Ferrografia, mais uma técnica preditiva

Luis Cyrino
20 dez 2015
3
7952

Conceitos e aplicação da Ferrografia

Dando sequência no tema sobre as técnicas ou métodos da Manutenção Preditiva vamos falar nessa matéria sobre a utilização da técnica da Ferrografia.

Origem da Ferrografia

A Ferrografia foi descoberta em 1971 por Vernon C. Westcott, de Massachusetts, EUA e desenvolvida durante os anos seguintes com a colaboração de Roderic Bowen e patrocínio do Centro de Engenharia Aeronaval Americano e outras entidades.

O objetivo inicialmente proposto foi o de quantificar a severidade do desgaste de máquinas e para a pesquisa foram adotadas as seguintes premissas:

  1. Toda máquina desgasta-se antes de falhar.
  2. O desgaste gera partículas.
  3. A quantidade e o tamanho das partículas são diretamente proporcionais à severidade do desgaste que pode ser constatado mesmo a olho nu.
  4. Os componentes de máquinas, que sofrem atrito, geralmente são lubrificados, e as partículas permanecem em suspensão durante um certo tempo.
  5. Considerando que as máquinas e seus elementos são constituídos basicamente de ligas de ferro, a maior parte das partículas provém dessas ligas.

Conceito da Ferrografia

A Ferrografia é uma técnica de avaliação das condições de desgaste dos componentes de uma máquina ou equipamento por meio da quantificação e observação das partículas em suspensão em óleos em geral e outros tipos de fluídos. Essa técnica consiste na determinação da severidade, modo e tipos de desgaste por meio da identificação da morfologia, acabamento superficial, coloração, natureza e tamanho das partículas encontradas em amostras de óleos ou graxas lubrificantes de qualquer viscosidade, consistência e opacidade.

A Ferrografia não engloba apenas a possibilidade de partículas ferromagnéticas serem detectadas, inúmeros outros tipos de materiais são analisados por meio desta técnica tais como ligas de metais não ferrosos e materiais não metálicos (areia, fibras orgânicas e fibra inorgânicas, borra, fuligem, etc.) Essa técnica contempla os requisitos exigidos pela Manutenção Preditiva.

Tipos de exames

Ferrografia analítica

O exame analítico permite a visualização das partículas para que se possam ser identificados os tipos de desgaste presentes. A Ferrografia analítica ocupa-se de causas e severidade e é mais completa que a Ferrografia quantitativa.

Os tipos de partículas são classificados de acordo com o tipo de desgaste (esfoliação, abrasão, corrosão, entre outros) ou conforme sua forma (esferas, laminares) ou ainda conforme sua natureza (polímeros, óxidos, contaminantes orgânicos).

Ferrografia quantitativa

Essa técnica quantitativa ou de leitura direta, utiliza os mesmos princípios da Ferrografia analítica, a diferença está no formato do corpo de prova e no método de leitura. O exame quantitativo analisa o tamanho e a quantidade das partículas ou seja, as partículas do Ferrograma maiores que 5 µm, passam a ser denominadas Large – L (grandes) e as iguais ou menores a 5 µm, Small – S (pequenas). Os resultados obtidos com a Ferrografia quantitativa são usados para uma análise de tendências.

Vale salientar que a Manutenção Preditiva é muito abrangente ou seja, uma ou outra técnica preditiva não são suficientes para atender as necessidades de um parque fabril. Cada qual tem suas particularidades sendo preciso verificar as necessidades para cada tipo de máquinas e equipamentos e conforme essa verificação, incluir outras técnicas pois cada qual tem um objetivo único para fornecer informações específicas.

Nas próximas publicações continuaremos com o tema das técnicas ou métodos da manutenção preditiva. Deixe seu comentário, sua opinião é muito importante.

Comentários

3 respostas para “Ferrografia, mais uma técnica preditiva”

  1. valnei seixas barreto disse:

    boa apresentação, simples e descomplicada

  2. Wesley Valverde disse:

    Gostaria de adquiir uma conjunto de equipamentos para realizer interno a minha empresa o teste de ferrografia.

    Poderiam me indicar uma empresa que faz a venda deste equipamento?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *