FPY – First Pass Yield

Luis Cyrino
25 mar 2018
0
1052

FPY – First Pass Yield

FPY – First “Pass” Yield ou FTY – First Time Yield é uma excelente ferramenta para medição do volume de retrabalho em um dado processo, e uma excelente métrica de custo da qualidade.

FPY – First pass yield (rendimento de primeira passagem), é uma das métricas da metodologia Six Sigma que utiliza esta e outras métricas para quantificar os resultados de um produto ou processo de forma mensurável.

Estas métricas, traduzem de forma clara a capacidade de se manter dentro das especificações de um produto, processo ou da própria empresa. Essas métricas são parâmetros que podem ser utilizados para Benchmarking internamente (outros processos ou produtos), ou com outras empresas de mesmo segmento.

Conceito

FPY – First pass yield, também chamada de taxa da qualidade, é a porcentagem de unidades que completam um processo e atendem às diretrizes da qualidade sem serem refugados, retrabalhados, retestados, devolvidos ou repassados para uma área de reparo fora da linha.

FPY – First pass yield ou First Time Yield (FTY) é uma métrica comum de saída de um processo (métrica Y) usada para identificar áreas de problema.

Cálculo do FPY

O FPY é calculado pela divisão das unidades que entram no processo menos as unidades defeituosas pelo número total de unidades que entram no processo.

O cálculo é feito da seguinte maneira:

FPY = P/U x 100%

Onde:

FPY = First Pass Yield (taxa da qualidade)

P = Número de unidades que passaram no teste (unidades totais – unidades defeituosas)

U = Número de unidades testadas (unidades totais)

Leitura dos resultados

Ao se utilizar essa métrica, pode-se entender algumas situações de problemas quando o rendimento (Yield) estiver abaixo dos índices estabelecidos como aceitáveis. Ao se verificar índices abaixo do aceitável pode-se descobrir alguns custos adicionais, tais como:

  • Necessidade de horas extras para concluir a produção necessária;
  • Maior consumo de matéria prima e insumos em geral;
  • Atrasos de outros itens a serem produzidos;
  • Atrasos de entrega para o cliente, pior situação.

Numa empresa por exemplo, onde um produto passa por vários processos de fabricação, pode e deve-se medir essa métrica em cada fase do processo. A medição também é importante para o processo como um todo (rendimento final – RTY), serve como parâmetro para entender as diferentes situações entre produtos.

Análise do problema

Identificado um índice abaixo do esperado para o FPY, se torna importante entender o problema e corrigir. Para isso se faz necessário uma Análise de falha para buscar a causa raiz desse problema e propor as ações necessárias para sua devida solução.

Nessas situações a área de Manutenção com certeza pode ter sua parcela de contribuição, pois em muitos casos esses problemas podem ser oriundos de falhas mecânicas ou elétricas em máquinas e equipamentos.

Mesmo que isso não seja identificado, a Manutenção pode contribuir para a melhoria de outras situações com soluções por meio do seu pessoal técnico. Como mencionado em outros artigos, a união entre a Manutenção e Produção é essencial para gerar resultados.

FPY como parte da melhoria contínua

O rendimento de primeira passagem – FPY, pode com certeza ser uma boa iniciativa para fazer parte do processo de melhoria contínua. O fato de não utilizar a ferramenta do FPY para medir a rentabilidade, pode manter oculta algumas deficiências e desperdícios dos processos.

Como os processos em geral de melhoria contínua buscam sempre identificar desperdícios e ineficiências dos processos, o FPY não deve ser negligenciado como parte do programa.

Conclusão

A FPY é uma métrica essencial, mas como parte de uma metodologia do Six Sigma, sozinha vai resolver parte de um possível problema. Como uma das métricas, podemos utiliza-la para definir uma meta sendo o ideal, claro, 100% de rentabilidade ou próximo disso.

Essa métrica com as outras em conjunto, pode nos identificar oportunidades de melhorias dos processos e produtos da empresa. Entender quais itens tem boa rentabilidade e outros que sempre apresentam problemas e que precisam ser melhores entendidos.

Fica muito evidente que, em sistemas produtivos o retrabalho representa com certeza, uma parte significativa de tempo desperdiçado e do valor agregado ao produto final.

O First Pass Yield é um importante indicador ou métrica de fabricação para medir a qualidade e o desempenho da produção. O rendimento de primeira passagem é uma boa medida da eficácia de um processo e da eliminação de possíveis defeitos durante cada etapa de um processo produtivo.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *