ERV – Estimated Replace Value

Luis Cyrino
26 out 2023
0
1427

ERVEstimated Replace Value

Esse termo em inglês ERV – Estimated Replace Value traduzido como “Valor Estimado de Substituição”, é um indicador financeiro. O intuito desse indicador/KPI é demonstrar o custo total de manutenção empregado em cada ativo.

Pode ser utilizado para concluir se é melhor manter esse ativo ou adquirir um novo. Esse indicador é nosso conhecido como CPMV – Custo de manutenção sobre valor de reposição.

Resumidamente é o valor monetário que seria necessário para repor a capacidade de produção de certos ativos de uma planta fabril. Ativos que podem ser máquinas e equipamentos de produção ou processo, bem como utilitários e ativos relacionados.

Indicadores e KPIs e sua importância

Ao falarmos desse indicador CPMV, é importante entendermos que a gestão de todo e qualquer tipo de negócio passa pela boa análise de seus indicadores.

E para o segmento industrial e mais especificamente na Manutenção e Produção, aplicar diversos tipos de indicadores se torna um grande diferencial de gestão.

Uma boa análise dos indicadores  pode melhorar o controle sobre o negócio, bem como aumenta sua eficiência e produtividade.

Isso porque é através deles que se conhece a eficiência dos métodos, processos e seus custos. E garante o entendimento se o planejamento está sendo eficiente ou não , entre outras informações relevantes.

Entendendo a aplicação do ERVEstimated Replace Value

Os ativos de fabricação/produção aparecem no balanço financeiro da empresa, à medida que depreciam constantemente com base no seu tempo de uso/idade.

Nesse tempo os custos de manutenção desses ativos vão ficando cada vez mais elevados. E claro vai chegar um momento que surge o questionamento se ainda vale a pena “gastar” para manter esses ativos.

A Manutenção deve continuar fazendo reparos cada vez mais frequentes, reformar ou substituir? Essas dúvidas nos faz repensar naquela velha premissa para responder sobre o custo benefício desse ativo.

E isso começa ao fazermos o cálculo do custo de manutenção sobre o valor estimado de reposição – CPMV (ERVEstimated Replace Value).

Como avaliar o ERVEstimated Replace Value?

O valor estimado de reposição ou CPMV informa como seus custos em geral com manutenção de ativos estão sendo administrados. A conta é simples, se os custos chegam a 20% do valor do ativo de reposição, isso representa um alto custo em manutenção a cada ano.

O que quer dizer que podemos adquirir um ativo novo para operação a cada cinco anos. Agora se conseguirmos chegar num custo de 2% do valor do ativo de reposição, esse mesmo ativo estará em operação por 50 anos. Isso antes que seus custos com manutenção valham o custo de obter um novo ativo.

Podemos considerar um alto ERV ou CPMV, valor acima de 5%, significa que uma planta industrial como um todo e seus ativos tem custos altos para se manter. De posse dessa informação financeira sobre seus custos podemos concluir que:

  • Produtos estão com custos fora do padrão de competitividade;
  • Práticas operacionais não estão sendo adequadas, e;
  • Estratégias de manutenção não estão dando resultados.

 Um valor de custo de manutenção sobre o valor de reposição ideal estaria em torno de 3% para menos. Isso pode ser alcançado com os métodos, processos, ferramentas, habilidades, conhecimento e estratégias assertivas de manutenção. E claro, índices como esse, precisam de uma ótima sinergia entre a Manutenção e Operação.

Então podemos afirmar que, quando falamos desse indicador CPMV, quanto menor o valor encontrado, melhor. Uma vez que essa máquina ou equipamento não precisa ser substituída. Melhor que isso, ainda vale a pena manter esse ativo por mais algum tempo, apesar de suas intervenções de manutenção.

Cálculo do Valor Estimado de Reposição (ERV) ou CPMV

A forma de determinar o custo de manutenção como uma porcentagem do CPMV é a partir da seguinte equação.

CPMV= (Custo anual total de Manutenção / Valor de Reposição de Ativos novo) x 100.

Temos que ter em mente que esse valor do CPMV significa exatamente o que diz em seu enunciado: o custo atual estimado de reposição, ou seja, o valor para substituir seu ativo existente por ativos novos e idênticos.

Uma prática considerada ideal pela comunidade empresarial nos diz que:

ERV abaixo de 2% é uma Manutenção classe mundial, e;

ERV de 2% é uma Manutenção de alto nível;

ERV de 3% é uma Manutenção adequada;

ERV acima de 5% é uma Manutenção deficitária.

Usando a métrica do ERV 

Qualquer instalação fabril tem custos de manutenção que variam mensalmente não é mesmo? São variações de custo (despesas e gastos) que acontecem com paradas de manutenção programadas, paradas inesperadas, e outros tipos de intervenções.

E digamos, essas variações no custo de manutenção é algo normal, mas que precisa ser medido. Ou seja, é melhor analisar os custos de manutenção mensalmente em comparação com o orçamento (real x orçado).

Para o indicador do ERV ou CPMV, esse custo de manutenção/valor de substituição estimado pode ser feito trimestralmente e no ano podemos ter uma boa visão da sua tendência de longo prazo.

Importância desse indicador

Ao acompanhar periodicamente esse indicador, estamos sempre avaliando o tamanho e a idade da planta fabril. Com isso é possível comparar o desempenho com uma base de dados muito mais ampla e confiável.

Dados podem nos dizer por exemplo, que uma planta mais velha poderá não custar mais para manter, pelo menos durante os primeiros 25 ou 30 anos de sua vida útil.

Ao passo que uma planta de 10 anos mal conservada pode estar em pior estado e custar mais para manter do que uma planta de 25 anos com manutenção adequada.

Portanto, a curva de custos totais versus idade de uso de um ativo está longe de ser uma relação linear. Se mantida adequadamente ao longo do tempo, uma planta está sendo continuamente restaurada à condição de nova, um princípio básico da filosofia de Manutenção Produtiva Total – TPM.

A solução começa na Gestão

É notório que para mantermos uma boa funcionalidade de uma planta fabril, precisamos de uma gestão assertiva da Manutenção. Claro que não podemos esquecer que existem outros fatores que contribuem e muito para isso.

É o caso de uma setor de operação extremamente competente e que trabalhe em sinergia constante com a Manutenção. E falando em estratégias de manutenção, não podemos deixar de enfatizar a grande e importante contribuição de ótimos sistemas de gerenciamento – CMMS.

E juntamente com essa ferramenta essencial, a formação de equipes multidisciplinares e estratégias assertivas de preventivas e modernas técnicas preditivas. E com isso alcançarmos um ótimo índice do ERV – (Valor Estimado de Reposição) para uma Manutenção classe mundial.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *