias. As inovações fazem com que muitos itens sejam substituídos por modelos mais modernos e mais eficientes.

Nessa o seu estoque tem itens que já foram descartados e essa máquina ou equipamento não foi se atualizando. O ativo requer uma atualização tecnológica para se manter competitivo e itens podem se tornar obsoletos por isso.

Modificações e/ou melhorias

Comum também nos processos de modificações e melhorias de máquinas e equipamentos ser alterado a especificações de muitos itens. Quer seja esse processo ser feito internamente ou pelo próprio fabricante do ativo.

Toda modificação ou processo de melhoria deve ser alterado dentre outras coisas, os itens de estoque que fazem parte dessas modificações. As vezes lembramos de colocar no estoque os novos itens desse processo e esquecer dos que são cadastrados e fazem parte do sistema anterior.

Máquinas e equipamentos inativos

As empresas podem investir em novos ativos e uma ou outra máquina ou equipamento pode se tornar inativo. Pode acontecer se não ser feito o devido planejamento para essa transição e um ativo já depreciado ficar inativo (descartado).

E no estoque tem muitos itens que eram destinados especificamente para este ou aquele ativo que foi inativado. E agora, fazer o que com esses itens, agora definitivamente sem uso?

Como evitar a obsolescência de itens do estoque?

Como já mencionado neste artigo, a gestão dos estoques precisa ser assertiva para não acontecer de um item ficar obsoleto. Uma das maneiras eficazes é analisar a demanda ou giro dos itens de manutenção do estoque.

Essa análise nos permite identificar quais itens são potencialmente candidatos a se tornarem obsoletos. O período de não utilização de um item superior a dois anos por exemplo, é alvo de uma análise.

Máquinas e equipamentos não mais fabricados ou são modelos atualmente bem mais modernos dos que existem na empresa, também é alvo de análise.

Processo de desativação de itens

Uma das ações extremamente necessárias após a identificação de itens obsoletos é elaborar um processo de desativação desses itens do estoque.

A ideia é não permitir que a quantidade de obsoletos se torne grande demais e cause alguns problemas como volume financeiro que necessariamente se tornará uma despesa ao ser desativado do estoque. Outro problema é o custo em geral contabilizado de se manter em estoque itens já não utilizados.

Conclusão

O problema de itens obsoletos de manutenção é puramente falta de gestão desses sobressalentes. Todo esse problema começa a ser “construído” no momento do cadastro dos itens para estoque sem critérios.

E na sequência a falta de inventário, acompanhamento da demanda e falta de atualização das tecnologias embarcadas em máquinas e equipamentos.

Estoque é dinheiro parado em qualquer situação, agora na condição de item obsoleto é algo que não pode acontecer. É o mesmo que “comprar e não levar”, então convenhamos, acontecer isso é pura falta de gestão.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *