Preditiva, como funciona e onde aplicar?

Luis Cyrino
23 nov 2020
2
1780

Preditiva, como funciona e onde aplicar?

Preditiva é uma das estratégias de manutenção de máquinas e equipamentos mais utilizados atualmente. É um método aplicado na área da Manutenção em geral. Tem a finalidade de indicar as condições reais de funcionamento de algumas partes de máquinas e equipamentos.

Esse método é com base em dados que informam o seu desgaste e/ou processo de degradação. Como e porque isso está acontecendo, indicando com precisão onde está o problema. São inúmeras técnicas utilizadas conforme cada necessidade, um método completo que funciona e gera ótimos resultados.

Qual a proposta da Preditiva?

A proposta da manutenção Preditiva é fazer o monitoramento regular das condições mecânicas, eletrônicas, pneumáticas, hidráulicas e elétricas de máquinas, equipamentos e suas instalações.

Esse método também pode monitorar o rendimento operacional de máquinas, equipamentos e instalações quanto a seus processos. Como resultado desse monitoramento, observa-se um aumento dos intervalos dos reparos por quebras/falhas (manutenção corretiva) e dos reparos programados (manutenção preventiva).

Melhora também a produtividade com um aumento de rendimento no processo produtivo. Isso acontece uma vez que máquinas, equipamentos e instalações estarão disponíveis por um tempo maior para a operação.

Portanto trata-se de uma modalidade de manutenção que prediz o tempo de vida útil de alguns itens e sistemas. Como dos componentes das máquinas e equipamentos e as condições para que esse tempo de vida seja bem aproveitado.

Como a Preditiva atua?

O método da manutenção Preditiva atua de modo a se antecipar as falhas/quebras, e como ela faz isso? Segue abaixo algumas formas de como a preditiva atua preventivamente:

  1. Inspeção e monitoramento com base em coleta de dados

Determinar antecipadamente a necessidade de serviços de manutenção numa peça ou componente específico de uma máquina ou equipamento. Faz isso baseado em alguns parâmetros pré-determinados, mas como isso?

Exemplo: Em casos de monitoramento de rolamentos onde é identificado falhas precocemente. Como faz isso? Por meio de dados coletados de vibração identificados com uso de dispositivos leitores como os transdutores.

Temos ainda como outro exemplo, a técnica da Termografia, muito utilizada na manutenção elétrica. A inspeção termográfica é uma técnica não destrutiva realizada para medir temperaturas ou observar os padrões de distribuição de calor a partir da radiação infravermelha.

O objetivo é obter informações relativas à condição operacional de um componente, equipamento ou processo. Com base em parâmetros conhecidos, se identifica onde podemos ter condições adversas e propensas a gerar falhas.

  1. Elimina atividades desnecessárias e suas consequências

Elimina atividades de manutenção totalmente desnecessárias como algumas desmontagens de conjuntos ou equipamentos de máquinas para inspeção. E principalmente em atividades como a manutenção corretiva, um prejuízo incalculável para setores produtivos.

Isso sem contar com o desperdício de tempo de profissionais que poderiam estar alocados em atividades essenciais. Outro prejuízo se trata do consumo e consequente custos de peças e componentes que poderiam ser evitadas.

  1. Disponibilidade

Usando as técnicas da Preditiva trabalhamos na prevenção de falhas e quebras de máquinas e equipamentos. Fazendo isso, é uma consequência o aumento do tempo de disponibilidade dos ativos.

E como isso acontece? Me parece bem obvio não é mesmo, menores incidências de falhas e/ou quebras, máquinas e equipamentos terão mais tempo disponível. Quanto mais tempo a Manutenção deixar de perder com atuações corretivas, mais tempo terá para investir em atividades mais nobres.

Outro fator relacionado a disponibilidade é o fato de usando as técnicas preditivas, evitamos qualquer aumento nos danos já iniciados. E como fazemos isso? A partir da identificação de alguma anomalia, já nos preparamos para fazer uma intervenção para corrigir o problema.

  1. Vida útil de uma peça ou componente

A consequência principal do uso da Preditiva é fazer com que peças e componentes possam ser utilizados pelo período de vida útil de cada uma delas. Isso acontece porque deixamos de usar a preventiva e troca de itens que estão sendo monitorados.

Sabemos que o método da preventiva não tem como parametrizar a vida útil de todos os itens de uma máquina por igual. Normalmente numa parada de preventiva fazemos a troca de certos itens como prevenção e não porque o item sinalizou problemas.

Por isso enfatizamos que o ideal como estratégia da Manutenção é utilizar os dois métodos, preditiva e Preventiva juntas. O uso das técnicas preditivas traz um grande benefício atrelado aos custos com manutenção. Tudo o que a Manutenção fizer como atividade sem a necessidade de paradas emergenciais, é lucro.

Não temos como contabilizar de forma genérica, mas imaginem se todo e qualquer item de uma máquina ou equipamento puder ser usado até o final de sua vida útil. Isso é claro, não podemos contabilizar aqui os erros dos meios e formas equivocadas de se fazer manutenção.

É evidente que uma manutenção mal executada pode trazer falhas ou quebras por esses erros e não porque a vida útil do item chegou ao seu final. E não poderia deixar de mencionar aqui os erros operacionais que podem acontecer e também gerar falhas e /ou quebras.

  1. Aumenta o grau de Confiabilidade

Como consequência de tudo que falamos acima, é notório que a preditiva contribui para o aumento da Confiabilidade dos ativos produtivos. A Engenharia da Confiabilidade reconhece as técnicas preditivas como essenciais para seu propósito.

O conhecimento e aplicação de tecnologias preditivas, analíticas e de conformidade são métodos para agregar valor a qualquer empresa. Estratégias conjugadas de técnicas, métodos e processos da Manutenção são importantes. Isso vai corroborar para eliminar as paradas emergenciais e consequentemente elevar a Confiabilidade dos ativos produtivos.

Como e onde implantar a Preditiva?

Como já descrito num outro artigo “Definindo onde fazer a preditiva”, num primeiro passo devemos conhecer os conceitos das técnicas preditivas.

E para cada tipo de técnica preditiva, temos suas aplicações e onde se encaixam conforme os tipos de máquinas e equipamentos que tem numa empresa.

Algumas dessas técnicas preditivas veremos que não são simplesmente uma escolha e sim uma necessidade por força de normas. Podemos de antemão citar as técnicas preditivas da Termografia e da Análise de pressão como parte dessas normas.

Fatores decisórios de onde implantar

Esse tema começa logicamente a ganhar importância quando a alta direção da empresa decide investir. A área de Manutenção tem ganhado um grau de importância elevado pois contribui diretamente para a Confiabilidade de ativos produtivos. Pensar fora disso é um grande erro que infelizmente muitas empresas ainda cometem.

Temos a seguir alguns fatores importantes a considerar para decidir onde implantar técnicas preditivas. São eles:

  • Nível de criticidade

Nível de criticidade é dizer para a Manutenção qual ou quais linhas ou máquinas e equipamentos são mais importantes do que outros. Precisa existir uma linha de pontuação onde a equipe de manutenção sabe onde “atacar” primeiro.

Temos um artigo no blog que fala sobre isso, “Classificação ABC de máquinas e equipamentos”.  Hoje em dia podemos dizer que a classificação ABC é extremamente importante. Fazer a priorização dos ativos produtivos (método adaptado pela JIPM) se constituem num fator decisivo para a escolha de uma política de manutenção adequada.

Por meio desse método podemos determinar se um ativo produtivo requer o uso de alguma técnica preditiva para melhorar sua disponibilidade.

  • Nível de perdas

Digamos que numa empresa a maioria dos ativos produtivos sejam críticos, o que é bastante comum. Então só a classificação ABC não vai ajudar muito num processo decisório nesse momento.

Podemos partir para uma premissa bastante relevante e que incomoda demais as organizações. Estamos falando das perdas financeiras que incorrem devido as falhas e quebras ou deficiências de qualidade de ativos produtivos.

Isso seria um fator determinante para que a empresa invista numa ou várias técnicas preditivas por esta ou aquela linha ou máquina produtiva.

  • Normas obrigatórias

Nesse quesito não tem muita conversa, algumas técnicas preditivas fazem parte de normas regulamentadoras. E sabemos que normas regulamentadoras são obrigatórias, não temos escolha.

Seu descumprimento leva a várias sanções governamentais, o que definitivamente não é bom para os negócios. E sem contar com os riscos envolvimento para a saúde e segurança dos trabalhadores em geral.

E qual seriam essas normas?

  1. Técnica da Termografia

As normas que regem a inspeção termográfica no setor elétrico são:

A NR-10, norma que estabelece critérios de segurança na realização de trabalhos em instalações elétricas.

Também temos a NBR 15424 que define os termos utilizados no método END (Ensaio não destrutivo).

E a NBR 15572, um guia para inspeção de equipamentos elétricos e mecânicos relacionados às responsabilidades do usuário final e do técnico que realiza a Termografia.

  1. Técnica da Análise de pressões

As normas que regem a análise de pressão estão ligadas as normas ABNT NBR 15417 e a NR-13. Norma esta que estabelece requisitos mínimos para gestão da integridade estrutural de caldeiras a vapor, vasos de pressão e suas tubulações de interligação.

Relacionadas a aspectos quanto sua instalação, inspeção, operação e manutenção, visando à segurança e à saúde dos trabalhadores.

Nessa norma temos a tratativa sobre os vasos de pressão que poderíamos afirmar ser comuns em praticamente todas as empresas. É difícil uma empresa que não tem compressores de ar comprimido e seus respectivos vasos de pressão.

Conclusão

Como visto neste artigo, a Preditiva é uma das ótimas e necessárias estratégias da Manutenção. Fica claro também que isoladamente a Preditiva não faz milagres, é preciso um conjunto de estratégias. E hoje temos visto muitas técnicas, metodologias e ferramentas extremamente eficazes no combate as quebras e falhas.

Mas isso de nada adianta se não tivermos uma gestão inteligente, que saiba como trabalhar com esses recursos, e principalmente com seu recurso humano.

A tudo isso precisamos associar as melhores práticas de Gestão de pessoal. E não deixe de incluir as ferramentas de avaliações de desempenho e da matriz por competências técnicas e comportamentais.

Caso precise de uma ajuda com tudo o que falamos aqui, conte com o Manutenção em foco. Faça-nos uma consulta sem compromisso e conheça nossas Soluções.

Comentários

2 respostas para “Preditiva, como funciona e onde aplicar?”

  1. Marcio Mendes disse:

    Otimo post! É muito importante ser feita a manutenção por profissionais qualificados!

    Parabéns

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *